Cartão de crédito x empréstimo pessoal: o que vale mais a pena?

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

cartões empilhados próximos a uma carteira

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Taxas de juros e facilidades de pagamento. Entenda se o crédito pessoal ou um cartão é mais adequado para você.

Uma das piores coisas de passar por apertos financeiros é que você perde a sua capacidade de negociação. Sem escolhas, precisando resolver logo sua relação com o dinheiro, você acaba aceitando qualquer acordo. E isso é perigoso.  Quando precisamos de dinheiro e temos soluções fáceis ao alcance, geralmente elas acabam sendo caras demais lá na frente e você só vai poder avaliar isso com um planejamento detalhado dos seus gastos. Vamos discutir ao longo deste artigo uma dúvida recorrente entre quem precisa de dinheiro rápido. Afinal de contas, o que vale mais a pena: cartão de crédito ou empréstimo pessoal?

Antes mesmo de responder essa pergunta, precisamos entender melhor como as duas opções funcionam e quais são as suas vantagens e consequências. 

Cartão de Crédito

Cartões de crédito empilhados.

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que divulga todos os meses a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), entre as dívidas apontadas pelos brasileiros como as principais em janeiro de 2020 são cartão de crédito (79,8%), carnês (15,9%) e financiamento de carro (10,9%).

O Cartão de Crédito nada mais é do que uma forma prática de você comprar algo que precisa agora sem ter ainda o dinheiro.

É pegar dinheiro emprestado com a instituição financeira em troca de juros caso você caia na armadilha de não pagar os valores em dia.

Isso porque você pode conseguir parcelar uma compra sem juros, o que é bom.

Mas se você fica sem dinheiro para pagar a fatura e acaba pagando o mínimo ou tendo que negociar a dívida do cartão, você pode acabar caindo em um dos maiores pesadelos de quem está endividado: ter que pagar um dos maiores juros cobrados do consumidor brasileiro.

Por que é uma das taxas mais caras?

A taxa de juros do cartão de crédito rotativo para o cliente que paga o mínimo de 15% da fatura em algum mês variou de 293,9% em novembro para 287,1% em dezembro de 2019, de acordo com o Banco Central (BC).

Ao longo do ano, a taxa subiu 19,1 pontos.

O rotativo é como é chamada a linha de crédito pré-aprovada do seu cartão de crédito. Aquilo que você tem como limite para gastar.

Se o cliente não paga a fatura, o banco pode parcelar o saldo devedor ou oferecer outra forma para quitar a dívida em melhores condições.

Muita gente não entende como cai em dívidas que nunca terminam no cartão de crédito, mas na verdade a resposta é simples: o tipo de juros cobrados no crédito rotativo, que é quando você paga o mínimo, é o chamado juros composto.

Isso quer dizer que o consumidor é cobrado por juros sobre juros. 

Sua dívida não atualiza de maneira fixa em um valor, à medida que ela vai aumentando, novos juros são cobrados em cima do valor que já cresceu pela aplicação de juros anteriores.

Deu para entender?

Isso acontece porque a taxa de inadimplência no crédito rotativo é alta. Como a chance de não ser paga é grande, a taxa de juros que recai sobre a dívida é salgada, para compensar quem está emprestando o dinheiro.

Evite juros altos

Se você quer alcançar uma saúde financeira controlada e sair do vermelho, entenda de uma vez por todas que você precisa fugir de juros altos.

Se essa for sua única opção, você está em apuros e precisa urgente detectar novas formas de melhorar o seu poder de negociação. Ou de barganha, como preferir.

Isso nos leva a um outro ponto que precisamos descobrir melhor como funciona: o conhecido empréstimo pessoal.

Lembrando que é muito importante analisarmos todos os aspectos das duas modalidades antes de escolher entre cartão de crédito ou empréstimo pessoal!

Saiba também: Estorno de cartão, cheque, depósito e nota fiscal. Saiba tudo!

Empréstimo pessoal

duas pessoas apertando as mãos sobre uma mesa com papéis de um acordo

Tem gente que ainda associa o empréstimo pessoal à questões negativas como burocracia, mas há alguns anos o brasileiro está se familiarizando com a modalidade online desse tipo de contratação.

Ela é mais fácil, rápida, versátil e pode ser aprovada em 48h. 

No Bom Pra Crédito, por exemplo, você encontra uma espécie de shopping de crédito.

A empresa é regulamentada pelo Banco Central e conta com mais de 30 instituições financeiras parceiras disponíveis para emprestar o dinheiro necessário para o usuário com taxas que começam a 1,59% ao mês. 

Você faz a sua solicitação com o dinheiro que precisa e a quantidade de parcelas que pretende pagar e recebe uma lista de opções com as melhores condições para o seu tipo de situação financeira.

Entende como no lugar de sofrer por achar que o crédito do cartão é a sua única alternativa você pode negociar o pagamento de juros bem menores?

Leia mais: Empréstimo online é seguro?

Seus dados estão seguros, a plataforma conta com certificados de segurança online que protegem o que você inclui para fazer a sua solicitação e ainda dá para escolher o melhor jeito de pagar.

O dinheiro também cai na conta rapidinho, depois de uma análise para aprovação.

A resposta da pergunta que iniciou esse artigo é que o empréstimo pessoal ao menos te dá opções além de juros estabelecidos.

No cartão de crédito você vai sempre estar sujeito a sair do controle.

E aí, já consegue se decidir entre cartão de crédito ou empréstimo pessoal?

Corra atrás das melhores condições de vida para você e para a sua família, ela não está tão longe quanto você imagina e pode ser a salvação da sua vida financeira.

 Comece por algum lugar, pesquise mais e entenda sobre empréstimo pessoal para avaliar suas escolhas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *