A falta de dinheiro está prejudicando a sua vida? Saiba como resolver

Larissa Civita

| 5 minutos para ler

jovem com roupa social sinalizando que não tem dinheiro

Continua depois da publicidade

Brasileiros com débitos com mais de 90 dias de atraso sofrem com ansiedade, angústia e também depressão; veja dicas para ter o nome limpo novamente

O dinheiro pode não trazer felicidade, mas um descompasso financeiro acarreta problemas graves de saúde. Cada vez mais endividados, os brasileiros estão sofrendo com males físicos e mentais como ansiedade, angústia, dificuldades de relacionamento no trabalho e até mesmo depressão. A conclusão é do levantamento nacional realizado com consumidores com dívidas em atraso há mais de 90 dias pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). De acordo com a pesquisa, dois em cada três (65,6%) inadimplentes se sentem deprimidos, tristes e desanimados por deverem e, diante da situação, 16,8% recorrem a vícios como cigarro, comida ou álcool, sobretudo, as pessoas das classes C, D e E (17,5%).

Divulgada há um ano anos, a pesquisa entrevistou 602 inadimplentes em todo o Brasil com dívidas com mais de 90 dias. O resultado nos mostrou que a consequência da falta de dinheiro não é só para o bolso, mas também para a saúde dessas pessoas. A pesquisa apontou que, depois que entraram na lista de devedores, seis em cada 10 inadimplentes admitiram ficar com a autoestima mais baixa (57,8%). Outros sentimentos que a maioria passou a ter foram: insegurança em não conseguir pagar as dívidas (69,9%), angústia (61,8%), ansiedade (59,8%) e estresse (57,6%). Além disso, quatro em cada 10 inadimplentes (43,9%) sentem-se envergonhados perante a família e amigos por estar nessa situação e 42,5% demonstram em alto grau de preocupação com as dívidas.

Aprenda também: Como ganhar dinheiro na internet: já pensou em ver a conta engordando sem nem sair de casa?

Conforme dados do SPC, há atualmente no país 61 milhões de endividados e, nessa pesquisa, a depressão, por exemplo, foi diagnosticada depois que a falta de dinheiro apareceu. Muitas vezes, há um efeito vicioso em que a pessoa deprimida tenta adquirir algum produto para melhorar, mas acaba contraindo outras dívidas. Assim, o estado emocional do devedor também interfere no modo como ele lida com as suas finanças. Sentimentos como perda de sono, irritação, baixa autoestima e falta de concentração podem potencializar os problemas, dificultando ainda mais o processo de saída do endividamento.

Ainda de acordo com o SPC, a questão não se limita à dívida e tem impactos em todas as esferas da vida. As pessoas relatam ter problemas de relacionamento profissional, social e familiar: 15,9% afirmaram ter ficado desatentas e pouco produtivas no trabalho ou nos estudos, enquanto 12,6% têm estado mais nervosos, cometendo agressões verbais a familiares e amigos, e 7,6% já partiram até mesmo para agressões físicas.

No caso de situações com depressão, o contexto é ainda pior. Para a pessoa deprimida o mundo já está sem cor. Ela se sente culpabilizada, desvitalizada, sem vontade de realizar tarefas simples do dia a dia. Diante da crise, tanto ideológica quanto financeira pela qual nosso país está, o estresse aumentou para todos. Muitas pessoas perderam o emprego e já não podem mais viver como faziam anteriormente. O momento atual catalisa o sentimento de inutilidade e de descrença, comuns nos quadros depressivos. A depressão, muitas vezes já existente em algumas pessoas, agrava-se nesta atual situação social pela qual estamos passando.

Como resolver a falta de dinheiro?


Quem passa por momento de problemas emocionais deve, primeiramente, procurar uma ajuda médica. Além disso, economistas afirmam que o planejamento financeiro é a outra saída. Quem está com dívidas, deve se organizar: anotar o que ganha, o que gasta. E, para quitar o que deve, fazer alguns cortes essenciais nos gastos e lembrar que isso é temporário. É importante que o endividado não deixe as dívidas para depois. Deve-se tentar encarar o problema a fim de resolvê-lo, caso contrário, pode virar uma bola de neve. Mesmo para quem não está nessa situação, o conselho é se prevenir. Comece a se organizar financeiramente, pois imprevistos podem ocorrer com todo mundo. 

Veja algumas dicas para resolver a falta de dinheiro e ter uma vida financeira mais tranquila:

1 – Anote tudo

Para ter o controle das suas contas, lembre-se de anotar todos os gastos. Assim, você saberá exatamente para onde o seu dinheiro está indo. Outro ponto é não se perder em meio a vários pagamentos que precisam ser feitos.

2 – Crie metas

Um dos seus objetivos para os próximos 12 meses pode ser sair das dívidas. Com essa meta em mente, você pode separar as dívidas prioritárias e criar estratégias, como o pagamento das contas mais caras ainda nos primeiros seis meses. Além disso, você também pode dividir as metas por mês, e dar um passo de cada vez.

3 – Organize o orçamento

Uma atitude fundamental para sair do vermelho e da falta de dinheiro é organizar o seu orçamento. Você pode usar um aplicativo de telefone, uma planilha do computador ou mesmo um caderno. O importante é que você anote todo o dinheiro que você recebe no mês e todos os gastos.

O recebido pode ser salário, bônus, aposentadoria, dinheiro de bicos, etc. E os gastos precisam ser detalhados, para você conseguir cortar o que é desnecessário.

4 – Converse com a família

É muito importante envolver toda a família na organização do orçamento e no processo de acabar com a falta de dinheiro. Cada membro da sua casa pode ajudar com ideias para diminuir as contas ou conseguir uma grana a mais, com um trabalho extra ou venda de itens que vocês não usam.

5 – Corte gastos desnecessários

Enquanto você está com dívidas, fica difícil realizar sonhos maiores. Então, por um período será necessário apertar o cinto e cortar alguns gastos. O estilo de vida e as necessidades de cada família vão indicar quais gastos podem ser cortados. Mas não se esqueça de que para sair das dívidas, você terá que fazer um esforço.

Veja mais: Quer saber qual é o melhor aplicativo para controle de gastos? Separamos uma lista com 11 para você escolher

6 – Busque uma renda extra

Às vezes, só cortar não basta, ou mesmo com todos os cortes possíveis ainda falta dinheiro para se livrar da falta de dinheiro. Se essa for a sua situação, o caminho pode ser a renda extra. Pode ser com um trabalho nas horas que estavam livres, bicos nos finais de semana ou mesmo com vendas.

Você pode se desfazer de itens que não usa mais ou criar produtos, bolos, doces, artesanatos, e vender para amigos, vizinhos ou mesmo na internet. Descubra alguma atividade que você leva jeito e comece a empreender.

7 – Negocie com os credores

Com o orçamento em ordem e com as economias de corte de gastos ou renda extra, procure os seus credores. Com dinheiro na mão é mais fácil negociar e conseguir desconto.

8 – Priorize as dívidas com maior juros

Se você tem mais de uma dívida, o importante é dar prioridade para as dívidas que têm os maiores juros para não virar uma bola de neve.

9 – Pesquise antes de comprar

Essa é uma dica que serve para todos os consumidores, mas para quem está com falta de dinheiro é fundamental. Pesquisar antes de comprar qualquer produto é a garantia de que você vai encontrar o melhor preço e, claro, economizar.

10 – Faça uma autoavaliação

A última dica resolver a falta de dinheiro é fazer uma reflexão. Pare e pense no que aconteceu para você ficar nessa situação. Isso é importante para você evitar a inadimplência no futuro e saber sair do problema o quanto antes.

Com todas essas dicas, você se livra das dívidas de uma vez por todas. Além de ficar com o nome limpo, ainda vai conseguir ter acesso a crédito para realizar os seus sonhos. Agora que você já aprendeu o que precisa resolver a falta de grana, compartilhe esse conteúdo e ajude um amigo ou familiar que possa estar na mesma situação.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *