11 Passos Simples Para Fazer o Seu Planejamento Financeiro

Larissa Carvalho

| 17 minutos para ler

10 Passos Simples Para Fazer o Seu Planejamento Financeiro

Continua depois da publicidade

Aprenda a ter disciplina, lidar com dinheiro, ter metas e atingir seus objetivos financeiros com nossas dicas de planejamento!

Você sabia que o planejamento financeiro pessoal é apontado como a ferramenta de maior importância para alcançar seus objetivos? Pois é.

Por isso, neste guia, vamos te ensinar a criar um planejamento poderoso para te ajudar a realizar seus maiores sonhos.

Sem planejamento, muitos empresários, por exemplo, começam um negócio sem conhecer seu público-alvo, os fornecedores, a concorrência, os custos fixos e variáveis e acabam fechando as portas antes que o negócio complete dois anos.

A gestão das finanças pessoais é deixada para trás por muitos brasileiros que preferem simplesmente tomar as decisões a partir de “contabilidade mental”.

Observe aí que temos erros bobos, relativamente fáceis de corrigir, mas com grande potencial de prejuízo se nada for feito.

Segundo um estudo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 59,6% das famílias brasileiras estão endividadas, e isso é causado na maioria das vezes por não saber como fazer um planejamento financeiro.

Para conseguir alcançar seus sonhos, metas e manter a sua vida econômica estável, é preciso colocá-lo em prática.

Apesar de ser um assunto que gera bastante dúvida e assusta muita gente, planejar as suas finanças não é uma tarefa tão difícil, apesar de influenciar em praticamente todos os seus hábitos cotidianos.

Somente com um planejamento financeiro bem feito e levado a sério que você conseguirá olhar as suas finanças de fora, analisar os pontos fracos e fortes dos seus ganhos e gastos, e alinhá-los de acordo com os seus planejamentos futuros.

Trata-se na verdade de uma prestação de contas do seu dinheiro para você mesmo e para o seu futuro!

Ao saber quanto a sua família ou só você tem de renda mensal, quanto possuem de gastos mensais, seja de contas fixas e variáveis, o quanto sobra de dinheiro no final do mês e o quanto precisam para alcançar determinado objetivo, é possível alterar os hábitos para conseguir chegar até lá.

Ao aprender como fazer um planejamento financeiro pessoal, você se aproxima de suas metas, das mais simples às ousadas. Afinal, descobre como fazer o seu dinheiro trabalhar a favor delas.

É o que deseja? Então, acompanhe este artigo até o final!

O que é Planejamento Financeiro?

O planejamento financeiro tem como principal objetivo gerar a capacidade intelectual e prática de organizar e lidar com o dinheiro, de modo que haja uma estabilidade financeira ou se atinja objetivos que envolvam uma somatória de dinheiro para tal.

A ideia central do planejamento financeiro é a de antecipar situações que possam comprometer as suas finanças e o desenvolvimento de estratégias que sejam suficientes para alcançar metas financeiras pré-estabelecidas.

Como já mencionado, um planejamento financeiro não é um bicho de sete cabeças, mas exige o cumprimento de algumas regras e diretrizes necessárias para dar certo.

Por conta disso, dividimos o planejamento financeiro em 3 etapas: definir metas, traçar estratégias e feedbacks para aprimorar o processo de planejamento.

Para que essas 3 etapas façam sentido, é preciso incluir informações precisas sobre os seus ganhos e gastos, baseando-se em seus hábitos de consumo diários ou mensais.

Tais dados irão auxiliá-lo nas projeções de possíveis cenários financeiros futuros.

Faz parte também do planejamento financeiro, a análise de quais ações estão funcionando de fato, quais deram errado e quais deram certo até então, e fazer possíveis reajustes, se necessários, de acordo com os seus objetivos financeiros.

É preciso também atualizar os dados financeiros sempre que uma mudança ocorrer, como é o caso de aumento ou diminuição salarial, aumento de contas mensais, entre outros gastos.

Para que serve um planejamento pessoal?

Ele serve para organizar as ações para alcançar metas financeiras e, assim, pode ser utilizado para quitar dívidas, pagar as contas em dia, comprar uma casa, carro ou multiplicar seu patrimônio.

Infelizmente, tudo isso ainda parece uma realidade distante, pois, no Brasil, não temos desenvolvida a cultura da valorização da educação financeira.

As famílias pouco falam sobre dinheiro (tratam do tema apenas quando surge um problema financeiro) e nas escolas, também, não encontramos projetos de peso desenvolvidos por profissionais gabaritados para tratar do assunto “dinheiro” com propriedade.

Por conta dessa realidade, da economia e dificuldades de um país em desenvolvimento, o planejamento financeiro se torna fundamental em todas as famílias, que precisam, em alguns casos, até de ajuda profissional para desenvolvê-lo.

Tipos de Planejamento Financeiro

Planejar é preciso em qualquer setor da nossa vida e também deve ser aplicado para diferentes grupos e intuitos.

Por conta disso, existem diversos tipos de planejamento financeiro que são destinados para cada tipo de pessoa e para cada tipo de finalidade.

São eles: planejamento financeiro pessoal, planejamento financeiro familiar e planejamento financeiro empresarial.

O planejamento financeiro pessoal, como o próprio nome já sugere, é focado em apenas uma pessoa.

Por isso, é voltado para os gastos e planejamentos pessoais.

Já o familiar se direciona para as condições financeiras da família e os objetivos comuns entre ela.

O planejamento financeiro empresarial foca na situação financeira dos negócios e como planejar melhorias na empresa.

Conheça um pouco mais sobre cada um desses tipos de planejamento:

Planejamento Financeiro Pessoal

Planejamento Financeiro Pessoal

Para que os seus gastos pessoais sejam controlados e coincidam com os seus objetivos pessoais de vida, é preciso planejar.

Neste momento, você não inclui a renda familiar ou os gastos de outrem. Este planejamento é todo seu e para os seus objetivos.

Para isso, monte uma planilha de gastos no computador com todos os seus gastos diários, semanais e mensais, anotando desde um gasto pequeno até as contas mais pesadas.

O importante é nunca deixar de informar os gastos. Tendo juros em alguma aplicação, procure sempre observá-los e anotá-los.

Como os objetivos de vida nesse tipo de planejamento são exclusivamente seus, coloque-os no papel e pense na quantia necessária para atingi-los.

Só assim você poderá analisar se os seus gastos e ganhos estão coincidindo com a sua meta.

Planejamento Financeiro Familiar

Ter as contas da família em dia e um controle de gastos eficaz é fundamental para uma boa vida.

Diferentemente do planejamento pessoal, o familiar envolve outras pessoas, por isso é mais delicado e até mesmo mais necessário.

Além disso, envolve muito mais informações relacionadas a gastos, recebimentos e planos maiores e, na maioria dos casos, mais caros.

Além de alcançar uma meta comum para a família, como a compra de um novo apartamento, por exemplo, o planejamento familiar é necessário para manter as contas sempre em dia.

Em grande parte dos casos, as famílias se endividam por não conhecerem a fundo os gastos da família e de cada componente da casa.

Com isso, acabam ignorando outros gastos, não os contabilizando e adicionando metas que são inatingíveis nessa situação.

Por conta disso, catalogar as despesas da família é a forma mais eficaz para melhorar esse controle.

Em uma planilha, separe os gastos e ganhos dos membros da casa, para que você tenha um olhar completo do que entra e sai de dinheiro mensalmente.

Só assim será possível analisar quais gastos são desnecessários e quais são fundamentais, podendo alterá-los de acordo com os planos financeiros da família.

Planejamento Financeiro Empresarial

Para concretizar a sua ideia de negócio, o planejamento financeiro empresarial é essencial.

Isso se aplica para manter dinheiro em caixa e também para expansões ou outras metas de crescimento da empresa.

Por conta disso, o planejamento financeiro faz parte do plano de negócios de qualquer empresa.

Saber onde a sua empresa está e onde ela quer chegar faz parte do cotidiano empresarial, que sempre se modifica à medida que as conquistas acontecem.

Por isso, o planejamento financeiro além de ser um ponta pé inicial, percorre toda a vida de uma empresa, alterando valores de entrada, saída e também as metas da empresa.

Manter a empresa com fluxo de caixa, com dinheiro suficiente para pagar fornecedores, funcionários, comprar materiais, manutenção de equipamentos, contas fixas, entre outros gastos, precisam estar bem definidos e explicitados em controles rígidos por um setor responsável.

Só assim, a gerência da empresa poderá analisar a receita mensal e o quanto possui disponível para novos investimentos.

Como montar um planejamento financeiro em 11 passos

Para começar a montar um planejamento financeiro pessoal, o primeiro passo deve ser reunir o maior número de informações possíveis sobre a sua realidade financeira.

Separe extratos de conta corrente e de investimentos, comprovantes de compras, comprovantes de renda, entre outros documentos que o ajudem na primeira análise da sua situação financeira.

É importante levantar o patrimônio que você possui e também as dívidas para conhecer a real situação patrimonial – o objetivo é elaborar o planejamento financeiro pessoal de forma adequada e, principalmente, realista.

Uma questão importante e que precisa ser considerada com todo cuidado por quem possui dívidas é ficar atento às taxas de juros. Em muitos casos, a melhor saída pode ser renegociar as dívidas.

Aqueles que já estão investindo devem observar a rentabilidade dos produtos que possuem e se o risco ao qual se expõem está de acordo com o seu perfil de investidor.

A reavaliação da carteira de investimentos também faz parte do processo de planejamento financeiro pessoal.

Confira:

Como Fazer um Planejamento Financeiro Pessoal em 10 Passos Simples

A maior parte das pessoas busca saber como colocar em prática o planejamento financeiro pessoal, pois servirá de norte para outros tipos de planejamento.

Como já mencionado, essa não é uma tarefa tão difícil e inclui 10 passos principais que são simples de serem colocados em prática. Confira:

Quite Suas Dívidas

É praticamente impossível planejar e alcançar algum objetivo que envolva o seu dinheiro, se houver dívidas ainda em aberto em seu nome.

Quitar as dívidas deve ser prioridade antes de qualquer outro gasto ou objetivo.

Só dessa forma você conseguirá manter um equilíbrio financeiro mensal e, quando quitadas, conseguir uma economia suficiente para algum objetivo maior.

A maior parte das dívidas pessoais envolve cartão de crédito, cheque especial, boletos de bancos, de financiamentos, entre outros.

Se a dívida não for quitada, os juros compostos só aumentam gradativamente, o que torna uma dívida pequena em uma verdadeira bola de neve.

Para não deixar nenhuma dívida passar em branco e acumular taxas e juros desnecessários por conta de desorganização, liste em uma planilha todos os seus boletos mensais, desde aqueles mais em conta até as contas mais pesadas.

Assim, você poderá enxergar o que está devendo, para quem e quanto falta para quitar.

Liste o valor atual da dívida, adicionando os juros que estão sendo cobrados.

Pagando as contas fixas e variáveis que não estão atrasadas, use o que sobrar para ir quitando as que estão em dívida.

Mesmo que não sobre muito da sua renda para essa finalidade, pague o que conseguir, sempre priorizando as dívidas de maior valor, como cartão de crédito e cheque especial.

Estas são as mais caras e acumulam maiores juros. Fique atento para o parcelamento não consumir nunca mais de 30% da sua renda líquida mensal.

Para te ajudar a quitar suas dívidas, você pode optar por um empréstimo pessoal com o Bom Pra Crédito.

Você consegue um empréstimo perfeito de acordo com as suas necessidades e possibilidades financeiras.

Confira como conseguir o seu empréstimo pessoal.

Use uma Planilha Para Controlar Seus Gastos

Use uma Planilha Para Controlar Seus Gastos

Organização é a forma mais eficaz de conseguir colocar em prática um bom planejamento financeiro.

E uma das formas mais usadas para isso são as planilhas de gastos. Geralmente, quem planeja suas finanças utiliza o Excel para montar suas planilhas e se organizar.

Fazer o controle financeiro utilizando o Excel é algo relativamente simples, pois não é necessário conhecimento avançado para utilizar a ferramenta.

Existem muitos modelos de planilhas, algumas inclusive oferecem gráficos que facilitam a visualização da evolução dos gastos e receitas.

Ela pode ser criada do zero – em um programa como Excel ou Google Sheets – ou ser baixada diretamente e gratuitamente no link abaixo. Você pode criar sua própria planilha utilizando os diversos exemplos espalhados pela internet.

Lembre apenas que é fundamental, ao elaborar o planejamento financeiro e consequentemente sua planilha, que as despesas e receitas estejam muito bem detalhadas e categorizadas.

Evite itens na sua planilha que são nomeados como “Outros” e “Diversos”, pois, para o planejamento funcionar, os detalhes são fundamentais.

Não adianta gastar e não saber para aonde foi o dinheiro, certo?

Lembre ainda que o cartão de crédito é uma forma de pagamento e não um grupo de gastos. Portanto, ao efetuar o pagamento do supermercado com ele, o valor dessa despesa deverá ser alocado nos gastos de “supermercado” e não em uma despesa “cartão de crédito”.

Além disso, uma dica: baixar uma planilha com estrutura pronta no Bom Pra Crédito, não exige que a pessoa domine técnicas de ferramentas para criação de tabelas, como Excel, além de ser mais rápido e mais prático para quem não dispõe de tempo para essa montagem.

Independentemente do tipo e do modo que você irá aplicar para ter a sua planilha, essa é a única forma de controlar todos os seus gastos, ganhos, todas as suas ações relacionadas ao seu dinheiro, e planejar o quanto pode gastar por semana ou por mês para poder atingir determinado objetivo.

Confira o nosso post especial sobre planilha de gastos e o modelo gratuito que o Bom Pra Crédito oferece para você baixar

Saiba Exatamente Quanto Você Ganha e Quanto Você Gasta

Ao colocar em cheque todos os seus gastos diários, semanais e mensais, e o quanto ganha no mês, você consegue enxergar de uma forma mais ampla toda a sua realidade financeira.

Só assim, é possível se organizar de fato e planejar novos feitos. Para isso, use das dicas anteriores para dispor essas informações. As planilhas são as mais indicadas para isso!

Evite Comprar Coisas Desnecessárias

Se você tem uma meta em sua vida, como a compra de um carro, por exemplo, é preciso focar os seus esforços e as suas finanças nisso!

Ou se você está um pouco “apertado” em suas finanças mensais e precisa ainda quitar dívidas, também é preciso colocar o pé no freio.

Por isso, evitar comprar coisas desnecessárias é necessário.

Evite comprar sapatos, roupas, fazer viagens caras, comprar peças decorativas, entre outros itens que não farão diferença e não são uma necessidade em sua vida.

Pense que esse bloqueio é temporário e voltado para um bem maior.

Para conquistar grandes coisas, é preciso passar por algumas restrições, se necessário.

Negocie Para Comprar Com Descontos

Negocie Para Comprar Com Descontos

Outra forma de manter um planejamento financeiro é sempre tentar negociar suas compras com descontos e pelo preço mais baixo.

Evite ir a lojas caras, que vendem os mesmos produtos que outras, mas que se valem de nome e propaganda para cobrarem mais caro.

Busque promoções, lojas mais em conta e, sempre que possível, negocie suas compras junto ao vendedor.

Se você já é cliente de muitos anos de uma loja ou comprou em grande quantidade, é mais fácil conseguir essas barganhas!

Compre à Vista Caso Consiga Descontos Por Isso

Como mencionado acima, conseguir descontos é uma forma de economizar dinheiro.

Para conseguir isso, comprar à vista pode ajudar você nessa negociação.

Além disso, evita que mais um financiamento se forme, evitando também mais dívidas mensais e auxiliando na sua economia.

Tenha um Objetivo Financeiro Concreto

Um bom planejamento financeiro inclui também objetivos concretos.

Muita gente começa, por diversas vezes e em vários momentos da vida, a guardar dinheiro.

Fazem isso até mesmo por períodos relativamente longos, em alguns casos até por anos, mas não conseguem ver propósito no ato de poupar e acabam gastando o dinheiro de uma hora para outra.

É importante que exista um objetivo para o dinheiro: o motivo bem claro funciona como um motivador adicional para você poupar e investir melhor o que guarda.

Sem objetivos, o planejamento não faz tanto sentido, pois é para atingi-los que movemos esforços financeiros.

Para conseguir atingir suas metas e objetivos, é preciso colocar o pé no chão e colocar no planejamento um objetivo alcançável.

Ou seja, que seja possível de acordo com a sua realidade financeira mensal.

Mesmo que o seu objetivo financeiro não seja tão vultoso, é preciso que ele seja concreto e muito bem definido para que as ações sejam colocadas em prática de acordo com as necessidades para alcançá-lo.

Defina seus objetivos como de curto, médio e longo prazos. A partir daí, faça projeções de quanto vai precisar de dinheiro para realizar seu objetivo.

Dependendo do tempo (maior ou menor), você deverá escolher investimentos diferentes (mais ou menos arriscados, com maior ou menor potencial de retorno).

Um bom exemplo para demonstrar a ideia é um jovem com 20 anos que deseja alcançar a independência financeira aos 65.

Como o objetivo é de longo prazo, faz todo sentido ele aproveitar boas oportunidades na renda variável (com até 50% do patrimônio lá, por exemplo), visto que o tempo ao seu favor diminui o risco

Tome Cuidado Com o Cartão de Crédito e o Cheque Especial

Um erro grave que muitos brasileiros cometem é recorrer a fontes caras de crédito, como o cartão e o cheque especial, para conseguir dinheiro rápido.

Para conseguir atingir algum objetivo financeiro, muitas pessoas acabam entrando de cabeça em dívidas no cartão de crédito e apelando para o cheque especial.

Isso até pode ser uma alternativa viável, mas sem que as parcelas de um empréstimo ou de um cartão de crédito comprometam o seu planejamento e sua renda.

Caso você atrase alguma parcela do cartão de crédito ou não tenha fundos suficientes para cobrir o cheque especial, os juros e taxas são altos e agregam à dívida a cada mês de inadimplência.

O que era uma dívida pequena, acaba virando uma bola de neve que impede um planejamento financeiro equilibrado.

Por isso, tome bastante cuidado com as taxas, com os juros de cada banco e financeira para não entrar em uma furada e, se contratar, atente-se sempre em pagar tudo em dia!

Está endividado (a)? No Bom Pra Crédito, você consegue um empréstimo pessoal online de acordo com as suas necessidades e consegue quitar as dívidas. Confira como conseguir o seu empréstimo online.

Fuja desses vilões sempre que puder, já que sua utilização está atrelada a cobrança das maiores taxas de juros praticadas no mercado.

Pratique Bons Hábitos Financeiros ou os ajuste

Pratique Bons Hábitos Financeiros

A mudança ou ajuste nos hábitos é essencial para quem busca a educação financeira como um estilo de vida.

Os bons hábitos financeiros incluem muitos aspectos, dentre eles o de não gastar com o desnecessário e evitar compras por impulso.

Para dar fim neste hábito e manter as finanças sempre em dia, comece a planejar suas compras. Pesquise preços, descontos, condições de pagamento e compre somente quando precisar.

Outro bom hábito é sempre o planejamento, que vai desde o mais básico (que compõe a sua renda mensal) até o mais elaborado para atingir metas futuras.

Na hora de gerenciar suas finanças, comece planejando metas de gastos para o mês seguinte.

Defina quanto você pode gastar em cada categoria do seu orçamento, sempre deixando em primeiro lugar as despesas fixas que são essenciais para sua vivência, como aluguel ou a parcela da casa própria, condomínio, mensalidades da escola, entre outras.

Após isso, defina as despesas variáveis, que não deixam de ser essenciais, como conta de luz, gás, telefone, internet e supermercado.

Se você não possui dívidas ou já quitou as existentes, é possível que você consiga criar uma reserva financeira para atingir seus objetivos.

Esse é um bom hábito financeiro para se resguardar em casos de emergência e também para atingir suas metas financeiras.

Para isso, reserve pelo menos 15% da sua renda líquida mensal para formar esta reserva financeira, que deve corresponder de três a seis meses do seu salário.

A transformação começa ao abandonar o consumo simplesmente por status, afinal, a transformação da educação financeira nos apresenta um mundo real onde o bem-sucedido não se sente realizado por demonstrações ou ostentação, mas sim por conquistas pessoais.

Entenda que, às vezes, é preciso mudar para seguir seu planejamento financeiro

O seu planejamento, se feito usando dados reais e confiáveis, vai representar um pouco da sua realidade financeira atual. Ainda que ele não apresente dados muito agradáveis, é preciso entender que os números não mentem.

Parte importante da disciplina diz respeito a se adaptar às mudanças que possam se fazer necessárias durante o processo. Pode ser que você tenha que recusar convites de amigos para sair, adiar uma viagem ou trocar as marcas que compra.

Por vezes, a mudança é etapa fundamental para economizar, poupar e investir para realizar sonhos maiores.

Procure Conhecimentos Sobre Investimentos Para Multiplicar Seu Dinheiro

Fazer o dinheiro render não é uma tarefa tão fácil para pessoas leigas.

Investir é possível, mas é necessária uma estratégia elaborada e consciente.

O bom investidor sabe o que quer, se mantém informado e sempre busca novas oportunidades de angariar mais conhecimento.

Muitos acabam investindo em contas poupança, sem saber que este modo do investimento não gera mais o retorno de antigamente.

Para evitar investimentos ineficazes, procure buscar mais conhecimentos sobre como multiplicar o seu dinheiro. Exemplo disso é o Tesouro Direto, CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI (Letras de Crédito Imobiliário), entre outros.

O Brasil, mesmo em períodos de crise, se mantém cheio de oportunidades para quem quer investir e enriquecer.

Temos por aqui investimentos de renda fixa que funcionam muito bem para construir uma reserva financeira, dar os primeiros passos nesse universo ou diversificar a carteira.

Ao mesmo tempo, quem tem perfil para correr certo risco, pode achar a renda variável interessante, com rentabilidade bem mais atrativa.

A Bolsa acima dos 100 mil pontos é só o começo – e quem possui uma boa estratégia pode lucrar muito com a valorização de nossas empresas.

Monitore seu controle financeiro e de seus investimentos

Como mencionamos, o planejamento pode e deve ser revisitado durante todo o percurso.

Assim como é importante se manter vigilante quanto aos seus ganhos, também é essencial acompanhar o andamento dos seus investimentos.

Dependendo do tipo de aplicação, se ela for pós-fixada e estiver indexada a um indicador que sofrer queda no período, por exemplo, pode ser necessário rever a estratégia.

Só tenha o cuidado de não se precipitar em seus movimentos de análise, especialmente no mercado de ações.

Monitorar investimentos, nesse caso, não significa vender seus papéis na primeira oscilação que acontecer. Tenha calma e pense a longo prazo.

Organize suas contas pessoais

Organização é algo primordial para quem pretende desenvolver o controle financeiro e também é uma das exigências básicas para um bom planejamento financeiro pessoal.

A boa notícia é que existem diversas formas de organizar as contas pessoais. E, para colocar ordem na casa, muitas vezes, basta apenas começar.

Um controle financeiro pessoal simples pode ser suficiente para garantir ótimos resultados, e ele pode ser feito inclusive usando uma caderneta, na qual os valores de receitas e despesas são inseridos.

Algumas pessoas preferem utilizar ferramentas para se organizar. Uma planilha de controle financeiro, utilizando o Excel, é uma alternativa que funciona muito bem.

Aprenda que educação financeira é um conhecimento rentável

A educação financeira é muito mais do que simplesmente falar sobre dinheiro ou ficar apenas alimentando planilhas. Educação financeira é sinônimo de liberdade!

Ao vivenciar na plenitude os conceitos da educação financeira, as pessoas passam a valorizar a gestão e as escolhas conscientes, descobrindo que a conquista dos sonhos é mais rápida (e barata) quando feitas com planejamento.

Educação financeira é valorizar os recursos, aprendendo a construir cada vez mais com menos.

Economize seu dinheiro periodicamente

A educação financeira abre portas para a construção de patrimônio.

A economia periódica é importante, afinal, o planejamento financeiro que funciona é aquele que constantemente é revisto e aprimorado. Economize e invista sempre, pois isso facilita seu caminho para a independência financeira.

E para saber como está sendo a jornada, separe um período do ano para fazer a revisão de seu planejamento.

Invista e economize inclusive quando tudo parece estar indo bem demais, pois são nesses momentos que costumamos sair fora da linha.

Viva de acordo com a sua condição financeira

Parte da disciplina que é tão necessária para o sucesso do seu planejamento financeiro vem do entendimento que você deve viver de acordo com a sua condição financeira.

Gastar com objetos de luxo ou viagens pode ser tentador, mas, daqui a alguns meses, você tende a se arrepender do prazer momentâneo.

Por isso, preze por sua saúde financeira em longo prazo e faça escolhas inteligentes.

Por fim, tenha disciplina!

Seja dentro de um domicílio ou em uma empresa, é importante se lembrar de que o planejamento financeiro não estará cumprindo sua função se não for constantemente revisitado e atualizado de acordo com as percepções do dia a dia.

Nele, estarão descritos os gastos com materiais e mão de obra e a projeção do que se espera ganhar dentro daquele período.

A intenção é garantir que, depois de pagas todas as despesas, sobre um dinheiro para investir – e isso vale tanto para empresas quanto para famílias.

E ter disciplina é essencial para que você chegue até o ponto de conseguir utilizar o que resta da sua renda para garantir um futuro mais seguro.

Ainda que você monte um planejamento impecável e extremamente preciso, de nada ele vai adiantar se quem manipula o dinheiro não for organizado e diligente para gastar somente conforme está estipulado.

Ao chegar até aqui, você deve estar se perguntando o que precisa fazer para manter o seu planejamento financeiro em dia. Essa não é uma tarefa tão fácil, é claro.

Mas, com uma boa dose de organização e seguindo as recomendações abaixo, o desafio fica muito menor.

Importância do Planejamento Financeiro Pessoal na Sua Vida

Importância do Planejamento Financeiro Pessoal na Sua Vida

Lidar com números e finanças não é uma tarefa fácil, e fica ainda mais difícil se não há um planejamento claro e simples.

O maior objetivo do seu planejamento financeiro é conduzir um indivíduo rumo à concretização de seus grandes sonhos e a manter uma condição de vida financeira favorável para sua subsistência.

Para conseguir atingir nossos objetivos, é preciso conhecer a nossa realidade e, a partir disso, os gatilhos que temos em mãos para alcançá-los.

Não é possível chegar a lugar algum sem planejamento.

Vantagens de um Bom Planejamento Financeiro Pessoal

Só existem vantagens advindas de um bom planejamento financeiro pessoal.

Ter o controle dos seus gastos é uma forma de conhecer a sua realidade financeira e os seus potenciais para alcançar novas conquistas.

Além disso, lhe dá motivos maiores para almejar novos sonhos, uma vez que planejar lhe abre a mente para tal.

Ter um bom planejamento pessoal evita também que suas tarefas sejam interrompidas por falta de dinheiro ou por dívidas que surjam por falta de planejamento.

Antes de qualquer coisa, planejar suas finanças é parte da sua subsistência.

Dica de ouro: regra 50-30-20

As proporções indicadas pela Regra 50-30-20 ajudam a organizar a vida financeira de quem não sabe por onde começar.

A referência proposta indica que até 50% da sua renda mensal deve ser dedicada aos gastos fixos, aqueles que são essenciais para garantir alimentação e moradia.

As despesas de conforto e estilo de vida – aquelas que são supérfluas – podem ocupar até 30% do seu orçamento, enquanto os 20% restantes devem ser poupados para uma reserva de emergência e investimentos.

Conclusão

Pronto! Agora você já pode começar seu planejamento financeiro e organizar suas pendências.

Não esqueça da dica da disciplina; apenas com disciplina atingimos nossos objetivos.

E o principal do planejamento financeiro é garantir que você atinja os seus, com liberdade e autonomia!

Planejamento financeiro é algo essencial, seja pessoal, familiar ou empresarial.

Qualquer ramo necessita de organização e planejamento para sobreviver e para atingir novos objetivos. Pense no presente e no futuro de forma clara e planeje-se para o amanhã!