Como refinanciar veículo. Vale mesmo a pena essa decisão?

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

Como refinanciar veículo

Resumo da matéria

  • Como funciona o refinanciamento de um veículo?
  • Tem como refinanciar um financiamento?
  • Como faço para refinanciar um veículo financiado?
  • Como funciona o refinanciamento de empréstimo?
  • Quais as principais vantagens e os riscos do refinanciamento?
  • Como se organizar para pagar o refinanciamento em dia?

Continua depois da publicidade

O refinanciamento de veículos funciona como um empréstimo, no qual você utiliza o automóvel como garantia de pagamento.

Um sonho para muitas pessoas — a compra de um automóvel — muitas vezes, é feita por meio do financiamento veicular. Apesar das parcelas não terem valores elevados, as taxas de juros acabam pesando no orçamento do comprador e, para minimizar esses impactos, o refinanciamento do automóvel pode ser uma boa saída.

Ao longo do texto, iremos explicar em detalhes como refinanciar veículo. Acompanhe!

Como funciona o refinanciamento de um veículo?

O refinanciamento entra na modalidade dos empréstimos com garantia de bens, ou seja, neste modelo, o automóvel funciona como garantia de pagamento. Caso o cliente não arque com as suas obrigações e deixe de quitar as parcelas, a instituição financeira recebe o veículo como compensação pela dívida.

Mas, como refinanciar veículo? Para realizar esse tipo de empréstimo, a instituição financeira escolhida irá utilizar o valor da tabela FIPE do automóvel como base de preço. A porcentagem do empréstimo é calculada de acordo com quanto o carro está valendo no momento da solicitação do empréstimo e varia de banco para banco.

Entenda: Como simular um financiamento de veículo

Tem como refinanciar um financiamento?

Sim, é possível refinanciar veículo financiado, pois essa modalidade não impõe qualquer tipo de restrição quanto a isso.

O que muda no caso de um veículo financiado é o simples fato de que será necessário seguir algumas regras, como, por exemplo, usar parte do valor obtido na transação para quitar a dívida original.

Em outras palavras: caso o refinanciamento no valor de R$30 mil seja aprovado — mas o solicitante ainda precise pagar R$5 mil referentes às parcelas do veículo — o valor recebido para uso livre será de R$25 mil. Já os outros R$5 mil deverão ser utilizados para abater o que resta do financiamento.

Vale ressaltar que, em caso de refinanciamento de veículos financiados, é bastante comum que algumas instituições financeiras não aceitem seguir com o processo de veículos que ainda possuem muitas parcelas a serem quitadas.

Como faço para refinanciar um veículo financiado?

Para solicitar o refinanciamento de veículo, será preciso ter em mãos os seus documentos pessoais do dono do veículo, além da documentação do automóvel e um comprovante de residência.

Em alguns casos, a instituição financeira ainda pode solicitar documentos complementares, como extrato bancário e holerites, para servirem como comprovantes de renda.

Vale ressaltar que, caso o solicitante tenha o nome negativado no Serasa ou no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), será mais difícil conseguir realizar o refinanciamento do veículo.

Caso todos os documentos sejam aceitos pela instituição financeira, o veículo ainda precisará passar por uma vistoria. Nesse caso, se o carro não estiver em boas condições de uso, o refinanciamento pode ser negado.

Descubra: Tudo sobre empréstimo com garantia de veículo

Como funciona o refinanciamento de empréstimo?

O refinanciamento de empréstimo, por outro lado, funciona de maneira diferente, pois, ao refinanciar o contrato de empréstimo, o saldo devedor atual é quitado e a diferença é liberada como novo saldo. Funciona assim: caso quem solicitou o empréstimo tenha pedido R$ 1.500,00, o saldo devedor total será de R$ 3.500,00.

O refinanciamento de empréstimo também pode ser vantajoso, caso a pessoa tenha feito um empréstimo com taxas prefixadas. Afinal, no último ano, a Selic (a taxa básica de juros) sofreu variações e os índices baixaram consideravelmente. Então, é possível que os juros fiquem menores do que o acordado na contratação inicial.

Quais as principais vantagens e os riscos do refinanciamento?

De maneira simplificada, uma das principais vantagens de se optar pelo refinanciamento é a possibilidade de conseguir taxas de juros menores. Ou seja, especialmente para quem tem um veículo financiado, mas próximo de ser quitado, o refinanciamento pode oferecer encargos menores para realizar o pagamento.

Porém, como nem tudo são flores, é importante relembrar que, ao realizar o refinanciamento do automóvel, o veículo servirá como garantia, em caso de inadimplência. Por isso, é preciso muita disciplina financeira antes de solicitar o empréstimo.

Dessa maneira, antes de optar por essa modalidade de empréstimo, é absolutamente necessário analisar bem as contas da casa e estar certo de que será possível arcar com o valor das parcelas correspondentes ao refinanciamento. Caso contrário, além de contrair uma nova dívida, o solicitante ainda corre o risco de perder seu bem.

Uma dica é fazer uma ampla pesquisa relacionada às ofertas disponíveis nas instituições financeiras, analisando taxas, prazo para o pagamento total e demais condições oferecidas. Sobretudo, avalie os seguintes itens:

  • taxa de abertura de crédito, verificando se o valor não irá pesar no orçamento e comprometer o montante do empréstimo;
  • a taxa de juros aplicada, sobretudo, em relação aos prazos mais longos;
  • existência de tarifas, seguros e quaisquer outros valores cobrados a mais que estão embutidos no valor total do refinanciamento.

Dica de outro: não leve em consideração apenas o valor mensal que será pago nas parcelas. Lembre-se de analisar, também, o valor total do empréstimo na comparação com o montante que você realmente irá receber.

Como se organizar para pagar o refinanciamento em dia?

O sucesso ou o insucesso de uma solicitação de empréstimo irá depender da sua organização financeira. Dessa forma, é preciso analisar muito bem as condições apresentadas e a sua realidade econômica antes de tomar a decisão.

Caso realizar o refinanciamento seja a melhor saída, é importante se certificar de que as parcelas serão pagas em sua totalidade e dentro do prazo, para evitar cobranças adicionais que só irão aumentar a incidência de juros e, por consequência, o valor total do empréstimo ou, até mesmo, na perda do veículo para a instituição financeira.

Fazer planilhas para controlar os gastos familiares é sempre uma boa estratégia para não deixar os pagamentos saírem do controle. Além disso, é importante ter em mente que a parcela do refinanciamento deve ser a primeira a ser paga no mês, ou seja, o dinheiro destinado a este fim não pode faltar.

Seguindo as informações selecionadas pela equipe do Bom pra Crédito sobre como refinanciar veículo, você irá conseguir fazer a sua escolha com embasamento e segurança. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *