Novos direitos das empregadas domésticas

Larissa Carvalho

| 2 minutos para ler

Novos direitos das empregadas domésticas

Continua depois da publicidade

Novos direitos das empregadas domésticas
Novos direitos das empregadas domésticas.

Em abril deste ano, os direitos dos trabalhadores domésticos passaram ser protegidos pela Proposta de Emenda à Constituição, mais conhecida como “PEC das Domésticas”. O projeto garante 16 novos direitos à categoria, entre eles hora extra, jornada de trabalho de 8 horas diárias, FGTS e outros.

Segundo a Lei, o trabalhador domésticos é aquele maior de 18 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente, constante) e de finalidade não-lucrativa à pessoa ou à família, no âmbito residencial destas.

Alguns exemplos de ocupações são: mordomo, motorista, governanta, babá, empregadas domésticas, jardineiro, copeira, arrumador, cuidador de idoso e cuidador em saúde.

 

Os direitos do trabalhador doméstico

Antes da “PEC das Domésticas”, o trabalhador tinha direito:

  • Pagamento de, ao menos, um salário mínimo ao mês;
  • Integração à Previdência Social (por meio do recolhimento do INSS);
  • Um dia de repouso remunerado (folga) por semana, preferencialmente aos domingos;
  • Férias anuais remuneradas;
  • 13ª salário;
  • Aposentadoria;
  • Irredutibilidade dos salários (o salário não pode ser reduzido, a não ser que isso seja acordado em convenções ou acordos coletivos);
  • Licença-gestante, licença-paternidade e aviso prévio;
  • Carteira de trabalho (CTPS) assinada.

Com a Emenda aprovada em abril de 2014, o trabalhador passou a ter direito também:

  • Garantia de salário mínimo para quem recebe remuneração variável;
  • Pagamento garantido por lei (que é a proteção ao salário, ou seja, o patrão não poderá deixar de pagar o salário em hipótese alguma);
  • Jornada de trabalho de 8 horas diárias e 44 horas semanais;
  • Hora-extra;
  • Respeito às normas de higiene, saúde e segurança do trabalho;
  • Reconhecimento de acordos e convenções coletivas dos trabalhadores;
  • Proibição de diferenças de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivos de sexo, idade, cor ou estado civil ou para portador de deficiência;
  • Proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de 16 anos;
  • Seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário;
  • Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) obrigatório;
  • Salário-família;
  • Adicional noturno;
  • Seguro contra acidente de trabalho;
  • Auxílio-creche e pré-escola para filhos e dependentes até 5 anos de idade;
  • Indenização em demissões sem justa causa.

Atenção: 7 desses novos direitos ainda dependem de aprovação. São eles:

  • Indenização em demissões sem justa causa;
  • Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) obrigatório;
  • Salário-família;
  • Adicional noturno;
  • Seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário;
  • Seguro contra acidente de trabalho;
  • Auxílio-creche e pré-escola para filhos e dependentes até 5 anos de idade.

 

O salário está curto?

Conheça opções de empréstimo online de todas financeiras com um só cadastro.

 

Aos empregadores

Os patrões que ainda não regularizaram os empregados domésticos tem até o dia 06 de agosto de 2014 para fazer isso. Quem mantiver seu empregado sem o registro em carteira estará sujeito a multa de aproximadamente R$ 800,00, o valor depende do tempo de emprego.

Se você tem dúvidas sobre os direitos dos trabalhadores domésticos, baixe aqui gratuitamente a cartilha desenvolvida pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

 

Modelo de aviso prévio para empregadas(os) domésticas(os)

O site do Ministério do Trabalho e Emprego disponibiliza modelos de aviso prévio para download. Baixe aqui:

 

Leia também:

» Tudo sobre o aviso prévio