Será que dinheiro emprestado é uma boa saída?

Larissa Carvalho

| 3 minutos para ler

Uma mão segurando diversas cédulas de real

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Descubra quando essa opção é a sua melhor chance e quando evitar

A vida em suas condições normais já pode ser desafiadora para quem não consegue fechar a conta no azul no final do mês. Em situações adversas, como no meio de uma pandemia mundial, então, muita coisa pode sair do controle.

E agora, o que fazer para pagar todas as contas quando o dinheiro já acabou ou nem entrou no orçamento familiar? 

Por que as pessoas pegam dinheiro emprestado?

O principal motivo para os brasileiros buscarem empréstimos online são as dívidas em atraso, segundo um estudo recente. Mais da metade (54,5%) dos participantes da pesquisa apontou boletos vencidos como a razão mais provável de pegarem um empréstimo. 

O segundo motivo mais citado entre os que pegam dinheiro emprestado foi sair do cheque especial (13,9%), seguido pela necessidade de pagar uma reforma ou conserto que saiu mais caro que o previsto, ter capital de giro para o negócio ou despesas de saúde (10,7%).

Saiba mais: O fim de mês chegou e estou sem dinheiro. E agora?

Quando não vale a pena? 

Antes de começar a responder quando vale a pena pegar dinheiro emprestado, já vamos te adiantar quando isso não é válido: para fazer mais dívidas supérfluas. Exemplo: comprar roupas, sapatos, móveis e eletrônicos, viagens e afins.

Um outro ponto a se observar é o seguinte: se as suas dívidas cabem integralmente no seu orçamento mensal, a contratação de um empréstimo não é razoável. Você só vai estender os seus prazos para a quitação. E, lembre-se: quanto antes quitar, melhor.

Quando vale a pena?

Existem situações mais extremas que podem te obrigar a recorrer a pegar dinheiro emprestado, como trocar uma dívida mais cara, ou várias dívidas, por uma só mais barata.

Se você conseguir um valor para pagar uma renegociação de dívida que vai te garantir um ótimo desconto, não precisa pensar muito para ter certeza que essa troca é válida. 

Dívidas de cartão de crédito, que vem sendo pago com atraso ou valor inferior ao total da fatura, ou ainda o uso constante do cheque especial, acabam em taxas elevadas demais a longo prazo. Isso dificulta a quitação com recurso próprio. 

No entanto, fique atento para o que chamamos de CET (Custo Efetivo Total), que é o valor total de um empréstimo incluindo encargos, juros e tudo o que se cobra em cima dessa transação. Algumas vezes a taxa de juros é barato, mas os outros encargos não são. Por isso sem avaliar o CET você pode cair numa cilada.

Cédulas e moedas de real

A questão é: como conseguir dinheiro emprestado? 

O ideal é procurar sempre pelos menores juros, melhor ainda se você puder contar com formas mais amistosas de negociação. Como, por exemplo, com algum familiar. Dá para pegar dinheiro sem juros e pagar da forma que for melhor para você e seu parente.

Mas, nem todo mundo pode contar com essa opção, é aí que entram outras alternativas como a contratação de um empréstimo pessoal. Na plataforma do Bom Pra Crédito você consegue descobrir em poucos minutos suas opções de taxas e parcelamentos de acordo com sua renda e o valor que precisa sacar. 

Além de ser online, ou seja, tem o mínimo de burocracia. Apesar disso, esse tipo de empréstimo pode ser muito seguro. Na plataforma da sua escolha, você só precisa analisar alguns pontos como reconhecimento do Banco Central e alguns certificados de segurança para a proteção dos seus dados. 

No Bom Pra Crédito suas taxas começam em 1.59% ao mês. E você também pode escolher entre modalidades mais seguras como empréstimo consignado (descontado direto na folha de pagamento ou no benefício do INSS) e empréstimos com garantia, aqueles em que você coloca um veículo ou imóvel como uma validação de que vai pagar pelo dinheiro que pegou.

Fuja de propostas milagrosas de outros meios de empréstimo, como de agiotas, por exemplo. Eles não são correspondentes financeiros e não são reconhecidos pelo Banco Central. Isso quer dizer que eles não seguem regras, e você pode ser submetido a juros altíssimos e até colocar a sua vida e a de familiares em risco caso não consiga pagar. 

Leia Também: Ganhar por comissão, veja como se controlar para não ficar nunca sem dinheiro

Sem falar que agiotagem é crime, então se você pega empréstimo com essas pessoas também está cometendo um crime, e não vai ter para quem recorrer caso constate alguma movimentação abusiva.

A conclusão disso tudo é que se você não precisa adquirir mais dívidas, deve continuar o pagamento dos seus boletos que cabem no seu bolso. Pegar grana emprestada com um familiar disposto a oferecer boas condições de pagamento é a melhor opção, mas elas não acabam por aí. 

Pesquise bastante, encontre as melhores oportunidades de conseguir um empréstimo pessoal e comece a sair do vermelho de maneira responsável. E não esqueça, manter a sua saúde financeira deve ser sempre sua meta. Comece agora mesmo a estudar sobre o assunto e aplicar as regras na sua rotina.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *