PIX: os pagamentos instantâneos vão começar. Veja o que muda

Larissa Carvalho

| 3 minutos para ler

homem usando um celular branco sentado a uma mesa sorrindo enquanto apoia um lápis em seu rosto

Resumo da matéria

  • O que é PIX?
  • Como ficarão as transferências via DOC ou TED?
  • Quem poderá usar o PIX?

Continua depois da publicidade

Entenda de que forma essa tecnologia possibilita pagamentos instantâneos e transferências mais rápidas

No início de 2020, o Banco Central anunciou um novo sistema que permite a realização de pagamentos instantâneos e transferências de dinheiro: o PIX. De acordo com essa instituição, ele entrará em vigor em novembro deste ano.

Como estamos diante de um novo conceito, é comum surgir uma série de dúvidas. Neste artigo, a gente vai te explicar o que é PIX, como ele funcionará e de forma ele impactará nossa vida financeira.

O que é PIX?

O PIX é um sistema de transferências de dinheiro e pagamentos instantâneos. Uma de suas funcionalidades é a disponibilização de transações 24 horas por dia, incluindo feriados e fins de semana.

Esse novo recurso tecnológico é reflexo de avanços que poderão mudar a dinâmica do mercado financeiro nacional. Atualmente, quando a gente paga um boleto, a transação é concluída no prazo de 1 a 3 dias úteis.

Com o PIX vai ser diferente.  Em questão de segundos, o pagamento será reconhecido como se você estivesse fazendo uma compra com o cartão de crédito ou débito. Ele contará com 6 características principais:

Disponibilidade: Permitirá que a gente faça 24 horas por dia, sem precisar nos preocupar com feriados e fins de semana.

Velocidade: O valor pago por meio de boletos ou transferências entre contas de todos os bancos do país chegará ao recebedor em, aproximadamente, 10 segundos.

Facilidade: De acordo com o Banco Central, todo mundo vai conseguir usar o PIX, já que ele contará com recursos intuitivos.

Segurança: As transações contarão com o mesmo padrão de segurança da Rede do Sistema Financeiro Nacional (RSFN), além de se basear em tecnologias inovadoras de proteção.

Abrangência: O PIX não será exclusividade dos bancos. Ele também poderá ser usado em operações de financeiras, fintechs, entre outras empresas.

Versatilidade: O PIX permitirá que a gente faça operações financeiras de qualquer valor, seja para pessoas físicas, empresas, lojas físicas ou virtuais e pagamento de impostos, entre outras.

Como ficarão as transferências via DOC ou TED?

No sistema atual, a TED (Transferência Eletrônica Disponível) é realizada quando precisamos enviar dinheiro para contas de outros bancos. O valor é creditado até às 17h do mesmo dia da transferência ou no dia seguinte.

No caso do Documento de Ordem de Crédito (DOC), o dinheiro cai na conta de destino no dia seguinte. Se a transferência for realizada após às 22h, a operação poderá ser concluída em mais de 1 dia útil. O valor máximo de um DOC é de R$ 4.999,99.

É importante que você saiba que, no sistema atual, TED e DOC funcionam somente em dias úteis. As transferências realizadas em finais de semana ou feriados são efetivadas apenas no próximo dia útil.

A tendência é que esses tipos de transferências sejam cada vez menos usadas, já que o PIX permite que a operação seja concluída na mesma hora. Mas isso levará um tempo até que todo mundo já esteja acostumado com o novo sistema.

mulher sentada ao sofá usando o pix através do celular

Veja também: Como pagar seus boletos com cartão de crédito

Quem poderá usar o PIX?

Todo mundo que tem conta em banco (corrente ou poupança), instituição de pagamento ou fintech poderá usar o PIX.  Para realizar as transações, você precisará informar seu número de celular, e-mail, CPF ou CNPJ.

Uma das grandes novidades do PIX é o pagamento por meio do QR Code, modalidade que já é usada por empresas como o Mercado Pago e PicPay. Como essa é uma tendência mundial, o Banco Central também pretende abraçar.

A ideia é que o PIX opere com dois tipos de QR Code:

QR Code dinâmico: O sistema liberará um código exclusivo para cada transação e permitirá que a gente inclua informações a respeito da identificação do recebedor. Dessa forma, será possível impedir desvios de dinheiro, por exemplo.

QR Code estático:  Nesse caso, o PIX liberará um único código que valerá para diversas operações. Por meio dele, as transações poderão ser realizadas com valor fixo ou especificado pelo pagador.

E aí, você está preparado para receber essa novidade que, ao que tudo indica, vai facilitar pagamentos e transferências? Lembre-se de que, como o PIX ainda será implantado, pode ser que ocorram mudanças.

Acompanhe os conteúdos que o Bom Pra Crédito disponibiliza aqui no blog. Assim, você ficará por dentro das principais informações a respeito de empréstimos, renda extra, empreendedorismo e atualizações do mercado financeiro.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *