Veja agora, você está cometendo estes erros ao lidar com seu dinheiro?

Larissa Carvalho

| 9 minutos para ler

7 erros de planejamento financeiro que te deixam no vermelho

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Evitar esses erros financeiros tão comuns já é um grande passo rumo à tranquilidade financeira! Confira se você está pisando na bola com seu bolso

Existem falhas no planejamento financeiro que comprometem o seu orçamento e te deixam no vermelho?

Antes de conhecer quais são os principais erros de planejamento financeiro que prejudicam o seu bolso, é preciso que você saiba que qualquer problema pode ser solucionado, basta você tomar uma decisão.

A maior parte das pessoas comete erros financeiros sem saber. A falta de preocupação da maioria dos brasileiros com as finanças pessoais é bastante preocupante.

Mais de 60 milhões de brasileiros estão endividados e a média é de quatro contas vencidas para cada pessoa endividada.

E o pior, essas contas têm a tendência de só aumentar, caso a pessoa não saiba administrá-las.

Desse modo, pare e pense: Como anda a sua vida financeira? Você está endividado? Tem as contas equilibradas, mas não possui um fundo para imprevistos? Seu dinheiro até sobra, mas você não se preocupa em investir para multiplicá-lo?

Se hoje você se encontra em uma situação complicada, não tenha medo de encarar os problemas financeiros e mudar as suas atitudes em relação ao dinheiro.

Certamente você não quer passar o resto da sua vida cometendo erros financeiros por simples falta de informação ou leitura.

A hora de é mudar é agora! Por isso, chegou o momento de você analisar suas atitudes e transformar sua vida financeira.

Confira abaixo os nove erros financeiros que a maioria das pessoas comete sem perceber e saiba se você está agindo da mesma forma.

Não ter um planejamento financeiro

Você sabe o quanto ganha e o quanto gasta? O planejamento financeiro é essencial para não ficar no vermelho.

Planejar os seus principais gastos significa ter mais controle sobre as suas finanças.

Antes mesmo de cair o seu salário ou outro tipo de pagamento, você precisa saber para onde vai o seu dinheiro. O ideal é anotar as suas principais despesas em uma planilha de gastos, separando-as por categorias.

É nessa hora que você pode planejar o quanto poderá gastar, por exemplo, com lazer e refeição fora de casa. Não tem erro!

Dicas para planejar os gastos:

  • Anote tudo em um caderno ou planilha de gastos;
  • Defina o quanto pode gastar por categoria, por exemplo: “supermercado”, “lazer”;
  • Esclareça suas receitas (salário e renda extra) e despesas (contas a pagar e principais gastos).

Não controlar os gastos

O salário cai na conta e você sabe quais são as suas despesas do mês: contas a pagar, supermercado, farmácia, entre outras. Bom, isso não é suficiente.

Você já saiu para fazer compras no supermercado e trouxe para casa até o dobro do que pretendia comprar?

Ou foi para o shopping e comprou uma bolsa que não estava nos seus planos? Isto é ocasionado pela falta de planejamento!

Além de planejar os seus principais gastos, é necessário que você tenha disciplina, ou seja, acompanhar a movimentação do seu dinheiro e não gastar mais do que pode.

Comportamentos simples do dia a dia que têm impacto direto na saúde financeira das pessoas ainda são um entrave para muitos.

Quem não está acostumado a controlar os gastos, tem mais chances de chegar no fim do mês apertado ou até mesmo sem dinheiro. Não deixe o descontrole financeiro bater à sua porta!

Dicas para controlar os gastos:

  • Corte ou reduza gastos desnecessários;
  • Fique atento aos pequenos gastos do dia a dia;
  • Não ultrapasse os valores planejados no seu orçamento.
  • Sempre faça listas de compras para não esquecer do que realmente precisa comprar.
  • E caso queira comprar algo que fuja do planejamento, se faça três perguntas: “Eu realmente preciso disso?”; “Eu tenho dinheiro para comprar?”; “Eu posso esperar para comprar depois?”.F

imagem de um homem abrindo uma carteira vazia

Veja mais: Como economizar no mercado: super dicas para gastar menos

Não usar crédito de maneira consciente

Quando usamos o cartão de crédito temos a sensação que, mesmo que não tenhamos dinheiro no momento, conseguiremos pagar, porque a fatura vai chegar depois. 

O ato de parcelar também nos dá essa sensação, pois pagaremos “pequenas” quantias por mês.

Essa é uma das maiores ilusões da vida. Se não sabemos lidar com dinheiro que temos, imagina com uma quantia que nem possuímos!

Crédito é dinheiro emprestado! O cartão de crédito e o cheque especial são os grandes vilões quando o assunto é equilíbrio financeiro.

Se você não controla os gastos com o cartão de crédito e usa o cheque especial com frequência, tende a ter sérios problemas, principalmente se não conseguir se livrar dessas dívidas rapidamente.

Para evitar o descontrole com cartão de crédito e cheque especial, se precisar de dinheiro, prefira linhas de crédito mais baratas, como um empréstimo pessoal. Fuja dos juros altos agora mesmo!

Dicas para usar crédito de maneira consciente:

  • Acompanhe as compras parceladas;
  • Evite ao máximo o pagamento mínimo do cartão;
  • Crédito não é dinheiro: defina o quanto pode gastar e siga à risca.
  • Lembre-se que ao deixar de pagar a fatura você pode entrar no rotativo do cartão, cujos juros são altíssimos.
  • Sempre prefira compras à vista, pois além de ser uma garantia maior de você não se endividar, existe muita possibilidade de conseguir um desconto na hora da negociação de preço.

 

Não negociar as suas dívidas

Você tem dívidas, mas ainda não sabe se deve negociar as suas pendências? A resposta é “sim”, e o quanto antes! Saiba que é possível quitar as suas dívidas mesmo ganhando pouco.

A negociação é a única maneira de você retirar o seu nome no cadastro de inadimplentes e recuperar o acesso ao crédito. Além disso, as dívidas aumentam rapidamente com juros e multa.

Quanto mais tarde você negociar, mais cara sairá a dívida. Não perca tempo: entre em contato com o credor e atualize-se sobre as suas dívidas.

Dicas para negociar as suas dívidas:

  • Peça descontos no pagamento à vista;
  • Concentre várias dívidas em uma única com um empréstimo pessoal.
  • Esclareça as condições de negociação no pagamento à vista ou parcelado;

Não seguir o “padrão de vida” do seu bolso

Você sai comprando tudo o que vê pela frente? Escolhe restaurantes caros para almoçar todos os dias?

Cuidado: seguir um “padrão de vida” que não condiz com o seu bolso pode trazer sérios prejuízos à sua vida financeira.

Por esse motivo, é importante esclarecer o quanto você pode gastar para não ficar no vermelho e, claro, fazer boas escolhas.

Lembre-se de que se você não seguir o “padrão de vida” que o seu bolso pede agora, a sua situação pode piorar lá na frente, e você não vai poder nem consumir o que é mais barato.

Dicas para seguir “o padrão de vida” do seu bolso:

  • Pesquise e compare preços antes das compras;
  • Economize sempre que possível, para equilibrar os gastos;
  • Antes de consumir, pergunte-se: “estou precisando?” e “posso mesmo comprar?”.

Não ter objetivos financeiros

Para algumas pessoas, pensar no futuro pode ser assustador, então, elas focam apenas no presente.

Porém, o planejamento para o futuro não nos impede de continuar focados no presente.

Estabelecer metas e objetivos é essencial para nos ajudar a traçar o caminho que queremos seguir e a alcançar as conquistas que sonhamos. Portanto, também precisamos pensar a longo prazo.

Por exemplo, se o seu sonho é viajar para Londres, mas você não tem condições agora, principalmente pelo fato da libra ter uma cotação muito alta, planeje-se a longo prazo para que daqui a 3 anos você consiga realizá-lo.

Você pode até planejar e controlar os seus gastos, mas se você não tem objetivos financeiros, o seu dinheiro pode ser usado para qualquer fim. E como isso pode prejudicar a sua vida financeira?

Ora, se você não tem um plano, pode gastar seu dinheiro à toa e se arrepender depois. Para evitar que isso aconteça, é melhor você definir quais são os seus objetivos financeiros, de curto, médio e longo prazo.

Ou, se você quer reformar a casa, precisa saber o quanto precisa e o tempo necessário para conseguir o dinheiro.

Claro que para conseguir alcançar uma meta de longo prazo você precisa realizar antes várias metas de curto prazo.

No entanto, se você só pensar a curto prazo, não terá de fato uma meta de grande importância nem conseguirá se dedicar ao máximo. Por esse motivo, você deve pensar no longo prazo e acreditar nos seus sonhos.

Nossa força de vontade pode mover céus e terras. Dedique-se ao máximo para alcançar o que sempre quis!

Dicas para definir os seus objetivos financeiros:

  • Crie metas, defina prazos e valores necessários;
  • Pense nos seus principais sonhos e o que precisa ser feito para alcançá-los;
  • Tenha disciplina para conseguir realizar os seus objetivos nos prazos estipulados

Não ter uma reserva financeira

Já ouviu o ditado “prevenir é melhor do que remediar”? Ele se encaixa perfeitamente no assunto deste tópico. É muito importante ter um fundo de emergência caso aconteça algum imprevisto.

Os imprevistos do bolso podem atrapalhar a sua saúde financeira. Ficar no vermelho porque não se planejou com gastos emergenciais é mais comum do que se imagina.

Imagine que você precise fazer uma cirurgia de última hora e que fuja totalmente do seu orçamento. Você pode recorrer ao seu fundo para emergências.

É óbvio que não queremos que nada de ruim aconteça conosco e com nossas famílias, mas não sabemos o futuro.

Dessa forma, só existe um caminho para evitar esse problema: criando uma reserva financeira. Não importa o quanto você ganha: guarde um pouco do seu dinheiro.

Você pode começar com pouca quantia e ir aumentando o valor até conseguir uma boa reserva. É importante que você não confunda reserva financeira com dinheiro guardado para outros fins, como uma viagem.

Caso não ocorra nenhuma emergência, você pode guardar o dinheiro para sua aposentadoria, por exemplo.

Dicas para criar uma reserva financeira:

  • Guarde um determinado valor todos os meses;
  • Se possível, aumente a quantia para conseguir o saldo desejado mais rápido;
  • Não use a reserva financeira para outra finalidade, apenas para emergências.

Organize as contas para seguir em frente com seus planos financeiros.

Solicite seu empréstimo pessoal

Despreocupação com a educação financeira

Se você ainda mora com os seus pais, então, é provável que você não se preocupe com o orçamento familiar.

Mesmo que você não trabalhe e seja sustentado por eles, é importante desde cedo saber a importância da educação financeira.

Outro detalhe muito importante:

Caso você tenha esse privilégio de ser sustentado e já possua um emprego, aproveite para juntar o máximo de dinheiro possível a partir de hoje, este é o melhor momento da sua vida para isso!

Caso você seja o pai ou a mãe que sustenta os filhos, educá-los sobre finanças desde pequenos vai ajudá-los bastante no futuro, pois já crescerão entendendo o valor do dinheiro.

Se você está começando sua jornada rumo à tranquilidade financeira agora, não desanime. Nunca é tarde para aprender!

imagem de mulher com semblante preocupado apoiada a uma mesa devido a erros de planejamento financeiro

Veja agora: É verdade que muitas dívidas podem gerar problemas de saúde?

Atrasar pagamentos 

Não é só a fatura do cartão de crédito que você não deve atrasar; é qualquer uma.

Planeje-se e programe lembretes para não esquecer, pois em hipótese alguma você deverá pagar juros por atraso.

Parte do seu orçamento deve ir para o pagamento das contas, por isso, é importante ter consciência ao planejar as suas despesas, sejam elas fixas ou variáveis.

Caso você já esteja endividado, planeje-se para pagar suas dívidas ou tente um empréstimo pessoal para pagar todas de uma vez e substituir várias dívidas por uma só.

Comprar um carro sem pensar em todos os custos envolvidos

Ter um carro próprio nos dá a sensação de liberdade e independência. Mas você já pensou em todos os custos que essa compra trará? Além do preço do carro, tem gasolina, revisões, manutenções, lavagens, entre outros gastos.

É um montante de dinheiro muito grande! Então, pense bastante antes de comprar.

Bote na balança o que sai mais em conta para você: comprar um carro ou continuar andando de transporte público e/ou Uber e táxi.

Se você realmente sente necessidade de adquirir um carro, mesmo não tendo orçamento para isso, trace esta meta e opte por um carro seminovo que sai mais em conta.

Gastar muito com festas

Mesmo que você ame festas, analise seu orçamento e priorize apenas as festas importantes, como seu aniversário, de seu filho e Natal, por exemplo.

Não queira organizar festas extravagantes. Sempre respeite seu limite de gastos.

Caso você queira organizar uma festa especial, como seu casamento, defina uma meta e economize para conseguir atingi-la.

Mas lembre-se: não exagere e não faça nada para agradar os outros. A festa é sua e de seu noivo ou noiva, o importante neste caso é vocês gostarem e ficarem felizes.

Não investir

Investir não é só para aqueles que possuem muito dinheiro. Existem ótimas opções para quem não tem um orçamento muito alto, como o Tesouro Direto. Com apenas R$ 30,00, já é possível investir e aproveitar um dos investimentos mais seguros do país.

Mas por que devemos investir?

Principalmente para multiplicar nosso patrimônio e ter tranquilidade financeira.

Agora, independentemente do motivo do investimento, o dinheiro se tornará seu aliado no alcance de metas e objetivos a longo prazo.

Lembre-se que os tipos e riscos de investimento adequados variam de acordo com o perfil de investidor e momento financeiro de cada um.

Se você é novo nessa área, a principal dica é que inicialmente busque alocar seu dinheiro em investimentos mais seguros, mesmo que menos rentáveis.

À medida que for adquirindo mais experiência e tiver mais dinheiro junto, você poderá investir uma parte do seu patrimônio em investimentos mais arriscados e consequentemente mais rentáveis.

Para ajudar, conheça seus erros de planejamento financeiro e saiba como lidar com o dinheiro de maneira mais saudável para o seu bolso! Conte com o Bom Pra Crédito para ajudá-lo nessa caminhada!