Faltou dinheiro no fim do mês? Confira o que pagar primeiro e erros que te impedem de sair do vermelho

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

mão feminina segurando uma conta

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Entenda o que é gestão financeira pessoal para resolver de uma vez suas dívidas

Pelo menos uma vez na vida você já se deparou com a falta de dinheiro. Muitas famílias brasileiras sofrem com dívidas, o que acaba pesando sempre no orçamento.

O percentual de famílias com dívidas aumentou em dezembro de 2019, alcançando 65,6%. 

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), esse é o maior patamar já alcançado pela série histórica da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor desde 2010.

Quando falta o dinheiro, uma pergunta certa é: O que pagar primeiro? Você deve priorizar suas dívidas, faça uma lista do que você deve e do quanto dinheiro tem.

Confira o que pode ser deixado para depois, mas não se acostume com isso. 

Tornar isso um hábito é uma das piores coisas que podem acontecer na sua vida financeira.

Siga essa ordem, os exemplos a seguir podem te ajudar a entender melhor o que fazer no seu orçamento em uma situação como essa: 

1. Serviços essenciais como água, luz, gás e moradia

Garanta que ao menos essas contas estejam pagas, o atraso delas pode gerar o corte desses serviços e ficar sem o básico da vida está fora de cogitação.

2. Financiamento de veículos ou empréstimos com garantias 

Financiamento não é brincadeira, a falta de pagamento desse tipo de modalidade pode fazer com que a instituição financeira tome o bem, então você pode perder o carro.

Já com o empréstimo com garantia você pode perder o que colocou em garantia: casa, carro, jóias.

3. Juros mais altos como cartão de crédito e cheque especial  

Você não vai querer ficar nas mãos dos juros do cheque especial e cartão de crédito.

Eles atualizam sempre e a dívida se torna uma bola de neve. Garanta que vai quitar essas dívidas o quanto antes.

mulher com calculadora, caneta e várias contas sobre uma mesa

4. Dívidas que podem negativar o seu nome

Além do cartão de crédito e cheque especial, ainda existem modalidades de parcelamento como o crediário, que é feito diretamente nas lojas.

Ele segue uma tabela de juros diferenciada, mas ainda pode levar o seu nome para as listas de inadimplentes. 

Depois de resolver cartão de crédito, com juros maiores, veja a possibilidade de quitar essa dívida.

5. Dívidas com amigos e familiares

O ideal é sempre pagar tudo o que você deve, mas em uma situação como essa, você vai preferir conversar com seu amigo ou familiar do que ficar devendo ainda mais dinheiro ao banco.

Tenha uma conversa sincera e se organize para que isso não se repita. 

O que é gestão financeira pessoal?

Não é só uma empresa que precisa ter gestão financeira, todos nós precisamos cuidar da nossa saúde financeira por vários motivos.

Para conquistar coisas, precisamos também de dinheiro. Ele é uma ponte para chegar ao que sonhamos e sem organização isso é impossível. 

Em resumo, a gestão financeira é o planejamento, a execução e o controle de todas as suas atividades financeiras.

Ela te ajuda a não deixar o seu dinheiro acabar antes do final do mês, até porque o ideal aqui é conseguir fazer com que o seu dinheiro sobre e não falte. 

É tudo aquilo que você precisa ter para ter noção do seu orçamento e não cair em armadilhas que prejudiquem as suas contas.

Esse tipo de gestão envolve muitas atividades que talvez você não faça, mas pode inserir na sua vida cotidiana e no final vai fazer tudo com muita naturalidade.

Saiba mais: Portabilidade bancária: tudo o que você precisa saber

É controlar sua renda familiar no aplicativo, ou até numa folha de excel. Não gastar mais do que ganha, estar em dia com todas a suas contas.

A principal medida na sua gestão financeira, inclusive, é quitar tudo o que deve. Só assim você vai começar a conseguir multiplicar seu dinheiro.

Considere a renegociação de dívidas ou a solicitação de um empréstimo pessoal. Hoje em dia você consegue fazer isso online, em plataformas seguras e certificadas como o Bom Pra Crédito.

Analise condições de parcelamentos e taxas de juros que melhor se enquadram na sua vida financeira.

Além da desorganização, muita coisa te atrapalha a conseguir levar uma vida financeira saudável, você pode imaginar a quantidade de erros que comete todos os meses que te levam a falhar com a gestão do seu dinheiro? 

Vamos falar um pouco sobre alguns deles.

homem de negócios com contas e documentos na frente de um laptop

Erros que te impedem de chegar no final do mês com dinheiro

Comprar por impulso 

Consumismo pode ser só o seu foco momentâneo, em que você descarrega toda a sua ansiedade em compras.

Apesar de também ser complicado, uma vez que você entende essa situação, é mais fácil de resolver.

Mas fique de olho se o seu consumismo não chegou ao ponto de ser algo mais grave, os especialistas chamam de oneomania a compulsão por compras.

Muita gente permanece sofrendo com isso sem saber que pode ter ajuda para se livrar do impulso.

Em casos mais brandos, faça exercícios de paciência com você mesmo, aguarde o máximo possível para fazer uma compra, muitas vezes essa vontade até passa.

Não conhecer seus gastos

O principal erro de quem vê o dinheiro acabar antes do final do mês é não ter a mínima noção do quanto entra e do quanto sai da conta corrente todos os meses.

O que isso quer dizer exatamente? Muita gente não sabe nem no que gasta seu dinheiro. 

Quando menos espera, vai olhar a conta corrente e tem menos dinheiro do que imaginava. Pois é, porque quando as coisas ficam no campo da imaginação, elas provavelmente vão fugir do controle.

Evite esse erro, mantenha uma planilha com o controle dos seus gastos ou use um aplicativo especializado nisso. 

Não ser realista com seu padrão de vida

Algumas pessoas consideram que viver uma mentira para mostrar aos outros que tem um padrão de vida que não é o que realmente está é algo válido.

Isso pode levar ao precipício financeiro, já que a longo prazo pode ser insustentável. 

Seja avesso a ostentações, viva de acordo com as suas possibilidades. Não vale a pena passar sufoco para manter uma imagem que não é a sua realidade.

Além disso, se complicar no cartão de crédito gastando nele mais de 30% da sua renda pode acabar com a sua qualidade de vida, já que você vai ficar sem seus momentos de lazer. 

Leia também: Como lidar com dinheiro, você realmente sabe?

Não separar no orçamento compras e lazer

É um erro não estipular na sua renda mensal o quanto você pode querer gastar com lazer e compras.

Em relação ao lazer, porque essas coisas geralmente acontecem de última hora.

E sobre as compras, você sempre pode ter em mente o que precisa comprar naquele mês.

Por exemplo, em um mês você sabe que tem algum casamento ou aniversário, já pode prever gastos com presente, deslocamento ou até o barzinho da comemoração.

Sobre as compras, faça uma lista do que você precisa comprar e siga essa lógica para separar esse dinheiro no orçamento.

Se der vontade de comprar algo no meio do mês, dê uma olhada se você tem dinheiro para isso na renda que você separou para lazer e compras. Se não tiver, inclua esse gasto no próximo mês, assim você não sai do controle.

E aí, curtiu nossas dicas? Conte nos comentários sua experiência com a falta de dinheiro.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *