7 erros de planejamento financeiro que te deixam no vermelho

Larissa Civita

| 4 minutos para ler

7 erros de planejamento financeiro que te deixam no vermelho

Continua depois da publicidade

Existem falhas no planejamento financeiro que comprometem o seu orçamento e te deixam no vermelho. Antes de conhecer quais são os principais erros de planejamento financeiro que prejudicam o seu bolso, é preciso que você saiba que qualquer problema pode ser solucionado, basta você tomar uma decisão.

Se hoje você se encontra em uma situação complicada, não tenha medo de encarar os problemas financeiros e mudar as suas atitudes em relação ao dinheiro.

A seguir, o Bom Pra Crédito mostra os 7 erros de planejamento financeiro que te deixam no vermelho.

1) Não fazer planejamento financeiro

Você sabe o quanto ganha e o quanto gasta? O planejamento de gastos é essencial para não ficar no vermelho. Planejar os seus principais gastos significa ter mais controle sobre as suas finanças.

Antes mesmo de cair o seu salário ou outro tipo de pagamento, você precisa saber para onde vai o seu dinheiro. O ideal é anotar as suas principais despesas em uma planilha de gastos, separando-as por categorias.

É nessa hora que você pode planejar o quanto poderá gastar, por exemplo, com lazer e refeição fora de casa. Não tem erro!

Dicas para planejar os gastos:

  • Anote tudo em um caderno ou planilha de gastos;
  • Defina o quanto pode gastar por categoria, por exemplo: “supermercado”, “lazer”;
  • Esclareça suas receitas (salário e renda extra) e despesas (contas a pagar e principais gastos).

2) Não controlar os gastos

O salário cai na conta e você sabe quais são as suas despesas do mês: contas a pagar, supermercado, farmácia, entre outras. Bom, isso não é suficiente.

Além de planejar os seus principais gastos, é necessário que você tenha disciplina, ou seja, acompanhar a movimentação do seu dinheiro e não gastar mais do que pode.

Quem não está acostumado a controlar os gastos, tem mais chances de chegar no fim do mês apertado ou até mesmo sem dinheiro. Não deixe o descontrole financeiro bater à sua porta!

Dicas para controlar os gastos:

  • Corte ou reduza gastos desnecessários;
  • Fique atento aos pequenos gastos do dia a dia;
  • Não ultrapasse os valores planejados no seu orçamento.

3) Não usar crédito de maneira consciente

Crédito é dinheiro emprestado! O cartão de crédito e o cheque especial são os grandes vilões quando o assunto é equilíbrio financeiro.

Se você não controla os gastos com o cartão de crédito e usa o cheque especial com frequência, tende a ter sérios problemas, principalmente se não conseguir se livrar dessas dívidas rapidamente.

Para evitar o descontrole com cartão de crédito e cheque especial, se precisar de dinheiro, prefira linhas de crédito mais baratas, como um empréstimo pessoal. Fuja dos juros altos agora mesmo!

Dicas para usar crédito de maneira consciente:

  • Acompanhe as compras parceladas;
  • Evite ao máximo o pagamento mínimo do cartão;
  • Crédito não é dinheiro: defina o quanto pode gastar e siga à risca.

4) Não negociar as suas dívidas

Você tem dívidas, mas ainda não sabe se deve negociar as suas pendências? A resposta é “sim”, e o quanto antes! Saiba que é possível quitar as suas dívidas mesmo ganhando pouco.

A negociação é a única maneira de você retirar o seu nome no cadastro de inadimplentes e recuperar o acesso ao crédito. Além disso, as dívidas aumentam rapidamente com juros e multa.

Quanto mais tarde você negociar, mais cara sairá a dívida. Não perca tempo: entre em contato com o credor e atualize-se sobre as suas dívidas.

Dicas para negociar as suas dívidas:

  • Peça descontos no pagamento à vista;
  • Concentre várias dívidas em uma única com um empréstimo pessoal.
  • Esclareça as condições de negociação no pagamento à vista ou parcelado;

5) Não seguir o “padrão de vida” do seu bolso

Você sai comprando tudo o que vê pela frente? Escolhe restaurantes caros para almoçar todos os dias? Cuidado: seguir um “padrão de vida” que não condiz com o seu bolso pode trazer sérios prejuízos à sua vida financeira.

Por esse motivo, é importante esclarecer o quanto você pode gastar para não ficar no vermelho e, claro, fazer boas escolhas.

Lembre-se de que se você não seguir o “padrão de vida” que o seu bolso pede agora, a sua situação pode piorar lá na frente, e você não vai poder nem consumir o que é mais barato.

Dicas para seguir “o padrão de vida” do seu bolso:

  • Pesquise e compare preços antes das compras;
  • Economize sempre que possível, para equilibrar os gastos;
  • Antes de consumir, pergunte-se: “estou precisando?” e “posso mesmo comprar?”.

6) Não ter objetivos financeiros

Você pode até planejar e controlar os seus gastos, mas se você não tem objetivos financeiros, o seu dinheiro pode ser usado para qualquer fim. E como isso pode prejudicar a sua vida financeira?

Ora, se você não tem um plano, pode gastar seu dinheiro à toa e se arrepender depois. Para evitar que isso aconteça, é melhor você definir quais são os seus objetivos financeiros, de curto, médio e longo prazo.

Por exemplo, se você quer reformar a casa, precisa saber o quanto precisa e o tempo necessário para conseguir o dinheiro.

Dicas para definir os seus objetivos financeiros:

  • Crie metas, defina prazos e valores necessários;
  • Pense nos seus principais sonhos e o que precisa ser feito para alcançá-los;
  • Tenha disciplina para conseguir realizar os seus objetivos nos prazos estipulados

7) Não ter uma reserva financeira

Os imprevistos do bolso podem atrapalhar a sua saúde financeira. Ficar no vermelho porque não se planejou com gastos emergenciais é mais comum do que se imagina.

Só existe um caminho para evitar esse problema: criando uma reserva financeira. Não importa o quanto você ganha: guarde um pouco do seu dinheiro.

Você pode começar com pouca quantia e ir aumentando o valor até conseguir uma boa reserva. É importante que você não confunda reserva financeira com dinheiro guardado para outros fins, como uma viagem.

Dicas para criar uma reserva financeira:

  • Guarde um determinado valor todos os meses;
  • Se possível, aumente a quantia para conseguir o saldo desejado mais rápido;
  • Não use a reserva financeira para outra finalidade, apenas para emergências.

Organize as contas para seguir em frente com seus planos financeiros.

Solicite seu empréstimo pessoal