Entenda as novas regras do Cartão de Crédito

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

Entenda as novas regras do cartão de crédito

Continua depois da publicidade

Entenda as novas regras do cartão de crédito
Entenda as novas regras do cartão de crédito.

Desde o dia 3 de abril de 2017, entraram em vigor as novas regras do cartão de crédito. Na busca pela diminuição dos índices de inadimplência e superendividamento dos brasileiros, o Conselho Monetário Nacional (CNN) determinou que o crédito rotativo (pagamento mínimo) do cartão de crédito poderá ser usado por, no máximo, 30 dias. Agora, os bancos terão que oferecer o parcelamento do saldo devedor do cartão de crédito para os consumidores.

Na prática, com as novas regras do cartão de crédito, se você optar pelo pagamento mínimo, no mês seguinte, terá que submeter-se ao parcelamento da dívida do cartão ou pagamento total da fatura acrescido de juros do crédito rotativo. Lembrando que o crédito rotativo possui um dos juros mais altos do mercado, em média, 15% ao mês.

De acordo com o Procon, os bancos terão que oferecer o parcelamento da dívida com juros mais baixos dos que os praticados pelo crédito rotativo.

Conheça as novas regras do cartão

Não tenho dinheiro para pagar o valor total, e agora? Com as novas regras do cartão de crédito, depois de um mês no rotativo você só terá duas opções: pagar o valor total da fatura ou pagar o valor rotativo do mês anterior em parcelas.

Ao optar pelo parcelamento do próprio cartão de crédito você precisa considerar duas questões:

  1. a longo prazo, o valor total da dívida pode aumentar consideravelmente, e as taxas oferecidas para o parcelamento podem sair tão altas quanto as do crédito rotativo. Para se ter uma ideia, uma dívida no valor de R$ 1.500,00 parcelada em 12 vezes, com juros de 13,50% ao mês e valor mensal de R$ 228,80, tem o custo total de R$ 2.745,65. Portanto, se você não tem dinheiro para realizar o pagamento total da fatura do seu cartão de crédito, a melhor opção é buscar linhas de crédito com juros mais baixos, como o empréstimo pessoal. Confira dicas de como conseguir um empréstimo mais barato.
  2. ao parcelar a dívida no próprio cartão de crédito o seu limite ficará comprometido pela soma das parcelas ainda não pagas. Isso significa que ao fazer isso seu limite disponível para novas compras pode até zerar e com isso você não conseguirá fazer novas compras com este cartão.

Ou seja, apesar da comodidade de contratar o parcelamento no próprio cartão, vale a pena pesquisar um empréstimo com taxa mais baixa ou, pelo menos, fora do cartão para que você não fique sem limite disponível para realizar suas compras.

Por que optar pelo empréstimo pessoal?

Se você não tem dinheiro para pagar o cartão de crédito à vista, com as novas regras do cartão de crédito, o parcelamento ainda não é a escolha mais inteligente. Também fuja do cheque especial para pagamento do cartão de crédito, uma vez que a taxa de juros perde apenas para a de crédito rotativo, ou seja, está entre as mais altas do mercado. Antes de tomar uma decisão, você precisa avaliar qual a opção que você terá menos prejuízos.

Para se livrar da dívida do cartão de crédito de uma vez por todas, você pode buscar um empréstimo pessoal mais barato que o parcelamento do cartão de crédito para quitar o valor da fatura à vista e ainda manter seu limite para novas compras.

Com as novas regras do cartão de crédito e a obrigatoriedade dos bancos de ofertarem o parcelamento, ou seja, o financiamento da sua dívida, procure, o quanto antes, alternativas para você pagar menos e ainda ter crédito liberado no cartão.

Como o Bom Pra Crédito pode te ajudar?

Como as novas regras do cartão de crédito já estão valendo, não dá pra perder tempo, não é mesmo? No Bom pra Crédito, o seu pedido de empréstimo pessoal para quitar a dívida do cartão de crédito é feito online.

Para te ajudar, o Bom pra Crédito tem diversos parceiros, como bancos e financeiras, que avaliam o seu pedido de empréstimo. Assim, você pode receber propostas diferentes e escolher o que melhor atende a sua necessidade, como taxa de juros e quantidade de parcelas. Tudo isso sem nenhuma cobrança! Isso mesmo: o Bom pra Crédito não cobra nada para você encontrar o melhor empréstimo pessoal!

Como evitar a bola de neve no cartão de crédito?

Para o consumidor, as novas regras do cartão de crédito foram pensadas com o propósito de reduzir o efeito “bola de neve”, que é quando a dívida do cartão de crédito sai do controle e não cabe mais no orçamento mensal, mesmo com a opção de pagamento mínimo.

Por isso, se você tem um cartão de crédito com pagamento em atraso, cuidado para não ficar no vermelho e entrar na temida “bola de neve”. Leia as dicas a seguir para ter uma vida financeira saudável, longe dos problemas com o cartão de crédito:

  • Cartão de crédito não é dinheiro. Esqueça essa falsa sensação!
  • Quando a fatura do cartão de crédito está mais alta do que você pode pagar, está na hora de repensar seus hábitos de consumo;
  • Procure, o quanto antes, por alternativas para quitar a dívida do seu cartão de crédito, como o empréstimo pessoal;
  • Espere ficar no azul para utilizar o cartão de crédito para novas compras;
  • Sempre que possível, use o crédito à vista;
  • Quando parcelar compras, opte pelo número de vezes sem juros;
  • Lembre-se da cobrança de anuidade e, se apertar, tente negociar a diminuição do valor;
  • Anote todos os gastos feitos no cartão de crédito e controle as compras parceladas;
  • Controle seus gastos em uma planilha de orçamento pessoal;
  • Para refletir gastos desnecessários, avalie as compras supérfluas no cartão de crédito que poderiam ter sido evitadas.