Quitar dívidas não pode ficar só no sonho: 6 dicas para começar agora

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

mulher de óculos e camiseta azul segurando papéis com a mão apresentando semblante preocupado

Resumo da matéria

  • Afinal, como sair das dívidas rapidamente?
  • Organize sua vida financeira
  • Conheça o valor total das suas dívidas
  • Defina uma meta mensal de economia
  • Negocie com os credores
  • Troque dívidas caras por mais baratas
  • Passe a controlar os seus gastos
  • Renegocie suas dívidas
  • Saia das dívidas do cartão de crédito
  • Se livre das dívidas do cheque especial
  • Busque mais conhecimento sobre educação financeira
  • Empréstimo pessoal

Continua depois da publicidade

Veja como sair do cheque especial, do cartão de crédito e como ter organização financeira

A falta de planejamento financeiro é um dos grandes responsáveis pelo alto índice de inadimplência no país: quase 61 milhões de pessoas estão com as contas em atraso, segundo o Serasa Experian. No Brasil, o sonho de muitas pessoas é poder quitar dívidas.

Ainda segundo o Serasa, maior parte da inadimplência no Brasil tem, hoje, sete motivos:

  • aumento do desemprego;
  • diminuição da renda familiar;
  • compras para terceiros;
  • ausência de educação financeira;
  • falta de controle nos gastos;
  • atraso dos salários;
  • enfermidades.

Algumas dívidas parecem nunca serem realmente quitadas, apenas amortizadas, como é o caso do cheque especial e do cartão de crédito.

Ao se deparar com essa situação, a preocupação é uma só: como quitar  dívidas?

Sair do endividamento, porém, não é algo impossível. Separamos algumas medidas práticas para te ajudar a reverter essa situação e gerenciar o seu orçamento com sabedoria.

imagem aproximada de dois jovens sentados a uma mesa fazendo contas para quitar dívidas

Veja agora: O que é educação financeira e como você pode aprender com ela

Afinal, como quitar dívidas rapidamente?

Para encerrar o ciclo de mau endividamento de uma vez por todas, é preciso aprender a equacionar melhor seus gastos partindo do quanto você recebe mensalmente e o quanto possui de dívidas. 

Com isso em mãos, elabore um planejamento financeiro e trace prioridades de pagamentos.

Especialistas indicam a elaboração de uma planilha para inserir todos os compromissos financeiros e ter uma ideia mais ampla de como poderá lidar com seus custos mensais, definindo uma estratégia para a quitação das dívidas.

A principal dica é acabar com os débitos que possuem juros maiores, como o cheque especial, trocando por dívidas mais baratas.

Outra possibilidade é renegociar a dívida diretamente com o credor.  

Organize sua vida financeira

Quitar dívidas para em seguida assumir outras é um ciclo que não funciona.

Para ter certeza que o próprio processo de quitação das dívidas não vai se tornar uma bola de neve, você precisa se organizar financeiramente.

E para isso, há alguns passos a serem seguidos:

Conheça o valor total das suas dívidas

Antes de mais nada, é importante listar todos os débitos acumulados até o momento.

Com essa prática, é possível identificar quanto se deve no total e o quanto dessa dívida compromete sua renda mensal.

O ideal é listar todas as dívidas por ordem de atraso e urgência de pagamento.

A prioridade deve ser as contas que possuem a maior taxa de juros, como é o caso do cartão de crédito e cheque especial. 

Faça uma grande varredura pelas contas antigas e, caso tenha dúvidas sobre o valor da dívida atual, contate as empresas com as quais possui compromissos em atraso para confirmar os dados.

Defina uma meta mensal de economia

Depois de definir uma estratégia para quitar as dívidas mais urgentes, você poderá adotar uma prática para evitar recorrer a linhas de empréstimo mais caras.

Por isso, quando já estiver com as dívidas mais equilibradas, procure definir quais gastos você pode cortar para economizar. 

Quando economizar se torna um hábito, a possibilidade de retornar ao endividamento se torna muito menor.

Por isso, defina quais são os custos que podem ser cortados ou reduzidos do seu orçamento.

Essa lista é determinante para definir a melhor estratégia sobre como sair das dívidas. 

Negocie com os credores

Após conhecer o tamanho da sua dívida e conseguir identificar a sua capacidade de pagamento mensal, é muito mais fácil negociar os débitos mais caros e antigos com as instituições credoras. 

Antes de fazer esse contato, estabeleça um limite de quanto pode destinar aos débitos.

Peça uma proposta de pagamento dessa dívida em condições melhores e verifique no seu orçamento se o valor sugerido pela operadora está em conformidade com o que você definiu.

Troque quitar dívidas caras por mais baratas

Se a negociação com as empresas credoras não evoluir, você pode partir para a portabilidade de crédito.

Nesse caso, o consumidor pode procurar por alguma instituição que ofereça melhores condições de pagamento e transferir a dívida.

Essa prática recebe esse nome porque a instituição nova quita a dívida antiga e cria uma nova com parcelas mais ajustáveis à sua capacidade de pagamento mensal.

É possível, inclusive, reduzir a taxa de juros que você está pagando atualmente.

Sair das dívidas passa diretamente por encontrar as melhores oportunidades de juros no mercado.

Passe a controlar os seus gastos 

Todas essas dicas só funcionam quando o consumidor adota novos hábitos de consumo.

Isso não quer dizer que ele deva parar de consumir, mas assumir um compromisso consigo mesmo para sair das dívidas e criar metas financeiras mais rigorosas com o seu dinheiro. 

Por isso, faça uma autoavaliação sobre seus hábitos de consumo e veja se todos são realmente fundamentais para o seu momento.

É muito provável que você encontre alguns gastos que podem ser evitados em períodos de maior dificuldade financeira.

Renegocie suas dívidas

Renegociar dívidas é, sem dúvida, um dos principais caminhos para conquistar a tão sonhada saúde financeira.

A renegociação pode ser feita diretamente com o credor, seja em feirões para limpar o nome ou por meio do refinanciamento de dívida – e portabilidade de uma instituição para outra. 

A dica mais importante é procurar canais oficiais do agente financeiro em que o crédito foi contratado – até para evitar cair em fraudes.

Um ponto positivo é que, na maioria dos casos, é possível fazer a solicitação de renegociação de forma totalmente online, além de realizar as simulações das novas condições de empréstimo.

Antes de renegociar, no entanto, é importante tentar entender o cenário em que está inserido e qual será a melhor maneira de fazer isso.

Isso porque o não pagamento da dívida renegociada com o credor pode ser ainda pior para você. 

Saia das dívidas do cartão de crédito

A dívida de cartão de crédito é uma das mais caras do mercado – atrás apenas do cheque especial.

Os juros, por exemplo, chegam a mais de 280% ao ano de acordo com o Banco Central.

Analisando esses dados, não restam dúvidas: o pagamento desse tipo de dívida deve ser uma prioridade no orçamento.

Negocie com a operadora de cartão de crédito e busque uma alternativa de pagamento que caiba no seu bolso.

O agente financeiro tem tanto interesse quanto você na quitação do débito e costuma facilitar o pagamento, seja com parcelas mais flexíveis ou com a redução da taxa de juros.

Mas, antes, é importante entender quanto do seu orçamento mensal pode ser comprometido com o pagamento da dívida.

Com isso, é possível fazer uma proposta ao banco que seja vantajosa para ambos.

Se livre das dívidas do cheque especial

Aquele crédito pré-aprovado que fica disponível na sua conta corrente pode custar caro para a sua saúde financeira.

Isso porque o cheque especial possui a maior taxa de juros do mercado, chegando a mais de 300% ao ano, segundo o Banco Central. 

A facilidade do acesso a esse crédito e a falta de informações sobre as condições para esse tipo de empréstimo fazem com que milhares de pessoas fiquem endividadas.

Para sair da dívida do cheque especial é recomendado conversar com o seu gerente e tentar negociar a melhor forma de pagamento.

imagem aproximada de pessoa sentada a uma mesa com contas, óculos, caderno, calculadora e um celular

Veja agora: Educação financeira em tempos de recessão te ajuda a não perder o controle

Busque mais conhecimento sobre educação financeira

Uma das principais formas de sair das dívidas é ter o conhecimento necessário para evitá-las.

Por essa razão, é fundamental que você busque conhecimento sobre como se educar financeiramente. 

Seja por meio de aplicativos, canais no YouTube ou blogs especializados, é importante que você tenha cada vez mais habilidade para organizar seus recursos e a educação financeira será determinante.

Empréstimo pessoal para quitar dívidas

Você pode também conseguir um empréstimo pessoal e trocar todas as dívidas por apenas uma, com taxas e parcelas que cabem no seu bolso.

Você pode contar com o Bom Pra Crédito, onde faz uma simulação de quanto precisa de dinheiro e o Bom Pra Crédito reúne as melhores opções de crédito do mercado, com as melhores parcelas e as menores taxas de juros.

São mais de 30 instituições financeiras parceiras, vale a pena conferir.

Quitar as dívidas não pode ficar só nos sonhos. Com essas dicas, mostramos que é possível fazer e começar agora. Mãos à obra!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *