Letra financeira: vale a pena essa opção de título de renda fixa?

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

mesa branca com um laptop, uma calculadora e dois cofres em formato de porco

Continua depois da publicidade

A letra financeira está ganhando visibilidade no mundo dos investimentos e pode ser uma oportunidade 

A letra financeira (LF) completou 10 anos em  2020. Apesar de ser nova, ela  tem ganhado espaço dentro das estratégias de investimento. 

Quer aprender mais sobre essa opção de título de renda fixa? 

O que é letra financeira?

Letra financeira é o nome do investimento de renda fixa utilizado por instituições financeiras para captar recursos. Na prática, quem investe em uma LF está emprestando dinheiro ao banco que, em troca, oferece uma rentabilidade como remuneração. 

Esse investimento é de longo prazo, portanto, ele não deve ser adquirido como um único título. O ideal é dividir em diferentes opções  para manter a sua carteira com alta rentabilidade e segurança.

Como funcionam as Letras Financeiras?

A letra financeira é uma aplicação emitida por instituições particulares. Na maioria dos casos, o rendimento é pós-fixado, em que a rentabilidade está atrelada a um índice ou indicador financeiro.

Isso significa que só é possível  saber o valor exato da remuneração no resgate do valor aplicado. Você investe agora e recebe na data prevista, sem grandes surpresas, como acontece em produtos de renda fixa.

Quanto à tributação, o Imposto de Renda incide sobre as Letras Financeiras com uma alíquota de 15%. Vale destacar que essa é a menor taxa entre todos os outros ativos da renda fixa.

homem de terno usando um computador em cima de uma mesa com diversos papéis

Para aprender mais: Tipos de investimentos: conheça as opções e descubra o ideal para você

Regras e especificações dessa modalidade

Quem quer investir em letras financeiras, é importante ter atenção a duas especificações dessa modalidade. A primeira regra diz que só é possível investir com pelo menos R $50 mil. Ou seja, não é tão acessível para quem está começando.

A outra exigência diz respeito ao prazo mínimo estabelecido. O saque pode ser feito depois de dois anos após a aplicação. Portanto, esse pode não ser o investimento ideal para construir uma reserva de emergência, por exemplo.

Riscos e tributação das Letras Financeiras

Como as letras financeiras não têm garantia do FGC, o maior risco desse investimento está na eventual falência do banco que emitiu o título. Claro que é possível processar a instituição para ter o valor de volta, mas esse pode ser um caminho caro e demorado.

Esse é um risco que não conseguimos controlar nem prever, pois é um tipo de situação que nos pega de surpresa. Para remediar esse mal, é recomendado escolher instituições de confiança. 

Como investir em letras financeiras?

Você quer investir em letras financeiras, mas não sabe por onde começar? Não se desespere pois isso é mais fácil do que imagina. O primeiro passo é fazer um planejamento financeiro e escolher as melhores LFs do mercado.

  • Defina os seus objetivos: A definição de objetivos faz parte do processo de planejamento. Qual é a razão desse investimento? Quanto dinheiro quer acumular? Qual é a data prevista para o saque? 
  • Renegocie dívidas: Busque uma renegociação das suas pendências. Conforme for saindo do vermelho, aproveite o dinheiro que sobra para investir.
  • Crie uma reserva de emergência: Você deve ser capaz de poupar dinheiro da mesma forma que investe. Conforme constrói uma reserva de emergência, consegue ampliar a rentabilidade obtida se arriscando mais.

Depois de organizar o seu planejamento financeiro e definir os objetivos, está pronto para aplicar o seu capital. Comece buscando por uma corretora de valores de confiança, como já foi dito, e experiente no mercado.

Tipos de títulos

Existem três tipos de Letra Financeira, a pré-fixada, pós fixada e misturada. Antes de investir, é necessário que você entenda o que é cada uma delas para que não haja erros e suposições equivocadas hora da escolha do melhor para o seu perfil. 

Título prefixado

Chamamos de prefixados aqueles títulos de renda fixa que têm a sua rentabilidade descrita no momento da compra. Isso significa que o investidor sabe anteriormente qual será o rendimento da aplicação.

Título pós-fixado

No caso dos títulos de renda pós-fixados, o investidor não tem acesso à taxa de rentabilidade no momento da aplicação. Nesse cenário, o rendimento se dá a partir de algum índice econômico, como o IPCA e o CDI.

Título misturado

O rendimento misturado é a junção entre o modelo prefixado e o pós-fixado. Isso significa que o cálculo considera uma taxa fixa, revelada no momento da aplicação, com acréscimo de uma variação, o IPCA, na maioria das situações.

homem de terno e gravata segura um giz de cera ao lado de um desenho de um gráfico em ascensão

Veja também: Medo de perder dinheiro ao investir? Veja todas as dicas para isso não acontecer

Investir em Letras Financeiras vale a pena?

A resposta para essa questão depende dos seus objetivos e condições. Essa modalidade de investimento exige um valor mínimo inicial que pode ser alto para algumas pessoas, principalmente para quem tem muitas dívidas.

O ideal, como a gente já disse, é quitar as dívidas e se organizar para investir com mais segurança. Nesse ponto, o Bom Pra Crédito pode te ajudar a alcançar as suas metas.

Nosso serviço de crédito e empréstimo pessoal oferece todas ferramentas  para colocar suas contas em dia.  Acesse nosso site e descubra que é possível conseguir crédito com parcelas que cabem no seu bolso, dependendo do seu perfil financeiro.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *