Capital de giro: o que é e porque sua empresa deve se preocupar com ele

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

imagem ampliada da mesa de um empresário com uma calculadora e um bloco de notas em frente a um computador

Resumo da matéria

  • O que é o capital de giro
  • Para que serve o capital de giro?
  • Como calcular o capital de giro?

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Quando você tem uma empresa, é necessário que você tenha um fundo para pagar gastos fixos e variáveis, afinal, todo o processo de compra e venda de mercadorias demanda tempo 

Esse fundo é o que chamamos de capital de giro, a partir dele você consegue pagar seu aluguel, seus funcionários, empréstimos (se tiver) e é com ele que você mantém o bom funcionamento da sua empresa. 

O que é o capital de giro

O capital de giro é conjunto de recursos financeiros destinados aos gastos fixos e variáveis da empresa.

Ele se encontra, geralmente, em um fundo reserva e deve ser diferenciado do investimento fixo, que é tudo o que foi adquirido para que a empresa funcione, como móveis, equipamentos etc. 

Ficou interessado para saber mais? Então acompanhe este artigo até o fim e veja como fazer esse cálculo que vai facilitar sua vida empresarial!

Para que serve o capital de giro?

O capital de giro é voltado para suprir o que ainda não entrou em caixa para o pagamento de contas, como aluguel, despesa de energia, salário dos funcionários, empréstimos feitos em bancos, entre outros gastos que não “podem esperar” o retorno do processo de compra de mercadoria do fornecedor, a ida para o estoque, a retirada da mercadoria do estoque para as prateleiras, das prateleiras para a mão do consumidor. 

Isso acontece porque, muitas vezes, o empresário só vê o retorno de suas vendas no mês posterior àquele que a compra foi feita.  

Com isso, podemos ver que esse capital é extremamente importante para que o empresário consiga gerir bem os seus negócios.

Quando as empresas operam com um baixo capital, acabam correndo muitos riscos financeiros, então muitas empresas vão à falência quando não há a devida preocupação com esse capital. 

imagem ampliada de homem de terno e camisa azul analisando contas do capital de giro de sua empresa com um bloco de notas e gráficos em papel sulfite

Leia também: Balanço patrimonial, por que sua empresa deveria ter um?

Saúde financeira e capital de giro

Podemos dizer que o capital de giro está relacionado diretamente com a saúde financeira dos negócios, o que torna necessário saber como fazer os cálculos e manter a movimentação em alta. 

O que se pode tirar disso é, quanto maior for o capital de giro de uma empresa, melhor e maior será seu tempo de funcionamento, pois a empresa terá fundos suficientes para manter a empresa e seus gastos durante mais tempo, o que a deixa mais preparada para eventuais imprevistos, como gastos a mais,  falta de recebimento de compra dos clientes, entre outros. 

Além disso, você consegue ampliar seus recursos de vendas a prazo para os clientes, mantém seus estoques e garante o pagamento de suas compras aos fornecedores. Você, empresário, sabe como andam as finanças de sua empresa?

Sabe se você tem um capital de giro elevado para manter o fluxo de sua empresa? Não? No próximo tópico explicaremos melhor como você pode fazer esse cálculo. 

Como calcular o capital de giro? 

Calcular o capital de giro não é difícil, basta que haja um planejamento que detalhe os gastos, o período desses gastos, se é curto ou se é longo, quanto tem para entrada em caixa. Para te ajudar nisso, há uma equação simples: CGL = AC – PC

As siglas referem-se, respectivamente, ao Capital de Giro Líquido (CGL), ao ativo circulante e ao passivo circulante.

Em outras palavras, o capital de giro líquido é igual ao valor ativo circulante menos o valor do passivo circulante. Mas, o que seriam cada um desses termos? 

O ativo circulante seria todos os recursos que se encontram disponíveis ou que podem ser convertidos de forma fácil em forma de valor líquido. 

Sendo exemplos: contas a receber dos clientes, valores que estão guardados em contas bancárias, ou seja, tudo o que vai entrar no caixa da empresa.

O passivo circulante representa os gastos fixos da empresa, sejam eles recorrentes ou não, como as contas de aluguel, estoque, salários dos empregados e outros.  

Para conseguir visualizar melhor essa equação, imagina uma loja de roupas que tenha: 

  •         R$15.000 em gastos fixos, que seria, o aluguel do imóvel, salário dos funcionários, despesas com energia/água, impostos e fornecedores; 
  •           R$15.500 em contas a receber de seus clientes ou outros; 
  •       R$7.500 em estoque. 

Aplicando isso na fórmula teríamos CGL= AC – PC: 

  • CGL= 15.500 – (15.000 – 7.500)
  • CGL= 15.500 – 22.500
  • CGL = – 7000

Ou seja, essa loja tem um capital de giro líquido negativo, com um valor de 7 mil reais negativos.

Já em outra loja, uma loja de sapato cujo gastos fixos somam 20.000 reais e os valores para receber são, respectivamente, 40.000 e 6.000 de estoque, temos: 

  • CGL = 40.000 – (20.000 + 6000)
  • CGL = 40.000 – 26.000
  • CGL = 14.000

Nessa loja há um valor do capital de giro líquido positivo, com um saldo de 14 mil reais.

Assim, temos que a partir desses dados, as instituições conseguem avaliar suas possibilidades de empréstimos, expansão dos negócios, maiores e melhores possibilidades de formas de pagamento para os clientes, como a venda a prazo, entre outros. 

Em outras palavras, com os valores obtidos dessa equação os empresários conseguem planejar e gerir melhor os seus negócios.

Portanto, as empresas que concentram um capital de giro maior tendem a ter o desempenho melhor do que aquelas que somam um capital de giro negativo e não passam por um bom momento financeiro. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *