Golpes na Black Friday. 13 dicas para não cair em golpes

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

mulher de terno sentada a uma mesa usando um laptop com uma miniatura de carrinho de compras ao lado

Resumo da matéria

  • O que é a Black Friday
  • Black Friday no Brasil
  • Como os golpistas podem enganar os consumidores

Continua depois da publicidade

O crescimento da modalidade online de vendas faz o número de ofertas falsas aumentarem

A Black Friday é um dos momentos mais aguardados pelo consumidor no ano, pois traz uma ampla quantidade de ofertas de produtos que normalmente são comercializados com preços muito altos. Por conta das promoções e baixa de preços, os golpes na Black Friday acabam sendo muito comuns!

Porém, a data também é um prato cheio para golpistas que ficam a postos, esperando os consumidores que caem em anúncios falsos.

Para te ajudar a identificar possíveis fraudes e como se defender delas, o Bom pra Crédito reuniu 13 dicas importantes para ninguém cair em nenhum tipo de golpe!

O que é a Black Friday

Antes de falarmos sobre os golpes na Black Friday, vamos explicar o que é a Black Friday. A data foi originalmente criada nos EUA e ocorre logo após o famoso feriado de Ação de Graças.

A data sempre cai na última sexta-feira do mês de novembro e causa uma grande comoção de consumidores atrás de ofertas tentadoras que podem chegar a até 70% de desconto. 

Black Friday no Brasil

Por aqui, a data chegou em 2010 e impactou diretamente o e-commerce. Naquele ano, as principais ofertas ficaram por conta do site Busca Descontos, que era especializado na comercialização de cupons de descontos dos principais varejistas nacionais. 

Como os golpistas podem enganar os consumidores

Tanto as ofertas, quanto os golpes na black friday variam e podem ser aplicados em produtos das mais variadas categorias:

  • eletrônicos
  • eletrodomésticos,
  • higiene
  • beleza
  • acessórios

Confira a seleção de golpes mais utilizados e as 13 dicas para não cair neles. 

1 – Tudo pela metade do dobro

O intuito da Black Friday é possibilitar que o consumidor compre produtos a preços mais baixos. Porém, alguns lojistas querem passar os clientes para trás e anunciam ofertas fantásticas, com preços baixos.

Parece irresistível, não é? Mas pode ser golpe! Algumas lojas aumentam seus preços dias ou semanas antes, só para conseguirem fazer “ofertas” imperdíveis. 

Dica: para evitar cair em golpes assim, acompanhe os preços dos produtos que você quer comparar durante a Black Friday. Vale a pena até mesmo utilizar sites que monitorem o histórico de preços em diferentes lojas. 

imagem de pernas de mulher que caminha com vestido amarelo calçando salto e segurando compras em sacolas coloridas

Veja também: Cupons de desconto e cashback, como economizar ainda mais em suas compras na internet

2 – Cuidados com os sites falsos

Cada vez mais os golpistas estão em busca de novas maneiras de criarem sites falsos e envios de links criminosos.

Sites falsos já podem ser identificados até um mês antes da Black Friday. 

Dica: para evitar cair nesse golpe, cuidado na hora de clicar em links promocionais. Mesmo que tenha recebido a oferta de algum conhecido, desconfie.

Na dúvida, verifique se o site encontra-se na lista do Procon ou até mesmo o site Registro.br, que mostra o nome de quem registrou aquele site.

Se for golpe, o domínio estará registrado em endereços de e-mail gratuitos, como gmail, outlook, etc.  

3 – Publicidade falsa

Um dos golpes mais aplicados em 2019, a publicidade falsa fez uma boa quantidade de vítimas, especialmente por parecer real.

Funciona assim: os golpistas compram anúncios em redes sociais, criam ofertas falsas que parecem de sites verdadeiros.  

Dica: para evitar esse tipo de trapaça, sempre confira o link da promoção e certifique-se de que aquele é um site original. 

4- O preço do carrinho é diferente do preço da oferta

Outro golpe comum é o aumento de preço quando o cliente adiciona o produto no carrinho.  

Dica: olhe e reveja sempre com cuidado os valores da compra, antes de finalizá-la.  

5- E-mails fakes

E-mails de promoções são uns dos que mais recebemos. Na Black Friday, esse índice aumenta e torna-se um prato cheio para os golpistas. 

Dica: para confirmar que aquele é um e-mail real, sempre verifique se aparece “https” na URL do link.

6- Oferta ok. Mas e o frete?

Outra forma que alguns lojistas encontram de passar o consumidor para trás é abaixar o preço do produto, mas subir o frete.

Por isso, sempre faça as contas e compare os valores dos produtos e o do frete em diferentes lojas. Nem sempre o produto mais barato vai compensar mais. 

Dica: confira também o prazo de entrega, pois a Black Friday costuma sobrecarregar os sistemas de entrega. 

duas amigas com compras se impressionam ao olhar para um celular de costas para um fundo rosa

Confira: Black Friday: dicas para aproveitar os descontos e economizar

7 – Falsificação de sites

Muito conhecido como phishing, as páginas falsas podem vir dos mais diversos caminhos: anúncios falsos, redes sociais, aplicativos, SMS, e-mails, etc. 

Dica: para se proteger, abra somente links de confiança e veja se a URL tem um cadeado verde. 

8 – Pagamentos por links

Os pagamentos realizados por meio de links têm sido aliados dos varejistas, sobretudo os menores. Por meio dele é possível criar um pedido fechado e enviá-lo ao comprador, que finaliza a compra.

A transação pode ser feita das mais variadas maneiras: boletos, cartões de crédito, inclusive de forma parcelada

Dica: as instituições financeiras que permitem esse tipo de pagamento nunca  senhas ou código de validação de transações (tokens) fora de seus canais digitais.

9 – Faça compras apenas por equipamentos de confiança

Ainda que o site da oferta seja verdadeiro, máquinas não confiáveis podem clonar dados do cartão de crédito. 

Dica: não faça transações de máquinas compartilhadas ou por meios de acesso de redes públicas de WiFi.

10 – Cartões virtuais

A clonagem de cartões é um dos golpes mais antigos, mas ainda muito populares. 

Dica: para minimizar os riscos, faça compras com cartões virtuais, que possibilita que o cliente faça uma compra única vinculada àqueles dados gerados na hora. 

11 – Formas de pagamento disponíveis

Apesar da possibilidade de clonagem, o cartão de crédito ainda é a maneira mais segura de realizar transações. Por isso, se o site não apresenta essa possibilidade de pagamento, desconfie.

Dica: caso o lojista ofereça apenas possibilidades de pagamento à vista, como transferências e boletos, repense a compra. 

duas mulheres dentro de shopping conversam enquanto seguram sacolas de compras

Leia mais: Empréstimo Black Friday? Exato!

12 – Não negocie fora das plataformas

Não são apenas os consumidores que precisam tomar cuidados. Os vendedores também são vítimas de golpes.

Em sites que conectam compradores e vendedores, um dos maiores riscos é a comunicação fora das plataformas, afinal, um dos golpes mais comuns é a falsificação de e-mails de pagamento.

Dica: confira o passo a passo da negociação pelo site, ainda que receba e-mails da plataforma e nunca passe seus contatos pessoais ao comprador. 

13 – Devoluções dos produtos

Os clientes têm até sete dias para se arrependerem de compras realizadas pela internet e devolver o produto, segundo o código de defesa do consumidor.

Dica: para evitar a devolução de produtos danificados ou até mesmo substituídos, filme a abertura dos pacotes. 

Agora que você já sabe como se proteger, aproveite a Black Friday com consciência!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *