Compras por impulso: 7 dicas para você resistir

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

imagem em close de uma carteira na qual uma mulher retira um cartão de crédito

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Aprenda a controlar seus desejos e manter a conta bancária na linha

Se você realizou a busca de como evitar compras por impulso e chegou até aqui com o mínimo de curiosidade, temos duas notícias para te dar: uma boa e uma ruim.

A ruim é que você deve ter questões com impulsividade, o mínimo que seja. A boa é que a gente vai te ajudar a perceber melhor essas situações.

Sim, porque nós fizemos uma breve pesquisa e descobrimos como te ajudar.

Nem tudo está perdido, e o mundo das finanças está sempre aberto para aqueles que se arrependem do dinheiro perdido e estão dispostos a alcançar a saúde financeira.

Mas, pode se tranquilizar, você não está sozinho nessa.

Um estudo recente feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) demonstrou que seis a cada dez consumidores aproveitaram a oferta de crédito para fazer compras por impulso. 

imagem em close de uma carteira na qual uma mulher retira um cartão de crédito

De acordo com a pesquisa, as aquisições mais feitas por impulso são roupas, calçados e acessórios (19%), compras em supermercados (17%), perfumes e cosméticos (14%) e idas a bares e restaurantes (13%).

Vamos descobrir as dicas infalíveis para não cair mais em nenhuma cilada financeira:

Leia também: 10 dicas para começar a investir

7 Dicas para Evitar Compras por Impulso

1 – Pense o quanto você precisa disso

Sabemos que pode parecer muito óbvio, mas se dar alguns minutos ou horas de reflexão pode ser muito válido no caso de perfis que costumam ceder a instintos.

Você quer o seu objeto de desejo, mas precisa dele agora? Você pode pensar “eu preciso de mais um sapato, roupa, celular?”.

Faça isso, espere um pouco para comprar, as suas perspectivas acerca dessa compra podem mudar consideravelmente se você se permitir refletir e ponderar.

2 – Coloque algumas regras 

Aprender a resistir é uma questão de exercício. Vai ser muito difícil das primeiras vezes, mas com o tempo você vai reeducando os seus padrões de consumo.

Digamos que você teve o primeiro impulso de querer comprar algo, o que você deve fazer é simples: isso foi previsto no seu orçamento mensal?

Se a resposta for não, então é não.

Você não pode comprar isso. Agora dá para incluir o item em algum orçamento dos próximos meses em que gastar com ele não vai pesar no seu bolso nem fazer a conta entrar no vermelho. 

3 – Evite parcelar

O parcelamento de compras é uma modalidade que foi criada para nos ajudar a conseguir comprar coisas que ainda não temos o dinheiro.

Mas, se você se condiciona a parcelar, faz uma compra aqui e outra ali, até ficar com o cartão com o limite estourado e preso a muitas parcelas por muitos meses.

Prefira comprar suas coisas à vista apenas contando com o dinheiro que você já tem. E experimente usar dinheiro no lugar do débito.

A sua relação com o dinheiro e a perda dele vai ser muito mais real e o impacto de uma compra vai te afetar mais do que se você fizesse uma transação tecnológica.

Veja agora: Como guardar dinheiro para pagar o empréstimo corretamente 

4 – Evite fazer compras se estiver triste

Já ouviu falar que não se deve fazer compras no mercado com fome? Dizem que você compra mais do que compraria se estivesse alimentado e focado no que precisa.

Então, o mesmo conceito serve para compras em geral, mas você pode substituir a fome por irritação, tristeza e outras sensações ruins.

Você pode querer se dar coisas de presente para compensar o que está sentindo e isso não pode ser bom.

Seu poder de negociação com o seu lado impulsivo vai estar comprometido. 

imagem com araras de roupas à venda

5 Aproveite a flexibilidade

Já que você tem um histórico de impulsividade, seja cuidadoso consigo nesse processo de educação.

Certifique-se de que você vai poder devolver uma compra caso se arrependa alguns dias depois.

Isso quer dizer que é melhor evitar cair nas armadilhas de itens promocionais, uma vez que a maioria deles é vendido com essa condição de não devolução. 

Até que você já esteja mais pronto para fazer compras conscientes, é melhor que você tenha uma forma de voltar atrás e não amargar um arrependimento por ter comprado algo de que não precisa e ainda ver o dinheiro saindo da conta bancária. 

6 – Não se iluda com crédito fácil 

Já reparou que os cartões de crédito estão oferecendo limite com mais facilidade?

Principalmente se você compra muito, eles estão sempre aumentando o seu poder de compra.

Essa é uma outra questão muito abordada pelos especialistas, o fato das pessoas não saberem lidar com grandes ofertas de crédito. 

Não é porque você tem um limite grande que precisa gastar tudo. Lembre-se do seu planejamento e mantenha o foco para não sair da linha.

7 –  Mude como você faz suas compras

Existem indícios de que a maioria das compras por impulso são feitas pela internet.

A facilidade, a oferta e a insistência de mecanismos de marketing fazem com que você acabe sendo convencido a realizar uma compra que não planejou.

Uma rápida busca na rede e você vai encontrar diversos artigos ensinando o mercado a vender mais utilizando técnicas para abordar o internauta e fazê-lo cair em armadilhas.

Não seja enganado por marketplaces. Use a internet para o que ela tem de melhor: te apresentar um mundo de possibilidades.

Pesquise preços antes de comprar e não caia naquele e-mail de carrinho abandonado que te oferece algum desconto mínimo para você levar o que deixou na loja virtual. 

Com essas dicas você vai conseguir começar a vencer os impulsos. E aí, sua saúde financeira vai ficar bem mais atrativa e você vai conseguir controlar o seu dinheiro. Lembre-se: É você quem controla o dinheiro, não ele que te controla! 

Agora, se você tiver exagerado, dá para pensar em pedir um empréstimo para tentar colocar as contas em dia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *