A educação financeira está chegando nas escolas… o que o brasileiro vai ganhar com isso

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

mesa de sala de aula com livros, canetas, um globo em miniatura e a lousa ao fundo

Continua depois da publicidade

A educação financeira para crianças e adolescentes agora faz parte das atividades escolares. Saiba  como ela vai funcionar

A pauta da educação financeira não é novidade no Brasil. Há muito se fala sobre a importância dos jovens aprenderem a lidar com dinheiro e organizar suas finanças. Entretanto, a implantação do componente curricular só se tornou obrigatória em 2020.

Com a necessidade de implementação no Ensino Fundamental e Médio, escolas públicas e particulares se adaptam para conscientizar e capacitar alunos. A educação financeira nas escolas chega com a promessa de ensinar os jovens a terem uma vida financeira saudável.

Mas é natural que você se pergunte o que é educação financeira e como esse ensino vai funcionar na prática nas escolas do país. Pensando nessas questões, organizamos um conteúdo para tirar todas as suas dúvidas. Confira a seguir!

Objetivo de estudar educação financeira nas escolas

Antes de tudo, é preciso entender que educação financeira nada mais é do que a habilidade de saber gerir bem suas finanças. Isso inclui administrar, poupar e investir seus  rendimentos e pensar no  futuro.

Ao chegar às escolas, ela visa ajudar crianças e adolescentes a lidarem bem com o dinheiro e preparar o cidadão para um futuro mais equilibrado economicamente. Isso tudo a partir de livros sobre finanças e material didático apropriado para cada nível.

A educação financeira infantil não vem como uma nova disciplina a ser encaixada na grade escolar. Ela é, na verdade, um componente curricular abordado nas mais diversas disciplinas com aprofundamentos diferentes, levando em conta o nível de cada série.

jovem de camisa xadrez vermelha e preta sentada fazendo anotações à frente de três colegas ao fundo

Para aprender mais: O que é educação financeira e porque você precisa dela urgente

Importância da educação financeira nas escolas

Segundo a AEF-Brasil, Associação de Educação Financeira do Brasil, aprender educação financeira nas escolas é importante porque prepara as gerações futuras para as decisões que precisarão tomar ao longo da vida.

Isso faz com que esses indivíduos sejam agentes multiplicadores. Ou seja, o efeito desse conhecimento não fica só com eles, mas exerce poder também no coletivo. Assim, ganha o aluno e a sociedade como um todo.

Mas afinal, quais são os benefícios do ensino da educação financeira nas escolas para crianças e adolescentes? Abaixo listamos algumas vantagens levadas em conta:

Ensinar o valor do dinheiro

É importante que o aluno saiba de onde vem o dinheiro e porque é importante saber cuidar dele. Essa relação, construída desde a infância, tende a formar adultos mais conscientes e responsáveis.

Ensinar o que pode ser aplicado na realidade do estudante

O ensino da educação financeira nas escolas deve ser realista e ensinar aquilo que o aluno terá condições de aplicar na sua vivência prática. Não é sempre que investimentos financeiros são possíveis. Ensinar a administrar o pouco que se tem pode ser  suficiente.

Ajudar crianças e adolescentes a resolver suas dificuldades

Ensinar a resolver pequenos conflitos financeiros no presente impacta diretamente no futuro. A partir deste entendimento, os jovens terão a condição de se planejar a curto, médio e longo prazo e, quem sabe, melhorar sua qualidade de vida.

A preocupação da educação financeira é com o futuro das crianças, das suas famílias e da sociedade como um todo. Ensinar organização social das finanças é sobre ensinar a administrar seus gastos cotidianos e poupar para ter uma vida mais equilibrada.

O papel dos pais na educação financeira

A educação financeira não é um aprendizado que deve se limitar à escola e os pais também têm papel importante nesse processo. Em casa, é possível ensinar sobre o que é dinheiro, o que é cartão de crédito e responsabilidades financeiras individuais.

Uma dinâmica que pode ajudar é ensinar a criança a administrar sua mesada. Com isso, ela aprende a lidar com dinheiro, se organizar de acordo com seus desejos, poupar, ter responsabilidade com seus gastos e muito mais.

Mesmo com pequena quantia,  administrar o  próprio dinheiro ajuda no aprendizado que a criança e o adolescente terão na escola. Outras coisas que os pais podem fazer é dar um cofrinho para motivar a criança a poupar e ensinar sobre gastos essenciais e supérfluos.

O que trabalhar em educação financeira nas escolas?

Na prática, serão ensinadas noções das básicas às mais complexas para gerir a vida financeira em dois âmbitos: o individual e o social:

Contexto Individual

  • Ensinar crianças e adolescentes a planejar a vida financeira de acordo com suas possibilidades;
  • Ensinar a refletir e consumir conscientemente, reduzindo gastos desnecessários e consumindo com responsabilidade social e ambiental;
  • Orientar a respeito da importância da pesquisa de preços e do consumo em estabelecimentos comprometidos com a responsabilidade social e ambiental;
  • Informar sobre a importância de fazer uma poupança para o futuro.

Contexto Social

  • Fiscalizar a situação financeira do coletivo, ou seja, ações dos governos federais, estaduais e municipais que impactam na vida da sociedade como um todo;
  • Reconhecer a importância da nota fiscal para a experiência do consumidor e de entender a importância de tributos cobrados em produtos e serviços;
  • Orientar a respeito da importância de gerir o dinheiro de forma responsável uma vez que seu consumo individual impacta recursos naturais que são de uso coletivo.

Essas são algumas das lições abordadas pela educação financeira nas escolas nas escolas em 2020. A intenção é que, a curto prazo, elas tenham impacto e conscientizem, não só alunos, como também seus pais dando início a um verdadeiro efeito cascata.

A longo prazo, o objetivo é contribuir para o desenvolvimento do país. Além disso, a educação financeira visa resolver ou amenizar problemas como, por exemplo, o alto índice de adultos que buscam por soluções de como sair das dívidas. 

imagem de professor de frente para turma dando aula

Veja também: Vídeos de educação financeira que você precisa assistir

Quantas escolas no Brasil têm educação financeira?

O índice de escolas com o componente curricular no Brasil ainda não é satisfatório, mas vem melhorando. Isso porque o ensino da educação financeira só ingressou na Base Nacional Comum Curricular em 2020 e existe um período necessário de adaptação.

O fato do Brasil não ter investido em educação financeira há mais tempo deixou o país distante da realidade de outras nações, como Noruega, Dinamarca e Suécia, que são alguns dos países que mais investem em educação financeira no mundo.

Outros países como Reino Unido e Espanha também vêm se desenvolvendo na área e aplicando metodologias de ensino financeiro. Mesmo que em um nível diferente desses países, os investimentos em educação financeira no Brasil tendem a evoluir.

Se você não teve oportunidade de aprender sobre educação financeira e precisa de ajuda, nós temos a solução certa para você. Com o Bom Pra Crédito, você sai do vermelho e pode, finalmente, colocar as dicas de educação financeira em prática.

Acesse nosso site e fique por dentro das melhores opções e condições de empréstimos pessoais para a sua necessidade!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *