Redução de custos, quando faz sentido para salvar sua vida econômica

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

imagem de mulher de camisa azul clara fazendo anotações e colocando uma moeda dentro de um cofre em formato de porco

Resumo da matéria

  • Por que o brasileiro gasta mais do que ganha?
  • Onde realmente está o problema em gastar mais do que se ganha?
  • Como proceder com a redução de custos sem sentir tanto impacto?

Continua depois da publicidade

O levar em consideração para definir quando é o momento certo de reduzir seus gastos

A redução de custos é uma medida bem importante para manter o orçamento controlado e equilibrado, o que pode ajudar todas as pessoas, tanto aquelas que possuem um bom planejamento sobre as finanças quanto as que gastam mais do que ganham.

Inclusive, pode até parecer um pouco óbvio falar sobre a importância de se gastar menos do que ganha, já que isso faz com que as contas não fechem, mas a situação é bem mais comum do que se imagina.

De acordo com o Indicador de Educação Financeira (INDEF) 2017, da Serasa Experian, 62% das pessoas perceberam que as despesas foram maiores que os rendimentos pelo menos uma vez nos últimos 12 meses, ou seja, são mais de 3 a cada 5 pessoas!

Isso mostra que é importante conversar sobre o tema, mesmo que você não esteja no grupo dos que gastam mais que ganham, já que essa é uma situação a que todos estão sujeitos, como ficou claro com a crise causada pela pandemia do novo coronavírus, em que muitas pessoas passaram a ganhar menos do que antes.

Continue conosco para aprender mais sobre o assunto e conseguir reduzir seus custos de uma forma inteligente e equilibrada!

imagem de vaso de vidro caído cheio de moedas

Veja também: Como economizar dinheiro. 07 erros que você precisa parar de cometer!

Por que o brasileiro gasta mais do que ganha?

Um motivo que ajuda a explicar isso é a falta de planejamento financeiro, que infelizmente atinge um grande número de pessoas e, portanto, faz com que elas fiquem à deriva de suas próprias finanças.

De acordo com dados do SPC Brasil e da CNDL, 58% dos brasileiros confessam que nunca ou só às vezes dedicam tempo ao controle de sua vida financeira, estatística que deixa claro como há muito espaço para melhoria neste sentido por parte da população.

Logo, a maioria dos brasileiros não dedica o tempo necessário para ter um bom controle sobre suas finanças, ou seja, pode ser que gastem mais do que ganhem e nem mesmo saibam disso.

O problema é prejudicial sempre que acontece, mas torna-se mais crítico com o passar do tempo, já que pode se transformar em uma bola de neve, tão grande que parece até impossível de se resolver.

Além disso, temos que considerar também os impactos do Coronavírus na economia, que fizeram muitas pessoas receber menos e outras ficarem sem seus empregos, ou seja, a realidade financeira a partir de então terá que ser completamente diferente.

Isso pode acontecer não apenas em casos de pandemias, mas também quando as coisas fogem do esperado, como uma demissão ou uma despesa emergencial que precisa ser paga.

Logo, a redução de custos é um conhecimento que lhe será benéfico durante toda a vida!

Onde realmente está o problema em gastar mais do que se ganha?

É comum pensar que o número que não bate nessa conta é a baixa remuneração.

De fato, ela pode ser considerada como um fator causador, mas mais importante que isso é o volume das despesas, que ultrapassa o que pode ser honrado pelos consumidores.

Para entender melhor, é interessante olhar para um exemplo prático que mostra como a redução de custos é algo que se aplica a todas as pessoas, não importa qual seja a sua remuneração ou seus hábitos.

Pense em uma pessoa que ganha R$ 5 mil mensais, um valor considerável, que hoje corresponde a quase 5 salários mínimos. Porém, ela gasta R$ 5,7 mil por mês, ou seja, fica no débito de R$ 700 mensais.

Dentro de dois meses, a dívida passa para R$ 1,4 mil. Depois de 3 meses, são R$ 2,1 mil, valor que passa para R$ 4,2 mil em 6 meses e R$ 8,4 mil em 12 meses, isso sem considerar os juros compostos que incidem sobre cartões de crédito, atrasos em financiamentos e outras dívidas.

Agora, pense em alguém que ganha R$ 2,5 mil mensais, ou seja, metade da remuneração do primeiro exemplo.

Porém, suas despesas mensais são de R$ 1,6 mil, ou seja, sobram R$ 900 todos os meses.

Em dois meses, ele já terá R$ 1,8 mil, valor que passa para R$ 2,7 mil em 3 meses, R$ 5,4 mil em 6 meses e R$ 10,8 mil em 12 meses, o que já seria suficiente para montar uma reserva de emergência que o manteria tranquilo financeiramente por pelo menos 6 meses.

Viu como o segredo não está em quanto se ganha, mas sim em quanto se gasta?

É perfeitamente possível guardar dinheiro ganhando pouco, desde que se tenha um bom planejamento para lidar com a vida financeira.

É claro que é importante considerar que as despesas variam de acordo com as necessidades de cada pessoa ou família, mas o que queremos deixar claro aqui é que é possível alcançar a redução de custos independentemente do orçamento.

imagem ampliada de uma mulher de blusa amarela colocando moedas em um cofre

Veja também: Como a pandemia do Coronavírus deve mudar a relação que você tem com dinheiro

Como proceder com a redução de custos sem sentir tanto impacto?

Saber como economizar dinheiro é essencial para reduzir os custos, o que pode ser feito de forma a não prejudicar tanto seus hábitos.

Dá só uma olhada nas dicas interessantes que separamos:

  • Descarte ou reduza despesas não essenciais. Planos caros de TV, internet e celular e assinaturas de serviços que você não utiliza são itens que nem sempre paramos para analisar com cuidado, mas podem consumir uma boa parte do orçamento. Estude a possibilidade de cortar ou reduzir alguns deles, o que resultará em uma boa economia.
  • Pesquise bastante antes de fazer suas compras. Quando precisar comprar algo, pesquise com atenção em diferentes lojas para saber quais oferecem os melhores preços. Você pode encontrar o mesmo produto por preços bem menores em um lugar diferente do que está acostumado a comprar!
  • Se possível, pague as contas em dia. Quando as contas são pagas dentro do prazo, você não sofre com os juros e multas que podem acompanhá-las quando pagas em atraso, o que já será uma despesa a menos no orçamento.
  • Conte com a colaboração dos outros membros da família. Quando se trata do planejamento financeiro familiar, é importante que todos colaborem com o mesmo propósito. Se a iniciativa vier de apenas um dos membros, sua eficácia não será tão grande.

Os primeiros passos para reduzir os custos costumam ser complicados, já que você deve ir contra algo que está acostumado já há um bom tempo, mas lembre-se que é por um bom motivo.

Se você precisa de um empréstimo para ajudar na redução de custos, como para pagar suas dívidas e evitar que os juros evoluam tanto, conte com o Bom Pra Crédito e tenha propostas personalizadas para suas necessidades. Assim, será mais fácil atingir o seu objetivo!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *