Taxa Selic: tudo o que você precisa saber sobre ela

Larissa Carvalho

| 11 minutos para ler

calculadora de cor preta e botões azuis em cima de uma mesa azul claro

Resumo da matéria

  • O que é taxa Selic?
  • Como a taxa Selic Funciona?
  • Qual é a influência da taxa Selic no nosso dia a dia?

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Entenda por que a taxa básica da economia caiu e em que ela afeta a nossa vida financeira

Você tem medo de fantasmas? Esses personagens fantásticos estão por toda parte: filmes de terror, histórias infantis, debaixo da nossa cama e na economia brasileira. Sim! Ele tende a nos assombrar quando ouvimos algumas palavras, como inflação, crise econômica e taxa Selic.

A boa notícia é que, para cada situação, existe um grupo de caça fantasmas especializados em combater esses seres sobrenaturais. No nosso caso, o principal instrumento de combate é o conhecimento.

Nesse artigo, a gente vai falar especificamente sobre a temida taxa Selic. Mas, já adiantamos: ler todas as informações até o final é apenas para os corajosos!

O que é taxa Selic?

Conhecida como taxa básica de juros da economia brasileira, a taxa Selic é a sigla do nome Sistema Especial de Liquidação de Custódia.

Quem tem um pé atrás com esses nomes difíceis, já vai associá-lo a um fantasma imbatível.

Mas, tenha calma! Nada como uma boa dose de informação para transformar o monstro em um animalzinho indefeso.

Na verdade, a taxa Selic é um sistema do Banco Central que controla a inflação.

Ela é utilizada pelas instituições financeiras para fazer as operações diárias se manterem ativas.

Por meio de um sistema automatizado, o Banco Central usa essa referência para controlar operações de compra, emissão e venda de títulos públicos.

Como a taxa Selic Funciona?

O governo precisa ter dinheiro para investir na construção e manutenção de hospitais, escolas, entre outras instituições. Além disso, ele deve pagar os servidores públicos e garantir a segurança da população, por exemplo.

A arrecadação de impostos é uma das fontes de manutenção dos órgãos públicos. Mas, ela não é a única. Outra alternativa é a obtenção de dinheiro através de títulos do Tesouro Direto.

Nesse caso, a secretaria do tesouro vende títulos para os bancos. A lei determina que toda instituição financeira é obrigada a depositar uma porcentagem do seu dinheiro em uma conta no Banco Central.

Como milhões de operações são realizadas diariamente, quando chega o final do dia, é comum que os bancos estejam com a porcentagem menor ou maior do que deveriam ter na conta do Bacen. 

Para resolver esse problema, eles devem pegar empréstimos com outros bancos para cumprir as normas estabelecidas.

Caso isso não aconteça, a instituição pode receber multas, ações judiciais ou bloqueio das atividades comerciais. Cada um com seu fantasma!

A cada 45 dias, a taxa Selic é definida pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil, mais conhecido como COPOM.

É importante que você saiba que ela não é aplicada para empréstimos e financiamentos que as pessoas comuns fazem.

Qual é a influência da taxa Selic no nosso dia a dia?

A taxa Selic é usada para operações financeiras entre o governo e as instituições financeiras.

Além disso, os bancos a usam como referência para colocar os preços nos produtos comercializados com o consumidor final, ou sejam com a gente.

Para compreender melhor como a taxa básica de juros interfere no seu bolso, é importante que você saiba quais são suas principais variações:

Taxa Selic Meta: Determina a quantidade máxima de juros que podem ser praticada nas operações financeiras.

Taxa Selic Over: Calcula a média ponderada dos empréstimos de fato praticados pelos bancos, e que retorna o valor dos juros reais.

Por isso, que a Selic é um guia, já que este indicador impacta todos os juros praticados pela economia brasileira.

Indicador de investimentos: A taxa Selic também serve como termômetro para investimentos, como poupança, Tesouro Direto, CDB, LCA e LCI.

Entender o funcionamento da taxa Selic é essencial para você ter uma relação melhor com o dinheiro e consumir melhor. Mais adiante, vamos explicar melhor como esses conceitos funcionam na prática.

imagem ampliada de uma mesa com uma calculadora preta e uma pessoa fazendo anotações em um gráfico em preto e branco

Leia mais: Taxa CDI: como ela afeta seus investimentos?

Por que a taxa Selic aumenta e diminui?

Quando Comitê de Política Monetária (Copom) reduz a Selic, a tendência no mercado é que o crédito se torne mais barato. Isso reflete no incentivo à produção como um todo, assim como no consumo da população e das empresas.

Agora, quando o Copom eleva o valor da taxa Selic, seu principal propósito é fazer o controle da demanda aquecida da economia. A tendência é que os preços dos produtos e serviços fiquem mais altos.

Nesse caso, as operações financeiras ficam mais caras e somos estimulados a fazer reservas e investir dinheiro.

Qual é a relação entre a taxa Selic e a inflação?

Um dos objetivos da taxa Selic é evitar o excesso de dinheiro circulando por aí. Mas, ter muito dinheiro não é bom para o país?  Para tudo deve haver um equilíbrio. Quando essa taxa está alta, ela favorece a queda da inflação.

A inflação cai porque os juros dos empréstimos e financiamento ficam muito altos.  Nesse caso, o fantasma é o valor desses serviços, que acabam nos desestimulando a contratá-los.

Por outro lado, quando ocorre uma queda na inflação, os juros ficam baixos. Isso significa que a gente pode deixar o medo de lado e pedir dinheiro emprestado, já que o valor da dívida fica menor.

Histórico da taxa Selic dos últimos 2 anos

É preciso saber que a taxa Selic é dividida em duas etapas: taxa mensal e o acumulado do ano. A cada mês, observamos um número que equivale à taxa de referência para o Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) para títulos federais.

Isso pode ser aplicado, tanto no pagamento quanto na compensação, restituição, quanto no reembolso de todos os tributos federais.

Taxa Selic 2018

2018 acabou sendo um ano bem tranquilo, pelo menos do ponto de vista da Selic. Das 8 reuniões do Copom que foram feitas no ano, a Selic foi mantida no patamar que estava, de 6,5% ao ano, em 6 delas.

Em relação à taxa mensal, esta também se manteve bem estável. Sua máxima foi em janeiro, com 0,57% e a mínima em fevereiro, com 0,50%. Durante o ano, a taxa se manteve neste patamar.

Taxa Selic 2019

Durante os primeiros meses de 2019, a taxa Selic se manteve estável e permaneceu no patamar de 6,5%. Porém, a partir de agosto, o Copom começou a cortá-la em, praticamente, todas as reuniões, quebrando recordes seguidos de valores mais baixos.

Na última reunião do ano, a Selic caiu para 5%. Esse foi o valor mais baixo desde que este instrumento começou a ser usado para controlar a economia, em 1999.

Taxa Selic 2020

O ano de 2020 começou com a previsão de que a Selic cairia para 4,5%. No entanto, a pandemia acabou pegando todo mundo de surpresa e mudou todas as expectativas para a evolução da economia no país.

A crise, que começou a interferir, primeiro na saúde e no setor de aviação e turismo, se estendeu a todos os outros contextos de mercado. O isolamento social tem gerado desemprego, redução salarial, queda nas vendas e, claro, queda na Selic.

Iniciamos 2020 com a taxa Selic anual de 4,5%. O ciclo de queda começou em abril, com 3,75%. Com a redução gradual, entramos em maio e junho com a taxa em 3,11% e 2,68%, respectivamente.

O mês de agosto começou com a Selic em 2,04%. Em relação à taxa Selic mensal, no dia 1º de janeiro de 2020, ela estava em 0,37%. Ao longo dos meses, houve uma variação desse número, como você pode observar a seguir:

Janeiro: 0,37%

Fevereiro: 0,29%

Março: 0,33

Abril: 0,28%

Maio: 0,23%

Junho: 0,12%

Julho: 0,20%

Agosto: 0,16%

Como a variação da taxa Selic interfere nas nossas decisões de compra?

Quanto mais baixa a taxa Selic estiver, menor será o valor do crédito. Isso significa que as pessoas podem pedir mais empréstimos, fazer mais financiamentos e, de modo geral, gastar mais.

As empresas também podem investir mais em expandir os seus negócios, comprando novos equipamentos e abrindo novas unidades, gerando mais empregos. Com novos empregos, as pessoas gastam mais e assim segue o ciclo da economia.

Nessa situação de pandemia que estamos vivendo, a redução da Selic é uma forma de estimular a economia e evitar um cenário de recessão.

Basicamente, a recessão é um contexto de aumento do número de pessoas desempregadas.

Sem dinheiro, perdemos nosso poder de compra. Sem comprar, não damos lucro para as empresas. Sem lucro, as empresas demitem ainda mais trabalhadores. Essa bola de neve tende a agravar ainda mais a situação.

Por que a taxa Selic não fica sempre baixa?

A resposta é uma velha conhecida do brasileiro: a inflação. Ela não é um problema há algum tempo, mas se existe muita gente no mercado querendo comprar, os preços aumentam demais e o dinheiro acaba perdendo o seu valor.

Por isso, sempre existe este equilíbrio entre a Selic e a inflação, e ambos descem e sobre de acordo com ciclos. Como o momento atual é de recuperar a economia, aquecê-la e fazê-la crescer, a Selic está no seu valor mais baixo.

Projeção Taxa Selic até 2021

Antes da pandemia, a projeção era de que, em 2021, a Selic estaria em 4,75%. No entanto, essa previsão não é mais coerente com a atual realidade. Por ora, não podemos afirmar ao certo pelo que podemos esperar.

O importante é usar as informações atuais para usar a taxa Selic da melhor forma, com foco na rentabilidade e na segurança financeira.

 Manual prático para você usar a taxa Selic a seu favor.

Seja qual for o seu objetivo ou a sua condição financeira, com certeza vai saber desenvolver uma boa estratégia com as nossas dicas. Comece agora a ter uma relação eficaz com o seu dinheiro.

Agora, vamos falar na prática o que a taxa Selic influencia diretamente na sua vida e como usar isso a seu favor. Começando pelo básico, entenda que a taxa Selic é a principal forma que o Banco Central usa para controlar a inflação.

Quando a taxa Selic sobe, os juros de empréstimos, financiamentos e cartões se tornam mais elevados. Isso afeta no consumo que fica desestimulado por causa dessa alta nos valores.

Se ela cai, como é o caso, torna os empréstimos e financiamentos mais baratos, estimulando o consumo.

Consumo

Lembra quando falamos que a taxa Selic influencia diretamente em tudo? No geral, as taxas aplicadas em diversas operações serão menores. Isso pode até te estimular a comprar mais pelas facilidades, mas você deve ter atenção.

Para começar com o uso dos cartões de crédito. No geral, trata-se de uma das taxas mais caras do mercado. Não é à toa que grandes especialistas indicam o perigo desses números no orçamento familiar do brasileiro.

E ainda que a taxa Selic tenha diminuído, isso não quer dizer que você deva colocar todos os seus gastos no cartão de crédito.

Seu uso com esse item é fundamental para que se mantenha uma saúde financeira. E para isso, temos duas formas de te ajudar com isso. O primeiro é que você deve escolher o cartão de crédito com as melhores taxas do mercado.

Investimentos

Se você sempre teve receio em fazer algum tipo de investimento, essa é a sua hora. Para trazer mais rentabilidade para os seus investimentos quando a taxa Selic estiver baixa você deve:

Reduzir os custos: Neste período, o mais indicado é evitar taxas altas de administração em fundos de renda fixa ou DI. Essas taxas elevadas acabam prejudicando a rentabilidade do produto investido.

Se você escolheu o Tesouro Direto, uma sugestão interessante é não pagar a corretora. Vale a pena pesquisar instituições que não cobram pelo investimento desse tipo.

Se afaste dos impostos: Para aproveitar melhor a taxa Selic baixa é importante fugir de determinados impostos. E não se preocupe, pois estamos falando de opções legais e seguras.

É o caso do LCIs, isentos do Impostos de Renda e que atraem cada vez mais investidores. Por isso que muitos especialistas indicam ficar um tempo maior no investimento para pagar menos impostos.

Invista em algo prolongado: No geral, quanto mais tempo o valor ficar aplicado, melhor será o seu rendimento.

Isso sem falar que os títulos que oferecem as taxas melhores possuem vencimentos maiores. Vale a pena você pesquisar cada tipo de investimento para não errar.

Só para refrescar a sua memória, existem alguns investimentos muito usados que podem ser influenciados pela variação da taxa Selic. Estamos falando dos títulos públicos, caderneta de poupança e CDI.

Quando falamos de títulos públicos, devemos ter em mente que quanto maior é a taxa, maior é a rentabilidade.

Então se você quer começar a trilhar seus primeiros passos no mundo do investimento e não quer gastar muito, pode ser uma solução.

Mas nesse caso, você pode colocar em prática a dica que citamos anteriormente, de ter o investimento por um tempo prolongado.

Agora, se você quer investir na poupança, é importante ter em mente algumas coisas. O primeiro é que a rentabilidade da poupança é a menor se formos comparar com as outras opções.

A segunda é que isso reflete diretamente no valor dos juros Selic do período.

Uma sugestão para ter um melhor resultado é usar isso como uma reserva de emergência para realizar algum plano (viajar, comprar um carro, entre outros).

Mas também tem o CDI, que é a taxa de juros encontrados no empréstimo de um banco para outro. Mas no caso do CDI, os bancos usam títulos privados da própria instituição como garantia.

Por isso que CDI também é chamado de Certificado de Depósito Interbancário. Vale lembrar que a taxa Selic e o CDI são semelhantes.

No geral, se a Selic aumentar, maior será o CDI. E devemos levar em consideração que todo investimento de renda fixa baseado no CDI também reflete a taxa Selic. Estamos falando do:

Certificado de depósito bancário (CDB);

Letras de crédito imobiliário (LCI);

Letras de crédito do agronegócio (LCA);

Letras de câmbio (LC).

Agora que você entendeu sobre como a taxa Selic influencia diretamente nos seus investimentos, chegou a hora das dívidas.

Quem está no vermelho também pode sair ganhando com essa baixa na taxa Selic. Entenda melhor a seguir.

Dívidas

Se você está sofrendo com alguma dívida ou já está inadimplente há algum tempo, essa é a sua hora de mudar o jogo. Não, a taxa Selic não vai te livrar das dívidas, mas vai te dar a chance de pagar seus débitos.

Isso porque, com as taxas mais baixas, muitas instituições financeiras disponibilizam condições especiais de pagamento. Isso facilita o pagamento da dívida de diversas maneiras.

Se já tem dinheiro, você pode renegociar as condições de pagamento. Assim, as taxas podem ser menores ou as parcelas em si diminuem.

Agora, se você vai precisar de algum empréstimo, pode ser a oportunidade de encontrar opções com taxas menores no mercado. Mas isso, iremos falar melhor a seguir.

O importante é que, independente de qual seja a sua dívida, vale a pena pensar nas opções.

Se você já está negativado, temos um artigo aqui do blog para isso: Empréstimo para Negativado: Como funciona, opções e dicas.

Inclusive, há algumas instituições financeiras que disponibilizam empréstimo para negativado online, de forma rápida e segura.

Entre as mais vantajosas e seguras podemos destacar a Creditas, que possui opções de empréstimos usando veículo e imóvel como garantia. A Creditas é parceira do Bom Pra Crédito e oferece taxa de juros a partir de 0,99% ao mês.

imagem ampliada de mão de um homem segurando um lápis e operando uma calculadora

Confira também: Juros simples e composto, nunca mais tenha dúvidas

Empréstimos

Chegamos a um ponto muito interessante para quem deseja tirar sonhos do papel e transformá-los em realidade. No geral, as taxas para obter empréstimos serão mais baixas.

Mas isso não quer dizer que todas as instituições são vantajosas. Você deve ter atenção na hora de escolher.

Aqui no Bom Pra Crédito temos as melhores condições de empréstimos. São elas:

– Empréstimo Pessoal;

– Empréstimo Consignado INSS;

– Empréstimo Consignado Público;

– Empréstimo com Garantia Veículo;

– Empréstimo com Garantia Imóvel.

Para cada caso, há uma solução confiável, rápida e segura. Como se trata de um empréstimo online, você pode fazer a sua solicitação a qualquer momento e de qualquer lugar.

Como você percebeu, para ter uma vida financeira saudável, é fundamental se livrar do fantasma da falta de conhecimento.

Depois de ler todas essas informações sobre o que é taxa Selic, como ela funciona e como fazer bom uso dela, é hora de agir.

Encare suas contas de frente, calcule gastos, ganhos, metas e sonhos. Quer aproveitar a queda da Selic para comprar sua casa, carro ou realizar outro sonho? Então planeje-se antes de dar esse passo importante.

Avalie sua segurança no trabalho, busque uma forma de ganhar renda extra. Comece criando uma reserva de emergência e realize uma coisa de cada vez.

Se for o caso, aproveite a queda na taxa Selic para renegociar dívidas e repensar os gastos.

Estamos passando por um período de incertezas em todos os aspectos. Então, antes de fazer grandes aquisições, leia sobre educação financeira e descubra se o que você deseja está de acordo com seu perfil.

Seja qual for a sua situação, o Bom Pra Crédito oferece as melhores soluções para você.

Acesse o nosso site e faça a solicitação de empréstimo. É simples, rápido e fácil. Para aprender mais sobre finanças, continue aqui no nosso blog.

Nossos conteúdos vão te ajudar a pensar sobre as melhores medidas que podem ser tomadas para controlar seu dinheiro, investir, empreender e ganhar renda extra.