Sinais de ansiedade e porque ela te faz gastar mais

Larissa Civita

| 4 minutos para ler

mulher em uma mesa com livros mordendo o punho.

Continua depois da publicidade

Entenda qual é a diferença de comprar por simples vontade ou por motivos de ansiedade

Você é do tipo de pessoa que não pode ver uma oferta que já quer logo comprar um monte de coisas?

Mas, antes de pagar, você se pergunta se tudo isso é realmente necessário, ou seja, você precisa mesmo do que está colocando no carrinho?

Durante nosso dia, somos surpreendidos o tempo todo, seja na rua ou na internet, com publicidade de todos os tipos.

São tantas opções que ficamos tentados a clicar no botãozinho de comprar e parcelar em milhões de vezes no cartão de crédito.

O que acontece, em alguns casos, é que isso pode não ser saudável, principalmente quando a compra é influenciada pelos sinais de ansiedade.

Se você não sabe do que a gente está falando, é bom ler este artigo até o final.

Leia mais: Compras por impulso: 7 dicas para você resistir

O que é ansiedade por compras?

Em primeiro lugar, não é por que a gente viu alguma coisa legal e quer comprar que temos sinais de ansiedade.

É normal achar uma roupa legal ou um chocolate diferente e querer levar para casa.

O problema é quando isso foge do nosso controle e acabamos descontando na compra um problema muito maior.

Nesse caso, a gente vai comprando tudo o que vê pela frente e acumulando uma série de coisas inúteis. E o que é pior: vamos atolando em dívidas.

Em alguns casos, esse descontrole pode gerar o chamado Transtorno do Comprar Compulsivo, ou TCC.

Ele diz respeito a uma síndrome que também é conhecida como oniomania.

O nome é esquisito, mas a gente vai explicar o que é. Trata-se da dificuldade que algumas pessoas têm em lidar com o próprio dinheiro.

O comprador compulsivo adquire muitos produtos que não vai usar nunca. 

Quando a gente compra algo que viu e gostou, é comum ficarmos felizes com a aquisição.

No entanto, quem compra por compulsão, não sente bem-estar. Geralmente, são alguns minutos de satisfação que, em seguida, se transformam em culpa.

Essa obsessão pelo consumo acaba virando uma verdadeira bola de neve. A conta bancária é a primeira refletir os sinais de ansiedade.

O salário passa a não ser suficiente para pagar cartões de crédito e dívidas em lojas.

mulher com aparência nervosa em frente ao laptop.

Quais são os sinais de ansiedade de quem compra por impulso?

Como a gente já disse, uma coisa é ter momentos de irresponsabilidade e, de vez em quando, comprar algo sem pensar.

Isso não quer dizer que você seja compulsivo. Nesse caso, algumas aulas de educação financeira resolvem o problema.

Agora, outra coisa é fazer isso com cada vez mais frequência. A compulsão por compras prejudica, não só a vida financeira, mas o convívio social de quem sofre dessa doença.

Um comprador compulsivo nem sempre vai assumir que é, mas alguns sinais de ansiedade podem ser identificados:

Descontrole financeiro: Por mais que a pessoa tenha consciência de que não vai conseguir pagar a fatura do cartão de crédito, por exemplo, ela continua comprando.

Aí ela cria o hábito de pagar sempre o mínimo ou entrar no cheque especial. 

Hábito de comprar escondido: O comprador compulsivo mente para a família ou amigos próximos.

Ele pode, inclusive, esconder os produtos para não ser questionado por ninguém e por medo de ser reprovado. 

Falta de critério ao comprar:  Algumas pessoas compram roupas ou sapatos que não servem, por exemplo.

Isso reflete a perda do autocontrole. O resultado é um monte de objetos intactos pela casa. 

Mudança de humor: Nos dias em que não compra nada, a pessoa com sinais de ansiedade muda de humor.

Ela pode ficar mais agressiva, irritada, triste, calada ou muito agitada. Esses sintomas só passam depois de uma compra. 

Perda de autoestima: Os compradores compulsivos tendem a não acreditar neles mesmos.

Eles usam a compra para lidar com suas frustrações e se sentirem mais seguros. 

Sensação de fracasso após a compra: O arrependimento é um dos sinais de ansiedade.

A pessoa se vê diante de um monte de coisas, mas continua se sentindo vazia e decepcionada com ela mesma. 

Descubra: Você é viciado em comprar? Descubra como resolver

Como resolver esse problema?

Se você se identificou com os sinais de ansiedade que apresentamos, a primeira coisa que você deve fazer é avaliar sua relação com o dinheiro.

Como a gente disse, na maioria dos casos, o problema é mais falta de educação financeira do que a doença em si.

Mesmo se o caso for um pouco mais complicado, existem diversos tipos de tratamentos para oniomania. Eles incluem acompanhamento psicológico, participação de grupos de apoio e auxílio na reorganização da vida financeira. 

O objetivo de todas essas ações é fazer a gente a aprender a ter mais controle e equilíbrio na hora de administrar nossas vontades e nosso dinheiro. 

Como reorganizar a vida financeira?

A organização financeira é fundamental para a redução dos sinais de ansiedade.

Por isso, você deve saber visualizar todas as suas dívidas. Anote tudo na ponta do lápis: cartão de crédito, limite de cheque especial, assinaturas, cartões de lojas, entre outros.

O resultado dessa soma não vai ser o mais animador, mas isso não significa que não tem solução.

É preciso diminuir ao máximo a quantidade de dívidas. Para isso, a melhor solução é pedir um empréstimo online.

O Bom Pra Crédito possui parceria com importantes instituições financeiras do Brasil.

Isso significa que, de acordo com seu perfil financeiro, você pode ter acesso a diversas condições de pagamentos e a taxas de juros que cabem no seu bolso. 

Todo processo é feito pela internet e você não precisa perder tempo se deslocando até o banco.Com o dinheiro do empréstimo, pague suas dívidas. 

Depois, cancele o limite do cheque especial, reduza a quantidade de cartões de crédito e cancela assinaturas de coisas que você não usa.

É preciso criar o hábito de organizar seus gastos de acordo com seu salário. 

Imagina se todo dinheiro que você gastaria com sapatos, por exemplo, fosse usado para investir?

Isso poderia resultar em uma viagem, casa nova, carro, entre outras aquisições que realmente te deixariam feliz e realizado. 

Portanto, redefina o que realmente tem valor para você e mude a forma como lida com seu dinheiro. E aí? O que você aprendeu com esse artigo? 

Aproveite para compartilhar essas informações com outras pessoas. Quem sabe não tem alguém precisando desse bate papo para colocar a vida em ordem? 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *