7 dicas para não cair na malha fina do IR 2020

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

pessoa manuseando calculadora

Resumo da matéria

  • O que é cair na malha fina?
  • Por que uma pessoa pode cair na malha fina?
  • O que pode acontecer se eu cair na malha fina?
  • 1. Tome cuidado ao digitar informações
  • 2. Informe corretamente seus rendimentos
  • 3. Não omita informações
  • 4. Cuidado ao declarar dependentes
  • 5.Lance despesas médicas apenas se tiver o comprovante
  • 6. Declare seus bens pelo custo de aquisição
  • 7. Declare apenas doações a entidades assistenciais autorizadas
  • Como saber se eu caí na malha fina?

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Saiba agora o que você deve fazer para não ter sua restituição ou CPF bloqueados pela malha fina do Imposto de Renda

Cair na malha fina é um dos nossos principais medos quando declaramos Imposto de Renda.

Essa situação, além de gerar dores de cabeça, pode atrapalhar nossa vida financeira, principalmente quando o assunto envolve multas.

É por isso que a gente precisa levar algumas coisas importantes em consideração na hora de declarar IR.

Saiba quais são elas e descubra o que você deve fazer para evitar erros ou desencontros de informações. 

O que é cair na malha fina?

Malha fina é o nome popular, ou melhor, o apelido dado aos erros de informações que a Receita Federal encontra em declarações Imposto de Renda.

Ela funciona como uma peneira  que impede o recebimento da restituição até que na situação seja regularizada. 

Sempre que você declara IR, a Receita Federal recebe as informações e cruza os dados lançados com informações de outros locais com os quais você teve relações financeiras durante o ano. 

Isso significa, por exemplo, que os valores das mensalidades que você pagou da escola do seu filho devem ser os mesmos informados pela escola.

O mesmo vale para despesas médicas, recebimento de aluguel, entre outros. 

homem de camisa fazendo contas em calculadora e analisando gráficos em uma folha

Leia mais: Restituição do Imposto de Renda: O que você pode fazer com o dinheiro extra que vai entrar

Por que uma pessoa pode cair na malha fina?

Uma pessoa pode cair na malha fina quando ela não preenche corretamente a declaração de Imposto de Renda. Outros motivos que levam a essa situação são omissão de dados financeiros, contradição de dados. 

O que pode acontecer se eu cair na malha fina?

Como a gente já disse, se você cair na malha fina e tiver um valor para restituir, ele fica retido até que você esclareça as informações junto à Receita Federal.

E não é só isso! Seu CPF corre grandes riscos de ficar bloqueado. 

Essa situação fará com que você tenha dificuldade para pedir empréstimo e comprar casa ou carro financiados.

Além disso, pode ser que você não consiga movimentar contas bancárias ou fazer operações financeiras que exijam identificação.

Por isso, para evitar esses problemas, siga exatamente o que está no seu Informe de Rendimentos e tome muito cuidado ao preencher sua declaração.

Agora que você já sabe da importância desse documento, vamos às 7 dicas para não cair na malha fina

estar devendo para a Receita antes mesmo de declarar IR 2020:

1. Tome cuidado ao digitar informações

O ideal é você tirar um dia tranquilo para fazer a declaração de Imposto de Renda.

Pressa e interferências externas, definitivamente, não combinam com esse tipo de atividade.

Você deve focar apenas nela e escolher um lugar calmo para não desviar sua atenção.

Os valores que você digitar devem estar corretos. Cada centavo de diferença pode ser motivo para cair na malha fina.

Portanto, não arredonde valores. Confira cada um antes de digitar e enviar. 

Tome cuidado, por exemplo, para não lançar um valor de 500 reais com um zero a mais.

Imagina só ter seu CPF bloqueado porque, em vez de informar 500 de despesas médicas, você lançou 5 mil?

2. Informe corretamente seus rendimentos

Seus rendimentos estão relacionados ao dinheiro que você recebe de diversas fontes.

Preencha corretamente a declaração de IR com os valores informados pelo seu empregador, banco, INSS, plano de saúde, entre outros. 

Caso você identifique dados incorretos, peça para a empresa ou instituição corrigir o quanto antes. Se elas lançarem valores diferentes dos seus, você poderá cair na malha fina. 

3. Não omita informações

Na declaração de Imposto de Renda, valores de aluguel, trabalho temporário ou autônomo deve ser informados. Não importa se eles são baixos ou altos.

Se você declarar dependentes, deve  informar os eventuais rendimentos recebidos por cada um.

Nesse caso, também conta o salário, aposentadoria, pensão alimentícia, bolsas de estudo, estágios entre outros. 

4. Cuidado ao declarar dependentes

Se você é casado e tem 1 filho, ele deve ser dependente apenas de na declaração de um dos cônjuges.

Quem tem dois ou mais filhos pode dividi-los entre as declarações ou colocá-los todos numa só. 

Por isso, não informe o mesmo dependente em duas declarações. Isso também vale para pais e netos.

Em caso de divórcio, quem fica com a guarda declara o filho como dependente.

O responsável pela pensão alimentícia declara o filho como alimentado. 

5. Lance despesas médicas apenas se tiver o comprovante

Como você já deve saber, os gastos com saúde podem ser deduzidos integralmente do cálculo de Imposto de Renda.

É justamente por isso que a fiscalização da Receita é bem maior nesses casos e ela não deixa passar nada.

Para não cair na malha fina, só lance despesas com consultas, exames, entre outros procedimentos médicos que puderem ser legalmente comprovados.

Portanto, guarde todos os recibos por cinco anos a partir da data da declaração. 

6. Declare seus bens pelo custo de aquisição 

Os bens, como imóveis e veículos, devem ser sempre declarados pelo seu preço de aquisição.

A atualização do valor só é permitida em alguns casos, como reforma do imóvel, por exemplo.

Nesse caso, para não cair na malha fina, você deve somar os gastos da reforma com o valor do imóvel declarado no ano anterior.

Não se esqueça de guardar os recibos e notas fiscais de todos os gastos. 

7. Declare apenas doações a entidades assistenciais autorizadas

Só podem ser declaradas as doações feitas a entidades assistenciais autorizadas pela Receita Federal.

Se você fez alguma doação, antes de declarar no Imposto de Renda, verifique se a instituição é controlada pelos Conselhos Municipais, Estaduais e Federal.

É importante mencionar que essas entidades devem realizar trabalhos previstos pelos direitos das crianças e adolescentes e a dedução é limitada a 6% do imposto devido.

Portanto, para não cair na malha fina, lance as informações corretas.

homem usando calculadora e mexendo em seu laptop

Leia mais: Aprenda a declarar empréstimo no Imposto de Renda

Como saber se eu caí na malha fina?

Assim que você envia a declaração de IR, já pode consultar o status de processamento no Centro Virtual de Atendimento da Receita (e-CAC).

Nessa plataforma, você poderá identificar pendências, que podem ser corrigidas. Nesse caso, informe o número do recibo da declaração que deseja arrumar e lance as novas informações.

Isso só pode ser feito caso o Fisco não tenha feito contato com você. 

Se você cair na malha fina, isso será informado pela Receita Federal. Ela te acionará e informará o que fazer.

Pode ser que seja necessário fazer a declaração de IR novamente ou até pagar multa, que pode chegar a pode chegar a 75% do imposto devido.

Mas isso depende muito de cada caso e dos motivos que geraram a inconsistência.

Agora que você já sabe o que fazer para não cair na malha fina, aproveite para conhecer outros conteúdos que o Bom Pra Crédito preparou para você.

Além de oferecer empréstimo pessoal online com as melhores taxas e condições de pagamento, de acordo com seu perfil, a gente também se preocupa em te ajudar a administrar sua vida financeira com foco e planejamento.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *