Dicas financeiras que você não deve seguir em época de crise

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

imagem de homem de terno desenhando um gráfico ascendente em uma lousa de vidro

Resumo da matéria

  • Investimento em ações
  • Não pagar as contas
  • Não gastar com lazer e bem-estar
  • Pagar o mínimo do cartão de crédito

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Orientações infalíveis e milagrosas, além de não funcionar, podem atrapalhar suas finanças pessoais e seu negócio

Quando estamos passando por momentos de dificuldade financeira, é comum pesquisarmos sobre orientações para sair do vermelho. O problema é que tem muita gente oferecendo dicas milagrosas que nem sempre funcionam.

Pior ainda é encontrar pessoas de má fé que se aproveitam de nossa situação de fragilidade para prejudicar o quadro de crise. Diante disso, é importante que você saiba filtrar quais são as dicas financeiras que vão te atrapalhar ao invés de ajudar.

Conheça quais são as principais e descubra por que elas não são as melhores saídas, principalmente nesse cenário de pandemia em que estamos vivendo.

imagem de gráfico ascendente desenhado com caneta azul em um caderno quadriculado

Leia mais: O que os bancos estão fazendo para enfrentar a crise causada pelo coronavírus

Investimento em ações

Provavelmente, você deve ter recebido mensagem ou se deparado com propagandas que mencionam que esse é o momento exato para investir na Bolsa de Valores. Algumas frases, inclusive, são bem atrativas.

Afinal, quem não gosta de ler a palavra “saldão” quando o assunto é consumo? A justificativa para todos esses anúncios é que ela está voltando a subir.

Dessa forma, somos intimados a correr para começar a investir porque nosso dinheiro vai valorizar.

 Acontece que a realidade é completamente diferente. Em março deste ano, a Bolsa de Valores sofreu uma queda considerável por conta dos efeitos da pandemia. Nesse momento, esse tipo de investimento é bastante arriscado.

O fato de algumas aplicações estarem baratas agora não significa que nossos rendimentos vão subir em médio e longo prazo.

Estamos passando por várias incertezas e, por isso, é melhor saber onde estamos pisando antes de tomar qualquer decisão.

O ideal para o contexto atual é que você aposte na sua reserva de emergência. Se você ainda não tem uma, é hora de dar o primeiro passo. Com isso, caso aconteça algo inesperado, você conseguirá segurar as pontas.

Para saber o valor aproximado que você precisa ter em uma reserva de emergência, calcule o quanto você gasta hoje. Multiplique esse valor por 3 ou 6 meses e comece a guardar esse dinheiro.

Não pagar as contas

Definitivamente, essa é uma das piores dicas financeiras. Atrasar contas de luz, água, imposto, entre outras despesas, é só ajudar na formação de uma bola de neve que pode ficar insustentável.

Até porque, mais cedo ou mais tarde, todas elas deverão ser pagas. E como você fará se não tiver o dinheiro?

A segurança financeira é a palavra de ordem para essa situação. Portanto, não crie mais problemas do que aqueles que você já tem.

Ao invés de atrasar o pagamento, diminua os custos. Economize energia e água. Reduza seu plano de internet.

Se você pode pagar os boletos agora, não há razão para adiar isso.

Não gastar com lazer e bem-estar

Tome cuidado com dicas financeiras que podem atrapalhar seu bem-estar. Todos os extremos tendem a ser muito complicados.

Não gastar nada com lazer é tão negativo quanto gastar demais com isso.

Nós precisamos de momentos para descontrair, ter acesso a coisas e atividades que nos fazem bem. Lutar contra isso só vai alimentar um sentimento de culpa e improdutividade.

O ideal é sempre buscar pelo equilíbrio. Nessa condição financeira atual, o que você pode fazer para se divertir gastando pouco?

Que tal escolher um dia da semana para pedir uma boa pizza e assistir um filme na Netflix?

Ir à academia não é seguro neste momento. Mas isso não significa que você não tenha que se exercitar. Na internet, você encontra excelentes profissionais de educação física que oferecem treinamentos online.

Combine com amigos ou pessoas da sua família para dividir a pizza, a Netflix e as aulas virtuais.

Com isso, todos se divertem, mantém a saúde do corpo e da mente em dia e, ainda por cima, economizam.

imagem de uma pessoa anotando dicas financeiras em um caderno de anotações

Leia também: Como a pandemia mudou o comportamento do brasileiro em relação a gestão financeira

Pagar o mínimo do cartão de crédito

Tem muita gente acreditando que não pagar o cartão de crédito ou pagar o mínimo da fatura é uma boa saída. Não caia nessa armadilha. A ideia aqui é basicamente a mesma em relação às outras contas.

Se o valor que você tem recebido não está dando para pagar suas dívidas, certamente, ignorá-las não é o melhor caminho.

Algumas pessoas têm falado que preferem guardar dinheiro ao invés de pagar a fatura do cartão.

O que acontece é que a taxa Selic (a taxa de juros básica da economia) está em baixa.

Nesse caso, o dinheiro que você guardar não vai render quase nada. O pior de tudo é que, no final das contas, você terá pouco dinheiro e uma dívida gigantesca.

A melhor estratégia é negociar o pagamento. Não hesite em entrar em contato com as empresas para as quais você deve e propor um acordo. Dessa forma, você resolverá o problema antes mesmo de ele surgir.

Lembre-se de que a situação não está fácil para a maioria dos brasileiros. Tome cuidado para não cair em dicas vagas que podem te prejudicar ainda mais.

Não existe fórmula mágica para fazer com que as contas desapareçam do dia para a noite.

Aproveite esse momento para estudar e aprender a filtrar as boas dicas financeiras das ruins.

Certamente, você terá contato com informações relevantes que vão te ajudar a controlar seu dinheiro e investir em caminhos que aumentem seu saldo bancário. Conte com o Bom Pra Crédito para te orientar, sempre.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *