Dicas para enfrentar a crise financeira

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

Dicas para enfrentar a crise financeira

Continua depois da publicidade

A crise pode afetar seu bolso e seu estado emocional; veja dicas para tomar o controle de volta e sair por cima

Diante de um cenário econômico difícil, com o país em crise financeira e alta inflação, o consumidor sofre com os preços dos serviços e produtos, ao mesmo tempo em que o desemprego aumenta.

Para superar a crise, é preciso ter controle financeiro e ficar atento com os gastos desnecessários.

De acordo com especialistas, os principais problemas psicológicos que acometem as pessoas durante as crises financeiras são o aumento da ansiedade, de sintomas depressivos, de estresse, uso de álcool, e até o suicídio.

Todos estes sintomas estão presentes nas crises, mas não podem ser considerados resultados somente delas, pois dependem da estrutura psicológica de cada um. Pessoas com crenças pessoais negativas tendem a ter a recidiva de depressão e de sintomas de ansiedade frente a instabilidades do ambiente.

 A vida não está fácil pra ninguém. Quem é que consegue chegar ao final do mês no azul desse jeito?

Muita gente, se você quer saber. E sabe qual é o segredo das pessoas que conseguem manter o equilíbrio financeiro mesmo na crise? Controle e disciplina.

Se você esperava uma solução mágica, não existe. Os passos para sair da crise melhor do que entrou nela dependem mais de você do que de qualquer outra pessoa. Se depois desse balde de água fria você ainda continua aí, é porque tem potencial. Seja firme e boa sorte.

Confira abaixo nossas dicas de como enfrentar a crise financeira!

Equilibre os gastos

O jeito mais fácil de fugir da crise financeira é colocar todas as despesas na balança e priorizar as mais importantes, como água, alimentação e energia elétrica, que são as necessidades básicas. Juntas, essas despesas impactam consideravelmente a renda mensal.

Isso significa que, quanto menor o gasto, mais alívio para o bolso. Considere também reduzir serviços, como internet e TV por assinatura, mesmo que temporariamente. Controle tudo em uma planilha de gastos.

Ajuste seu estilo de vida

Durante a crise financeira, a mudança de hábitos é essencial para não ficar sem dinheiro. Exemplo clássico é o cafezinho na rua diariamente.

A soma dos gastos diários é que deve ser levada em consideração. Outras despesas que podem ser revistas são: academia, vestuário, gasolina, almoço e lazer.

Opte por praticar exercícios físicos ao ar livre, caminhar até o trabalho, passear no parque. Aproveite o que não custa nada e ainda faz bem à sua saúde.

 mulher apoiada em mesa com diversas contas em cima

Saiba mais: Pedido de falência: Como afastar este fantasma no primeiro ano do seu empreendimento

Pague suas Dívidas

Quando a situação apertar, procure opções para pagar as contas mesmo sem dinheiro.

O fato de não pagar as dívidas pode piorar ainda mais a sua situação financeira.

No caso de dívidas com juros altos, como cartão de crédito ou cheque especial, a dica é buscar créditos com juros menores, como o empréstimo pessoal, com parcelas que cabem no seu bolso.

Para te ajudar, o Bom pra Crédito busca as melhores condições de crédito, rápido e sem custo.

Você troca várias dívidas por uma só, que pode pagar. Que tal?

Procure uma renda extra

Fontes alternativas de renda são sempre bem-vindas para driblar a crise financeira. Você pode aproveitar o que sabe fazer para ganhar mais dinheiro.

Use as redes sociais para divulgar seu serviço e, assim, conquistar clientes com mais facilidade.

Você também pode vender coisas que não utiliza mais, que apenas ocupam espaço na sua casa.

Agora é a hora de exercitar a sua criatividade, porque as pessoas estão buscando pagar menos por serviços e produtos.

Economize nas compras, pesquise preços

O aumento no preço de alimentos e outros itens de supermercado é resultado da aceleração da inflação brasileira.

Para economizar mais dinheiro, a dica principal é preparar um checklist antes de ir às compras e, sempre que possível, fazer compras sem fome.

Dessa maneira, fica mais fácil resistir às tentações das prateleiras. Lembre-se de priorizar os itens básicos e trocar as marcas mais caras por mais baratas. Pelo menos, enquanto a crise durar.

Faça um orçamento detalhado

Saber exatamente quanto entra e quanto sai é o primeiro passo para estabelecer metas de crescimento a curto, médio e longo prazos.

Durante os próximos 30 dias anote todos os gastos até mesmo os que lhe parecerem insignificantes, como o trocado dado ao entregador de pizza, ou a bala depois do almoço.

Não se esqueça de ordená-los por categorias, como alimentação, lazer, transporte, etc. Este exercício lhe dará a noção exata do destino dos seus recursos financeiros.

Otimize seu tempo

Tempo é dinheiro, como você sabe. Mas poucas pessoas usam o tempo a seu favor no momento de economizar ou ganhar mais dinheiro.

Precisa abastecer a casa? Que tal arranjar um tempo para ir ao supermercado mais barato ou ao atacadista que oferece preços até 50% mais baixos?

Porque não bater um pouco mais de perna antes de comprar um presente? Imagine só quanta coisa você poderia fazer com o tempo desperdiçado em redes sociais?

Bastam duas horas de dedicação do seu dia para um novo projeto que pode aumentar a sua renda, pense nisso.

garota de blusa cinza segurando um cofre de porco rosa em frente a um fundo azul claro

Veja mais: O fim de mês chegou e estou sem dinheiro. E agora?

Trace metas

Quem não tem objetivos claros de curto, médio e longo prazo se perde nas oportunidades que pipocam o tempo todo na crise.

O impulso de comprar um objeto que não estava na lista de prioridades pode colocar em risco todo o planejamento feito em família.

Com metas realistas fica mais difícil se render ao apelo do “mais barato” e focar na reserva necessária para a aquisição de bens mais importantes.

Aprenda a investir

Poupar dinheiro é importante, mas saber multiplicá-lo é o que vai fazer a diferença no futuro.

Graças à crise a renda fixa no Brasil tem alcançado patamares que há tempos os investidores não encontravam.

A oferta de sites que oferecem informação de qualidade sobre educação financeira gratuitamente é imensa e há muitos sites que vem educando financeiramente milhares de brasileiros.

 Com essas dicas e muita calma você vai superar essa crise financeira. A principal sugestão para as grandes crises é procurar lembrar-se de suas próprias características pessoais e de que as crises passam e que sempre haverá uma nova forma de vida que surgirá; ou seja, a paciência e a criatividade são as melhores condutas nos momentos de grande turbulência.

Há, portanto, uma boa chance de que mesmo com crise se possa experimentar bem-estar psicológico e esperança.

Mas, para isso, é necessário o fator tempo e um esforço para a superação do imediatismo.

É importante manter em mente que as crises, embora dolorosas, permitem renovação. Isso serve tanto para uma pessoa como para uma sociedade.