O que é bolsa universitária e como esse benefício pode te ajudar

Larissa Civita

| 5 minutos para ler

grupo de seis jovens formados por meninos e meninas andando por universidade

Continua depois da publicidade

Oportunidade te deixa mais próximo do sonho de concluir o ensino superior!

Cursar o ensino superior em uma faculdade, centro universitário ou universidade é um desejo que mexe com milhões de pessoas, e a bolsa universitária as aproxima da realização deste objetivo transformador.

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), feita em 2017, mostrou que 76% dos jovens adiariam o ingresso na universidade por falta de dinheiro, sendo 62% por não conseguirem pagar e 14% por não terem bolsas ou financiamentos estudantis.

Os benefícios do ensino superior, bem como as oportunidades que ele pode abrir, são bastante conhecidos e comentados, mas como vimos acima, o valor a ser investido é um fator que impede algumas pessoas de realizá-lo, o que pode ter influências diretas em sua vida pessoal e profissional.

Felizmente, há alternativas que podem ser seguidas por quem tem este sonho, as quais são capazes de reduzir o valor das parcelas ou até mesmo isentá-lo.

Continue conosco para entender o que é isso e como é possível.

O que é uma bolsa universitária?

É uma forma de pagar mais barato nas parcelas de um curso do ensino superior ou, em alguns casos, não precisar pagar nada.

Tais bolsas podem ser concedidas por órgãos públicos ou privados, de acordo com cada programa.

Pagar a faculdade não é nada fácil, já que as parcelas se tornam uma obrigação para o aluno durante todo o período em que ele está estudando, ou seja, ele assume um compromisso que precisa ser cumprido para que tenha condições de continuar a cursar o ensino superior.

Ao aliar o valor com as demais despesas do dia a dia, como alimentação, transporte, saúde, lazer e afins, o orçamento pode ficar demasiadamente pesado, o que prejudica o aluno a arcar com todas as contas.

Ter um bom planejamento financeiro ajuda nisso, de fato, mas não é raro se ver em situações complicadas em relação às finanças, como chegar ao final do mês e não ter conseguido pagar todas as despesas, o que pode ocorrer por uma série de fatores, de despesas emergenciais ao desemprego, por exemplo.

Portanto, ter uma bolsa universitária é algo que alivia bastante o orçamento dos alunos, o que, por consequência, retira uma carga mental bem pesada e pode até mesmo influenciar positivamente nos resultados obtidos nos estudos, tanto nas avaliações quanto no próprio processo de aprendizagem.

foto de 3 jovens estudando sob mesa aonde dispões v´rias folhas e cadernos

Leia mais: Pagar a faculdade: 9 dicas para não se formar já endividado

Qual é o valor de uma bolsa universitária?

Não há como definir um valor ou uma porcentagem, já que isso depende de cada bolsa.

O que elas têm em comum é que oferecem descontos aos estudantes para a conclusão do ensino superior.

A porcentagem pode ser de até 100% em alguns casos, o que seria um grande sonho para os estudantes, que conseguiriam concluir o ensino superior sem gastar nada por isso.

Para tal, porém, é necessário cumprir a critérios específicos e que variam conforme cada programa.

Quais são meios disponíveis de se obter uma bolsa universitária?

Eles se dividem entre públicos e privados, sendo os principais os seguintes:

Prouni (público)

O Programa Universidade para Todos (Prouni) foi instituído por meio da Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005, ou seja, já existe há mais de 15 anos, tendo sido um dos principais responsáveis em levar o ensino superior de qualidade a um maior número de pessoas.

As bolsas de estudo podem ser integrais ou parciais (50%) e desfrutadas em instituições particulares de ensino superior.

Pessoas que se enquadram nas seguintes exigências estão aptas a participar:

  • Estudantes que tenham cursado o ensino médio integralmente na rede pública ou na rede particular, sendo que neste caso é necessário que o tenha feito na condição de bolsista;
  • Estudantes com deficiência;
  • Professores da rede pública de ensino que estejam no magistério da educação básica e sejam integrantes permanentes no quadro de pessoal de instituições públicas. Aqui, não há necessidade de comprovação de renda.

Para as bolsas integrais, a renda familiar bruta mensal, por pessoa, deve ser de até um salário mínimo e meio, o que hoje equivale a R$ 1.558,50.

Para as bolsas parciais de 50%, a renda familiar bruta mensal por pessoa sobe para três salários mínimos (R$ 3.117).

Cabe ressaltar que ele não se aplica a quem já tenha diploma de curso superior.

Além disso, só podem participar desta modalidade de bolsa universitária aqueles que tenham tirado uma média de pelo menos 450 pontos na última edição do Enem e que não tenham zerado na redação.

Programas estaduais e municipais (públicos)

Alguns estados e municípios oferecem aos interessados a possibilidade de obter uma bolsa universitária mediante a participação em atividades voltadas à sociedade.

Em São Paulo, o governo concede uma bolsa de 100% da mensalidade (valor que é repartido entre o estado e a instituição de ensino) para que o bolsista atue como educador universitário em uma escola vinculada ao programa Escola da Família, com atividades voltadas a trabalho, cultura, saúde e esporte.

A cidade de Manaus também tem um programa parecido.

A bolsa pode ser integral, de 75% ou de 50%, utilizada em instituições de ensino particular da cidade por estudantes de baixa renda, os quais precisam participar de projetos sociais, culturais, educacionais e socioambientais da prefeitura e de parceiros.

Informe-se se o seu estado ou município oferece tais oportunidades de bolsa universitária, o que proporciona um desafogo no orçamento e, ainda por cima, a participação em projetos sociais e culturais.

Universidades federais e estaduais (públicas)

Embora não seja uma bolsa de estudos propriamente dita, vale ressaltar que algumas universidades federais e estaduais oferecem ensino gratuito aos alunos que obtiverem as melhores notas, seja em vestibulares próprios ou por meio do Enem.

A concorrência tende a ser grande, o que também serve como incentivo para focar nos estudos com o objetivo de obter tamanha conquista.

Programas de financiamento (privados)

Quando se fala sobre bolsa universitária, o Fies (Financiamento Estudantil) é uma das principais oportunidades lembradas.

O programa foi instituído por meio da Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, e também mudou muita coisa no cenário acadêmico.

Como o próprio nome diz, esta é uma modalidade de financiamento para a conclusão dos estudos de nível superior, cujo planejamento passa pelo fato de que quem está nessa etapa da vida nem sempre tem uma renda tão elevada.

Por isso, o Fies oferece juros zero para estudantes cuja renda familiar bruta mensal, por pessoa, seja de até três salários mínimos, hoje equivalentes a R$ 3.117.

O crédito universitário paga as parcelas do curso, enquanto o estudante paga a uma instituição financeira o valor em um prazo maior e, logo, com parcelas menores.

Os cursos que participam do Fies são aqueles cujo conceito seja maior ou igual a 3 no Sinaes (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior) e que sejam ministrados em uma instituição vinculada ao Fies.

Existe também o P-Fies, destinado a quem tem renda familiar bruta mensal de até 5 salários mínimos (R$ 5.195), embora os financiamentos sejam diferenciados e variem de acordo com a renda familiar.

grupo de cinco jovens, formado por meninos e meninas, apoiado em parede cinza

Leia mais: Financiamento estudantil: como realizar o sonho da graduação?

Bolsa universitária: uma oportunidade de acesso ao ensino superior

Ter um curso de graduação te coloca em uma posição privilegiada no mercado de trabalho, o que não apenas o torna um profissional mais requisitado como também pode aumentar significativamente sua remuneração, ou seja, isso deve ser analisado realmente como um investimento.

As oportunidades de bolsa universitária podem ser aproveitadas por todos os que se encaixam em seus requisitos.

Outras opções são o empréstimo pessoal e o consignado, dos quais você encontra as melhores propostas com o Bom Pra Crédito. Invista em sua carreira e colha todos os bons frutos!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *