O que é cheque especial e porque ele pode ser uma armadilha?

Larissa Carvalho

| 13 minutos para ler

Cheque Especial: O que é, Como Funciona, Quais os Juros e Dicas

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Entenda como concordar em pagar por esses juros podem afetar a sua vida financeira

Quem não tem uma reserva de dinheiro para ser usada em uma emergência já passou por isso em alguma situação ao longo da vida: caiu no cheque especial.

A modalidade está aberta para quem tem conta-corrente em um banco e nada mais é do que um empréstimo.

A maioria das pessoas provavelmente já ouviu falar no Cheque Especial, uma opção prática e fácil para quem precisa de dinheiro.

No entanto, esse tipo de empréstimo costuma não ser uma boa alternativa, principalmente devido aos altos juros cobrados.

O pulo do gato do cheque especial é que ele é, na verdade, um crédito pré-aprovado. Ou seja, você sequer precisa conversar com o seu gerente para ter acesso a ele, porque como o nome já diz, ele já foi aprovado em um valor específico e está lá disponível para ser usado quando você precisar.

Você não tem certeza se vale a pena usar o cheque especial ou quer saber mais sobre como ele funciona?

Então confira a seguir as principais informações sobre esse tipo de crédito oferecido pelos bancos e tire todas as suas dúvidas!

O que é Cheque Especial e para que serve?

Uma situação muito comum que os brasileiros precisam enfrentar é a falta de dinheiro no final do mês.

Isso se deve a inúmeros fatores e imprevistos, desde uma fatura de cartão de crédito muito alta até o recebimento de uma multa inesperada.

O fato é que o dinheiro que a pessoa possui na conta corrente não é suficiente para quitar todas as suas dívidas.

É nesse momento que elas costumam recorrer ao Cheque Especial, um tipo de “empréstimo automático” oferecido pelos bancos e que, à primeira vista, parece ser uma boa opção para se livrar do aperto.

O Cheque Especial, portanto, é uma linha rotativa de crédito pré-aprovada à disposição do cliente no banco em que tem conta corrente.

Em outras palavras, é um dinheiro que fica disponível para ela utilizar quando o valor em sua conta não é suficiente para pagar o que ela precisa.

A principal característica desse tipo de crédito, e que o torna tão popular, é a praticidade e facilidade de consegui-lo.

Nesse caso, o correntista pode sacar o dinheiro diretamente no caixa eletrônico, ao contrário do que ocorre com o empréstimo pessoal, o qual requer que o cliente vá ao banco, enfrente filas, negocie as condições e assine um contrato.

Como funciona o Cheque Especial?

Apesar de muitas pessoas já terem usado o Cheque Especial em algum momento da vida, o certo é que a maioria delas não entende como esse tipo de crédito realmente funciona.

E é exatamente isso que o torna tão perigoso para as suas vidas financeiras.

Apesar de ser um empréstimo que o banco te concede, essa linha de crédito é diferente de um empréstimo normal, que você divide o pagamento em parcelas fixas.

No cheque especial o valor da sua dívida é calculado novamente todos os dias, e quanto mais tempo você fica sem devolver o dinheiro ao banco, mais vai ser cobrado.

Isso acontece porque a cobrança é realizada sob juros compostos, que é você paga em cima do acumulado da dívida, por isso é mais lucrativo para os bancos. Na prática, os juros são aplicados em cima dos juros do dia anterior. 

Então, no primeiro dia, a taxa incide sobre o total inicial devido, já no segundo dia recai sobre o valor inicial mais o juro do dia anterior e assim por diante.

Basicamente, o cheque especial funciona da seguinte maneira: quando estiver sem saldo em conta corrente, a pessoa pode solicitar o Cheque Especial diretamente no caixa eletrônico do seu banco.

A pessoa pode sacar a quantia disponível sem maiores dificuldades, ou utilizar o crédito por meio de cheque, cartão de débito, pagamentos ou transferências.

Quando o salário ou outro dinheiro cair na sua conta corrente, a instituição irá descontar a quantia emprestada corrigida, ou seja, com juros previamente estabelecidos, correção monetária e incidência do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Exemplo de Cheque Especial: se você possui R$ 600 em conta corrente e o seu limite de Cheque Especial for de R$ 1.000, isso significa que você pode gastar um valor total de R$ 1.600, que é a soma do saldo mais o crédito disponível para você.

Olhando assim, realmente parece uma boa ideia ter um dinheiro sempre disponível para quando precisar, não é mesmo?

No entanto, esse tipo de crédito pode ser muito prejudicial, uma vez que possui juros muito altos que podem comprometer as finanças pessoais.

Vale ressaltar que o valor disponível para cada cliente depende da avaliação do banco e que, quanto maior o limite do Cheque Especial, mais perigoso se torna recorrer a ele.

Um dos maiores juros do mercado de crédito

Quer saber por que a taxa de juros que você paga para poder usar o cheque especial é uma das mais altas do mercado brasileiro? Simples, porque é um limite liberado para você sem garantia nenhuma, então o risco do banco é alto.  

Quando algum dinheiro cair na conta corrente que está negativada, a instituição vai descontar a quantia emprestada corrigida. Isso quer dizer que além do valor usado, o consumidor ainda vai pagar juros previamente estabelecidos, correção monetária e incidência do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

O valor do IOF cobrado gira em torno de 0,38% + 0,0082% ao dia sobre o valor contratado.

Lembrando que o recolhimento do imposto é mensal, mas sua taxa é diária. Sendo assim, vale a pena ficar atento a esse valor que pode aumentar ainda mais a sua dívida.

O que significa entrar em Cheque Especial?

 O que significa entrar em Cheque Especial?

Quando um cliente gasta um valor superior ao que possui em sua conta corrente, ele entra no Cheque Especial.

Feito isso, ele fica com um saldo negativo em sua conta corrente até que o valor seja devolvido ao banco.

Quais as novas regras do Cheque Especial

Em janeiro de 2020 começaram a valer as novas regras do cheque especial, uma medida estabelecida pelo Banco Central (BC) para regulamentar as taxas cobradas pelos bancos.

Antes dessa mudança, os juros desse tipo de serviço era em média de 12% ao mês.

O valor desses juros chegaram a mais de 300% ao ano em novembro de 2019, um valor que pode ser considerado abusivo por quem depende desse tipo de salvação financeira todos os meses.

Mas para tentar regulamentar essa cobrança, o BC limitou os juros do cheque especial a 8% ano mês.

Esse valor de 8% está sem o acréscimo de IOF, por exemplo, o que já fez alguns economistas questionarem a eficácia dessa baixa, uma vez que o processo não tem transparência e o cliente não tem ideia de como calcular esses juros e eles podem acabar bem mais caros do que os 8% divulgados a depender do comportamento do consumidor.

Uma outra medida aprovada pelo BC foi a autorização da cobrança de taxas para disponibilizar o cheque especial.

A instituição financeira vai poder cobrar uma tarifa máxima de 0,25% só para que os clientes tenham acesso ao cheque especial que ultrapassar R$ 500. 

Segundo a decisão, essa cobrança não fica restrita apenas a quem usar o cheque especial, mas para quem não usá-lo também. É uma tarifa que as pessoas vão pagar só para que o cheque especial esteja lá na conta delas. 

Qual a melhor forma de sair do Cheque Especial? 5 dicas:

Entrar em cheque especial sem dúvida é uma coisa muito fácil.

Isso, aliás, é um dos pontos que levam as pessoas a optarem pelo crédito.

O problema é quando essa dívida se torna uma bola de neve e a pessoa se vê diante de uma quantia extremamente alta para pagar. O que fazer nesse momento?

Se você já está nessa situação, não se preocupe. Para te ajudar, listamos a seguir 5 dicas de como sair do Cheque Especial. Confira!

1. Faça um empréstimo pessoal para reduzir os juros

Você sabia que quando o cliente usa mais de 15% do cheque especial por 30 dias seguidos o banco tem a obrigação de oferecer ao seu correntista uma opção mais barata de crédito?

Isso acontece porque a depender da taxa que o banco cobra pelo cheque especial (isso pode variar de banco para banco), vale mais a pena solicitar um empréstimo do que continuar pagando os juros.

Como você já sabe, em 2020 o BC limitou o juros do cheque especial em 8% ao mês + pagamento de outras tarifas, mas a aquisição de um empréstimo pessoal em mais de 30 parceiros de instituições financeiras do Bom Pra Crédito começam seus juros a partir de 1,59% ao mês.

A primeira dica para você que deseja sair do Cheque Especial é fazer um empréstimo pessoal para que os juros da dívida sejam reduzidos.

Essa costuma ser uma boa alternativa para as pessoas que estão com algum tipo de dificuldade financeira, além de ser muito mais vantajosa.

Além de ser uma escolha segura e sem burocracia, você pode fazer tudo online, ainda pode contar com a comparação dessas tarifas, parcelas e outras facilidades.

Quem passa por algum tipo de dificuldade financeira e não consegue sair do cheque especial, pode considerar essa alternativa como uma opção mais vantajosa.

Isso porque esse tipo de crédito possui uma taxa de juros menor do que a oferecida pelo Cheque Especial.

Assim, você garante que o valor devido não será tão alto como acontece com o tipo de crédito do cheque especial.

Se você deseja contratar um empréstimo pessoal, confira as opções do Bom Pra Crédito e te ajudaremos a encontrar as melhores taxas de juros e parcelas para o seu bolso.

2. Negocie com o banco

É muito fácil que o cheque especial vire uma bola de neve, o que não deixa de ser um cenário totalmente possível o de você passar a receber o salário na conta e praticamente tudo ser tomado pelo banco como pagamento do cheque especial.

Se você precisou recorrer ao Cheque Especial frequentemente nos últimos meses e está com dificuldades para quitar a dívida adquirida, uma saída é conversar com o seu gerente a fim de negociar com o banco.

O banco quer que você pague essa dívida, então entre em contato com o seu gerente e veja como pode se livrar do cheque especial.

O contrato do empréstimo pessoal pode te ajudar nessa fase, para negociar melhores condições de pagamento

Em geral, as instituições costumam facilitar esse tipo de negociação, já que elas são as principais interessadas no pagamento da dívida.

Faça isso e você terá uma saída para se livrar do Cheque Especial, seja com juros menores ou mesmo com a troca da dívida, como na dica anterior.

3. Parcele a dívida do Cheque Especial

Parcele a dívida do Cheque Especial

Se você preferir não solicitar um empréstimo pessoal, ainda pode ver junto ao banco uma forma de parcelar essa dívida. 

Você pode pagar uma quantia fixa mensal ao banco por determinado período, o risco de permanecer endividado é menor.

Mas, nesse período você precisa  não recorrer novamente ao Cheque Especial, principalmente enquanto você não zerar o débito com o banco.

4. Reduza o limite do seu Cheque Especial

Muitos bancos oferecem uma série de facilidades para o cliente usar o cheque especial, inclusive um limite bem alto.

Aparentemente isso pode ser uma boa opção, especialmente nos momentos de aperto, mas na verdade só faz com que a dívida se torne ainda maior.

Sendo assim, para não cair nessa armadilha, a dica é pedir ao banco para reduzir o limite do seu cheque especial.

Assim, você não corre o risco de usar aquele dinheiro disponível como se fosse uma extensão dos seus rendimentos, deixando-o apenas para as situações de real necessidade.

Caso você sinta que é arriscado ter esse dinheiro disponível, pode pedir ao banco para cancelar o seu Cheque Especial.

Desse modo, você se livra de uma vez por todas do risco de ter a conta negativada por esse tipo de crédito.

5. Controle suas finanças pessoais

Controle suas finanças pessoais

Por último, e não menos importante, vale dizer que a melhor forma de se livrar do cheque especial é ter maior controle sobre suas finanças pessoais.

Essa situação é bastante comum entre os brasileiros, os quais geralmente não têm uma educação financeira adequada para lidar corretamente com seus gastos.

Educação financeira é tudo, e tendo maior noção sobre como o seu comportamento com o dinheiro pode afetar todas as outras áreas da sua vida você pode evitar entrar no vermelho ou até em situações piores com dívidas.

Por isso, é fundamental avaliar seus rendimentos e despesas a fim de identificar se podem ser feitos cortes.

Vale também guardar uma quantia sempre que for possível. Isso fará toda a diferença nos momentos de aperto, visto que você não precisará mais recorrer a esse tipo de crédito.

Além disso, é importante que você não confunda saldo e limite.

O saldo é o dinheiro que você realmente possui em sua conta corrente, enquanto o limite é a linha de crédito oferecida pelo banco, isto é, trata-se de uma quantia que não te pertence efetivamente.

Estude, procure entender sua renda mensal e o que você pode fazer para poupar, investir e fazer o seu dinheiro render. Construa a sua reserva de emergência e nunca mais passe pelo aperto de pagar juros do cheque especial.

Quando usar o Cheque Especial?

O cheque especial pode ser de grande ajuda nos momentos de aperto, o que não quer dizer que você deva usá-lo com frequência.

A ideia é recorrer a esse dinheiro apenas em momentos de extrema necessidade, como doenças, multas, boletos atrasados e outras situações semelhantes.

Ao mesmo tempo em que se apresenta como uma opção fácil para quem precisa de dinheiro, esse tipo de crédito costuma ser uma grande armadilha.

Por isso, na hora de calcular suas despesas, não conte com essa quantia.

Afinal de contas, ela não pertence a você, ainda que apareça em sua conta corrente; é apenas um crédito oferecido pelo banco.

Se estiver passando por uma situação em que precisa de dinheiro e sabe que não poderá devolver o valor rapidamente, fuja do Cheque Especial.

Nesse caso, a melhor coisa a se fazer é negociar um crédito mais barato com o banco.

Lembre-se: ainda que seja prático, o cheque especial pode virar um grande problema futuramente.

Qual o limite do Cheque Especial?

Qual o limite do Cheque Especial

Na hora de solicitar o Cheque Especial, uma das coisas que você deve levar em consideração é o limite estipulado pelo seu banco.

Mas, antes de qualquer coisa, é preciso entender o que significa Limite do Cheque Especial.

Limite do Cheque Especial é a linha de crédito que o banco oferece a você neste tipo de empréstimo.

Em outras palavras, é a quantia disponível para você, definida de acordo com os seus rendimentos mensais e com o relacionamento que você mantém com a instituição financeira.

Alguns bancos chegam a oferecer aos clientes um limite do cheque especial sem a cobrança de juros durante alguns dias.

Isso não significa necessariamente uma vantagem, já que essas instituições bancárias podem cobrar taxas maiores do que as outras ao final do tempo de isenção.

Fique atento caso o seu banco ofereça essa condição, já que, ao final do período estipulado pela instituição financeira para o pagamento do Cheque Especial, os juros costumam vir com tudo.

Como sacar dinheiro do Cheque Especial no caixa eletrônico?

Se você decidiu que é uma boa opção recorrer ao Cheque Especial, é hora de saber como sacar o dinheiro no seu banco.

É rápido e simples: você só precisa ir até um caixa eletrônico e selecionar a opção correspondente a esse tipo de crédito.

Feito isso, o banco irá liberar o valor solicitado, desde que esteja dentro do Limite do Cheque Especial.

Você também pode usar a quantia por meio de transferências, pagamentos, cartão de débito e cheque.

Cheque Especial e o IOF

Cheque Especial e o IOF

As transações realizadas com o Cheque Especial também sofrem incidência do IOF, o Imposto sobre Operações Financeiras.

Este tributo, arrecadado pelo governo brasileiro, é cobrado todas as vezes que o cliente utilizar o crédito, mesmo nos casos em que tem direito a um período sem juros.

O valor cobrado gira em torno de 0,38% + 0,0082% ao dia sobre o valor contratado.

Lembrando que o recolhimento do imposto é mensal, mas sua taxa é diária. Sendo assim, vale a pena ficar atento a esse valor que pode aumentar ainda mais a sua dívida.

Qual a diferença entre Cheque e Cheque Especial?

Apesar do nome semelhante, o Cheque Especial é totalmente diferente do tradicional talão de cheques que conhecemos.

Ou seja, você pode utilizar essa linha de crédito ainda que nunca tenha assinado um cheque em toda a sua vida.

Não se sabe ao certo porque o Cheque Especial recebeu esse nome, mas a hipótese é que ele teria surgido para evitar os famosos “cheques sem fundo”, já que o cliente possui um crédito disponível mesmo sem saldo em sua conta corrente.

Como consultar Cheque Especial?

Se você já possui conta corrente e deseja consultar o Cheque Especial disponível pelo seu banco, basta emitir um extrato bancário.

Logo abaixo do saldo, você pode conferir o limite do cheque especial.

Também é possível fazer a consulta pelo aplicativo do seu banco.

Basta procurar a opção no menu e conferir o limite estabelecido pela instituição.

Novamente é importante não confundir saldo com limite.

Apesar de ambos os valores aparecerem no extrato bancário, isso não significa que você tenha a quantia total em conta, mas que há um valor disponível para uso imediato, somando-se o saldo e o limite do Cheque Especial.

Juros do Cheque Especial

Juros do Cheque Especial

Como já foi dito anteriormente, o grande perigo de contratar o cheque especial com frequência é o valor dos juros cobrados, que são muito caros e podem chegar a 15% ao mês.

Isso ocorre porque o banco não pede nenhum tipo de garantia além do limite de crédito aprovado para o cliente, ou seja, ele está se arriscando mais ao emprestar o dinheiro dessa forma.

É diferente do que acontece com o empréstimo pessoal , por exemplo.

Para conseguir crédito pessoal, o cliente deve ir até a agência, negociar as condições com o seu gerente e assinar um contrato.

A título de comparação, enquanto os juros do empréstimo consignado chegam a uma média de 42% ao ano, os juros do cheque especial podem ser de 327% para o mesmo período, de acordo com o Banco Central.

É o mesmo que dizer que se você tiver uma dívida de R$ 500, ao final de um ano ela será superior a R$ 2.400. Não é à toa que o cheque especial só perde para o cartão de crédito quando estamos falando do empréstimo com taxa de juros mais cara do mercado.

Por esse motivo, algumas instituições bancárias podem, inclusive, dar outro nome a essa linha de crédito, tais como Saque Fácil, Limite para Saque, Empréstimo Pré-Aprovado de Conta Corrente, LIS, Crédito Global, Limite de Saldo Negativo etc.

Além do mais, se o cliente não tiver dinheiro na conta corrente quando o banco cobrar o valor do cheque especial, ele deverá pagar não apenas os juros, como também uma multa estabelecida pela instituição. Ou seja, a dívida só aumenta.

Para te auxiliar, separamos as taxas de juros do Cheque Especial das principais instituições financeiras em atividade no Brasil.

Lembrando que cada uma delas define os juros com base em vários índices. A taxa média fica em 13,45% ao mês, de acordo com o Procon-SP.

Acompanhe a seguir e descubra os custos estipulados pelo seu banco:

Juros Cheque Especial Bradesco

A taxa de juros do Cheque Especial concedido pelo Banco Bradesco é de 13,33% ao mês.

Juros Cheque Especial Santander

No Santander, a taxa de juros referente à contratação do Cheque Especial é de R$ 14,93% ao mês.

Juros Cheque Especial Caixa

Já a Caixa Econômica Federal oferece uma linha de crédito com uma taxa mensal de 13,55%.

Juros Cheque Especial Itaú

No Itaú, a taxa de juros do Cheque Especial é de R$ 13,45% ao mês.

Juros Cheque Especial Banco do Brasil

Para o Banco do Brasil, a taxa de juros do Cheque Especial varia entre 1,99% e 12,49% ao mês.

Conclusão – Saia do Cheque Especial Com um Empréstimo Pessoal

Conclusão - Saia do Cheque Especial Com um Empréstimo Pessoal

Em muitos casos, o Cheque Especial pode ser a forma mais prática e rápida de conseguir dinheiro.

Se você tiver controle sobre suas finanças e não cair na armadilha de usar esse crédito com frequência, isso não será um problema.

Afinal, ele serve exatamente para salvar o cliente em um momento de aperto.

Entretanto, é preciso saber quando não é uma boa ideia recorrer ao Cheque Especial.

Por isso, se você está precisando de dinheiro, avalie suas finanças pessoais até ter certeza se é ou não uma boa ideia solicitar esse tipo de crédito.

O ideal é que você opte pelo empréstimo pessoal online do Bom Pra Crédito, o qual, como já dissemos, tem uma taxa de juros consideravelmente menor do que o Cheque Especial.

Confira as melhores oportunidades para sair do Cheque Especial hoje mesmo com o Bom Pra  Crédito!