Juros simples e juros compostos: entenda a diferença

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

Juros simples e juros compostos: entenda a diferença

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Qual a diferença entre juros simples e juros compostos? Uma pesquisa recente feita pela Associação Nacional de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) mostrou que 99,5% dos brasileiros não conhecem o conceito de juros compostos.

Vamos lá: os juros simples são calculados com base no capital inicial e os juros compostos são calculados sobre o valor atual do capital, que já está com juros, e é por isso que é “juros sobre juros”. Como o próprio nome sugere, nos juros simples é a soma do capital mais o rendimento.

Os juros compostos estão presentes nos empréstimos, investimentos, crédito rotativo do cartão de crédito, cheque especial, entre outras transações.

A partir daí, vem a dúvida: por que existem juros compostos nessas transações? A grosso modo, os juros é o preço do dinheiro aplicado ou emprestado, ou seja, funcionam como se fossem uma taxa pelo crédito concedido, como no caso de pagamento mínimo do cartão de crédito: o saldo devedor é um crédito e tem taxa alta de juros, a maior dentre todas as modalidades de crédito.

Como calcular juros simples?

A seguir, aprenda a calcular juros simples de maneira prática:

  • Valor inicial: é o valor que será aplicado o juros
  • Taxa de juros: é a porcentagem de juros (é necessário dividir o valor por cem, para encontrar o decimal)
  • Tempo de aplicação do juros: é o tempo que será aplicado o juros (sempre em meses)
  • Valor futuro: é a soma de capitais (valor inicial + juros aplicados)

Fórmula para calcular juros simples:

  • Juros = valor inicial x taxa de juros x tempo de aplicação dos juros

Vamos a um exemplo prático:

Valor inicial: R$ 1.300,00

 Taxa de juros aplicada: 0,08% (8 dividido por 100)

 Tempo de aplicação dos juros: 5 meses.

Cálculo de juros simples utilizando a fórmula acima:

Juros =  R$ 1.300 x 0.08 x 5 = R$ 520,00

Valor futuro: R$ 1.300,00 (valor inicial) + R$ 520,00 (juros) = R$ 1.820,00

Como calcular juros compostos?

A seguir, aprenda a calcular juros compostos de maneira prática:

  • Valor inicial: é o valor que será aplicado o juros.
  • Taxa de juros: é a porcentagem de juros (é necessário dividir o valor por cem, para encontrar o decimal)
  • Tempo de aplicação do juros: é o tempo que será aplicado o juros (sempre em meses)
  • Valor futuro: é a soma de capitais (valor inicial + juros aplicados)

Formula Juros Compostos

O que é a taxa básica de juros?

A taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira e serve de parâmetro para as taxas de juros cobradas pelos bancos e financeiras nas diversas modalidades de crédito e também nos rendimentos de investimentos.

A partir de 1999, a taxa Selic passou a ser usada como política monetária brasileira e tem objetivo de controlar a inflação no país e influenciar a atividade econômica.

A Selic também influencia os juros que o governo paga por empréstimos tomados dos bancos. O Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, é responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros na economia.

O aumento da taxa básica de juros (Selic) prejudica o reaquecimento da economia, enquanto que a queda da Selic preserva melhor o poder de compra dos brasileiros.

Por que os juros são altos no Brasil?

É a forma que o governo brasileiro encontra para manter a inflação do país sob controle.

Os juros são altos no Brasil porque juros baixíssimos podem causar drástico impacto sobre os preços de diversos produtos ao consumidor, que tendem a subir de forma acelerada, em razão da alta procura.

Em relação às modalidades de crédito, os riscos associados às operações motivam bancos a cobrarem taxas mais altas, como no rotativo do cartão de crédito e no cheque especial, que são considerados empréstimos emergenciais.

O spread bancário, que é a diferença entre o que os bancos pagam pelos recursos e o que cobram de seus clientes, também motiva as instituições a cobrar juros altos.

Como pagar menos juros?

Existem modalidades de crédito mais baratas no Brasil, com juros menores que os do cartão de crédito e do cheque especial, que lideram o ranking dos juros mais altos do país.

O empréstimo pessoal possui taxa de juros que varia entre 0,80% e 27,24% ao mês, segundo dados do Banco Central (BC), no período consultado (28 de maio a 04 de junho de 2018).

No Bom Pra Crédito, com um único cadastro, você pode solicitar o seu empréstimo pessoal de forma gratuita para todas financeiras e avaliar as melhores propostas de empréstimo pessoal, de acordo com o seu perfil.

Assim fica fácil encontrar o crédito com juros que não pesam no seu orçamento mensal e ainda ajuda a organizar suas despesas

E você pode ficar sabendo quanto pagará em cada parcela, além de outras informações importante para sua decisão sobre tipos de crédito, com o nosso Simulador de Parcelas de Empréstimos e Financiamentos. Que tal conferir agora?

Simulador de Parcelas de Empréstimos e Financiamentos

Você curtiu esse post? Então continue com a visita em nosso blog e leia agora mesmo o post “Aprenda a negociar suas dívidas e pague menos juros”, especialmente, se estiver precisando daquela ajudinha para organizar sua vida financeira. 😉