Em quantas vezes posso pagar o empréstimo parcelado?

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

mulher loira usando blusa vermelha a frente de um fundo amarelo pensando sobre modalidades de empréstimo

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Aprenda como calcular o melhor custo-benefício antes de decidir em quantas vezes você vai parcelar seu empréstimo

Vamos supor, que, em uma propaganda, uma televisão é oferecida por 18 vezes de 120 reais. Para você, isso é barato ou caro? É comum a gente pensar apenas no valor da parcela, e não no custo total do produto. A mesma coisa que acontece com o empréstimo parcelado. Será que eu devo pensar, apenas, no preço das prestações ou em todas as taxas de juros e impostos da dívida inteira?

Descubra o que levar em consideração na hora de decidir em quantas vezes parcelar o empréstimo para evitar gastos desnecessários.

Qual é o raciocínio matemático do empréstimo parcelado?

Nas aulas de matemática, era muito fácil fazer uma conta de multiplicação, certo? Bastava pegar um número exato, redondinho, e fazer a famosa conta de “vezes”.

Mas, as coisas complicam um pouquinho nas aulas de juros simples e compostos, não é?

Por mais que seja difícil resolver esses problemas mirabolantes de matemática, você precisa entender que esses juros fazem toda diferença na sua vida.

São eles, entre outras taxas, que vão determinar o custo final do seu empréstimo parcelado.

É por isso que você não deve pensar apenas no valor de cada prestação, mas no quanto de juros está sendo cobrado a cada mês.

Uma coisa é certa: o preço que você pagará sempre vai ser maior do que o valor do empréstimo em si.

Juros simples: O cálculo é feito a partir de uma taxa aplicada, todo mês, em cima do valor do empréstimo. Vamos supor que você vai pedir um empréstimo de 1 000 reais e os juros são de 3% ao mês.

Isso significa que você pagará 30% de 1000 reais, ou seja, 30 reais por mês mais o valor de cada parcela até o final da dívida. 

Juros compostos: Se baseiam no valor total e nos juros acumulados em cada período. É o famoso juro sobre juro. Seguindo o mesmo exemplo anterior, se você paga 3% em cima de 1000 reais, na segunda parcela o valor será calculado a partir de 1030 reais e assim por diante. 

Leia mais: Pontuação do score: como isso pode te ajudar a conseguir crédito?

aperto de mãos entre dois homens após negociação de empréstimo parcelado

Eu só pago juros simples ou compostos nas parcelas?

Bom seria se fosse assim, mas não é essa a realidade. As taxas cobradas em empréstimo parcelado dependem das regras de cada banco, valor solicitado, do seu perfil financeiro e do tempo que você vai levar para quitar a dívida. 

Tudo isso junto vai determinar o CET (Custo Efetivo Total), que é determinado pelos seguintes itens:

Taxa Selic: É criada pelo governo, que determina os juros cobrados nas operações financeiras.

IOF: O Imposto sobre Operações Financeiras é uma taxa obrigatória que deve ser cobrada no empréstimo parcelado. 

Tarifas: Cada banco estipula um valor em cima das atividades administrativas, despesas com funcionários, materiais de escritório, taxas de manutenção, ente outras.

Seguros: Algumas instituições financeiras podem cobrar seguro, caso você fique desempregado ou passe por situações que impeçam de quitar a dívida.

Lembre-se de que taxas de juros baixas não significam que o CET é menor. Você precisa ler com atenção todas as condições contratuais antes de fechar acordo. Daí a importância de comparar propostas de vários bancos. 

homem de terno preto conversando com uma mulher de blusa cinza enquanto estão sentados à uma mesa com cadernos, um laptop e xícaras de café sobre ela

Leia mais: Está difícil descobrir como economizar dinheiro? As dicas a seguir vão facilitar sua vida!

Qual é a quantidade ideal de parcelas de empréstimo pessoal?

Isso vai depender do quanto você ganha, das contas que você tem que pagar todo mês e da análise que o banco fizer do seu perfil.

O valor exato de cada prestação do empréstimo parcelado é aquele que oferece o melhor custo-benefício para o seu caso.

Em outras palavras, as prestações devem caber no seu bolso. Não adianta nada pagar um valor maior em cada parcela e comprometer seu salário inteiro só com empréstimo. Isso pode, inclusive, te deixar com mais dívidas.

Dependendo da instituição financeira, você pode parcelar em 12, 18, 24 ou 36 parcelas.

Lembre-se de que, quanto mais durar o período de meses, maiores serão as taxas. Isso quer dizer que o CET aumentará. 

O importante, como a gente já disse, é ler as propostas dos bancos, calcular o quanto você pode pagar por mês e encontrar uma saída tranquila que une o útil ao agradável. 

O bom é que, se você quiser, pode antecipar o pagamento das parcelas. Você pode aproveitar, por exemplo, o dinheiro do 130 para ir quitando a dívida. Sempre que você antecipa o pagamento, o CET diminui. 

Com essas informações, você será capaz de pedir um empréstimo parcelado com mais segurança e comodidade.

O Bom Pra Crédito possui parceria com mais de 30 bancos que, dependendo do seu perfil financeiro, oferecem as melhores taxas e condições.

Aproveite que você nos conheceu por meio desse artigo e descubra outras maneiras de controlar melhor seu dinheiro com sabedoria. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *