Como falar sobre dinheiro com crianças e fazê-las entender seu valor

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

mãe usando roupas vermelhas brincando com sua filha em gramado

Resumo da matéria

  • Por que é importante falar sobre educação financeira para crianças?
  • Explique quais são as condições de vida da família
  • Faça com que elas entendam que dinheiro acaba
  • Use recursos lúdicos com crianças menores de 6 anos
  • Ofereça a famosa mesada
  • Aplique o método sonhar, poupar e gastar
  • Ensine a criança a fazer compras
  • Evite recompensas financeiras
  • Seja um exemplo

Continua depois da publicidade

Comece agora mesmo a ensinar o valor e a importância de uma vida financeira organizada para os pequenos

Um dos grandes erros cometidos pelos adultos é acreditar que as crianças não devem ter informações relacionadas à economia familiar. Todo assunto relacionado a dinheiro, na verdade, pode e deve ser discutido com os pequenos. Afinal, é na infância que aprendemos uma série de valores, hábitos e habilidades que levaremos para toda vida. Para tratar de educação financeira para crianças em sua casa, leve as orientações que compartilharemos a seguir em consideração. 

Por que é importante falar sobre educação financeira para crianças?

Sabe aquela história típica de adultos que implica em aprender com os erros?

Então… Provavelmente, você já deve ter passado por alguns problemas com dinheiro justamente pelo fato de não saber como lidar com suas finanças.

Esse é um bom motivo para falar sobre educação financeira para crianças: evitar que elas cometam os mesmos erros que você.

Além disso, uma criança bem-educada financeiramente pode ser tornar um adulto mais responsável e organizado. 

Mas, como falar sobre esse assunto que, até mesmo para os adultos, pode parecer um pouco complicado?

Continue a leitura para descobrir como colocar a educação financeira para crianças em prática. 

Explique quais são as condições de vida da família

Diariamente, as crianças são bombardeadas por um monte de propagandas de brinquedos, refrigerantes, chocolates, roupas, eletrônicos, entre outros produtos atrativos. É natural que elas queiram ter acesso a todos eles.

Aproveite o momento de um anúncio para falar que não se pode ter tudo o que se deseja.

Os pequenos devem entender que a família vive de acordo com determinada condição financeira.

Explique que vocês possuem uma renda que deve servir para pagar contas, mensalidade da escola, fazer compras de supermercado, farmácia, entre outros.

Isso vai evitar que as crianças pensem que você pode dar tudo o que elas pedirem. Seja sempre realista

mãe sentada a uma mesa com seu filho o ajudando a estudar

Confira agora: Educação financeira infantil: porque você precisa ensinar o seu filho desde cedo

Faça com que elas entendam que dinheiro acaba

Se toda vez que a criança pedir dinheiro para comprar uma revista, um doce, pacote de figurinhas ou até para coisas um pouco mais caras, você der, ela vai achar que dinheiro não acaba nunca. Isso pode ser prejudicial mais futuramente.

Por isso, explique para ela de onde vem o dinheiro e que, se ele não for controlado, todos podem sair prejudicados.

Aproveite para falar sobre a importância do trabalho, já que, sem ele, não há salário. 

Use recursos lúdicos com crianças menores de 6 anos

Para crianças menores de 6 anos, você pode contar com os recursos do tradicional cofrinho.  Ofereça moedas que devem ser guardadas por alguns meses.

Quando alguma data importante se aproximar, quebrem o cofrinho e conte o valor acumulado.

Explique o que pode ser comprado e dê a elas a opção de querer ou não usar o valor.

Caso elas prefiram, devolva as moedas no cofrinho e explique que vai demorar um pouco mais para que elas comprem o que desejam.

Ofereça a famosa mesada

A mesada para crianças é uma ótima maneira de começar a praticar educação financeira para crianças.

O valor oferecido deve estar de acordo com a realidade da família e com o nível de envolvimento da criança com o dinheiro. 

O ideal é que a mesada seja dada para crianças a partir de 6 anos, desde que você explique a ela o objetivo desse dinheiro.

Diga que o valor será pago todo mês e que ela deve planejar como e com o que vai gastar. 

Aplique o método sonhar, poupar e gastar

A mesada não deve ser entendida como algo que está separado das finanças da família.

Portanto, esse dinheiro deve ser usado para dar conta de um planejamento determinado, seja para comprar um jogo, uma roupa ou gastar em uma viagem.

Dê à criança a responsabilidade de separar um valor da mesada para arcar com esses custos. Se for necessário, faça um combinado.

Você pode entrar com 60% do valor. Os 40% fica por conta dela. 

Isso já dá margem para uma aula sobre porcentagem. Se, no dia da compra ou da viagem, ela não tiver o valor combinado, não poderá usufruir do que desejou, já que ela não se planejou para isso. 

Ensine a criança a fazer compras

Uma das formas de ensinar educação financeira para crianças é levá-las ao supermercado ou loja para fazer compras com você.

Explique que você tem um valor e que deve comprar determinados produtos.

Não se esqueça de dizer que vocês deverão voltar para casa com tudo que está na lista e com o troco dessa compra.

Isso vai fazer com que elas pesquisem os melhores preços e discutam sobre questões relacionadas à qualidade, marcas, entre outras. 

imagem ampliada de porta canetas e e ao fundo uma criança estudando

Confira agora: Planejamento financeiro familiar… pode assustar, mas é fácil resolver

Evite recompensas financeiras

Estudar, cuidar dos pertences, escovar os dentes e ajudar nas tarefas de casa não devem ser encaradas como ações que merecem recompensas. Afinal, essas são obrigações e devem ser cumpridas. 

O ato de presentear não deve ser associado ao que, como a maioria das mães diz, “não é nada mais do que a obrigação”. 

Presentes devem ser dados em momentos especiais e que não estejam relacionados à rotina da criança.

Seja um exemplo

De nada adianta falar sobre educação financeira para crianças se sua conta sempre fecha no vermelho.

Tome cuidado com gastos supérfluos para evitar que seus filhos, sobrinhos ou irmãos mais novos repitam seus erros. 

Adultos que não levam dinheiro a sério, são desorganizados e tendem a colocar sempre a culpa no trabalho, no salário, na economia, entre outros. Isso acaba passando uma imagem negativa para as crianças sobre o assunto. 

Aproveite para aprender sobre educação financeira e ir sempre mais além. Continue aqui no blog do Bom Pra Crédito para ter acesso a conteúdos que podem te ajudar a lidar melhor com a educação financeira para crianças e, claro, para adultos, também.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *