Aprovação no empréstimo: dicas rápidas para ter mais chances

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

imagem ampliada de duas pessoas apertando as mãos acima de uma mesa de madeira com uma prancheta e uma casa em miniatura vermelha e branca

Continua depois da publicidade

Histórico de pagamento é um dos fatores que mais influenciam na hora de solicitar um empréstimo 

Grande parte da população brasileira tem suas solicitações de empréstimos pessoais reprovadas. Os motivos para isso são diversos e variam, inclusive, de acordo com a faixa etária. Para os jovens, o pouco histórico de crédito pode ser uma das complicações. 

Já para quem  tem uns anos a mais, a inadimplência, divergência de documentos, ausência de conta em banco e comprometimento de mais de 15% da renda com parcelas de empréstimos estão entre as principais causas de recusa. 

Para te auxiliar a aumentar suas chances de aprovação no empréstimo, vamos explicar alguns dos critérios da concessão de crédito adotados pelas instituições financeiras.

imagem aproximada de duas pessoas sentadas a uma mesa fazendo anotações e lendo dados em uma folha

Para aprender mais: Empréstimo no Brasil. Pesquisa revela o motivo dos pedidos

Dicas rápidas para ter mais chances de aprovação no empréstimo

Conseguir aprovação de crédito não é uma tarefa difícil, mas, sim, criteriosa. Isso ocorre porque os bancos e outras instituições financeiras trabalham ao máximo para evitar perdas.

Porém, é possível aumentar suas chances de conseguir aprovação no empréstimo e ter seu crédito aprovado seguindo alguns passos. Confira a seguir. 

1- renegocie suas dívidas 

Um dos principais motivos para ter a solicitação de empréstimo negada é o famoso (e temido) nome sujo. Com a condição de devedor inadimplente, os bancos e instituições financeiras não liberam novos créditos, temendo o risco de ficarem sem receber. 

Se esta é a sua situação, a dica é buscar negociar a dívida e fazer um plano de parcelamento do pagamento. A partir do primeiro pagamento, o nome do tomador sai das listas de restrição de crédito, permitindo, assim, que novos empréstimos sejam liberados.

2- mantenha seus dados cadastrais sempre atualizados

A maior parte dos bancos e das instituições financeiras consultam bancos de dados dos consumidores antes de conceder crédito. Por isso, se o endereço informado estiver diferente do que consta nessas bases, o empréstimo pode ser negado. 

Faça uma atualização constante de informações, como endereço, e-mail e telefone em lojas de crediários, instituições financeiras e operadoras de cartões de crédito. 

3- comprove a sua renda

A comprovação de renda é muito importante para que os bancos e instituições financeiras fiquem seguros de que você tem condições de honrar as parcelas do empréstimo. 

Para empregados com carteira assinada, funcionários públicos, pensionistas e aposentados há maior facilidade de comprovar a renda e ter um crédito aprovado. Basta enviar o holerite de recebimento do salário mensal. 

Os autônomos costumam ter mais dificuldade de comprovar renda. O ideal é formalizar o negócio, pois, com  empresa ou microempresa regularizada e vinculada a uma conta bancária, é possível  aumentar as chances de conseguir um empréstimo.

4- utilize os produtos financeiros do sistema bancário 

Quem costuma realizar e receber pagamentos apenas em dinheiro deve rever esta prática. Sem registrar os movimentos na conta corrente,  os bancos não conseguem estimar a renda e avaliar se você pode ou não arcar com as parcelas do empréstimo. 

5- certifique-se de que a parcela do empréstimo irá comprometer 15% da sua renda mensal 

As instituições financeiras não costumam liberar crédito para pessoas que tenham mais de 15% da renda comprometida. Essa é uma prática que tem o objetivo de zelar pela saúde financeira dessas empresas, minimizando os riscos de não receberem seu dinheiro de volta.  

Porém, se você precisa de um novo empréstimo, é importante renegociar dívidas anteriores e aumentar o prazo de pagamento. Isso fará com que as parcelas diminuam de valor e te dará mais chances de conseguir um novo empréstimo. 

6- tenha uma conta em banco

É necessário ter conta em banco para que os bancos e as financeiras depositem o dinheiro em caso de crédito aprovado. Vale a pena avaliar as condições oferecidas pelos bancos digitais que não cobram taxas de abertura. 

7- assim como o cadastro de dados, mantenha seus documentos atualizados

Documentos que tenham mais de 10 anos e/ou que estejam danificados costumam não ser aceitos na etapa de análise de crédito. Então, a dica é tirar novas vias de RG e CPF  e mantê-los sempre em bom estado. 

Outra questão importante está relacionada à mudança de nome ou sobrenome. Em caso de casamento, divórcio ou transição de gênero, é preciso atualizar todos os documentos. A divergência de informações pode contribuir para a reprovação da solicitação de empréstimo.

8- tenha comprovantes de residência no nome do solicitante do empréstimo

Os comprovantes de residência devem ser de até três meses anteriores à solicitação do empréstimo.  Nomes e endereços errados devem ser corrigidos pelas prestadoras de serviços, como Enel, Sabesp, entre outras. 

9- inscreva-se no Cadastro Positivo

O Cadastro Positivo é um banco de dados operado pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas e pelo SPC Brasil. Ele  funciona como um centro de registro do histórico financeiro de dívidas dos brasileiros – sobretudo, mostrando as que foram pagas ou não.

Em outras palavras, inscrever-se no Cadastro Positivo é uma bela alternativa para que o consumidor crie um histórico de compras e mostre que é um bom pagador. 

10 – informe todos os seus dados com cuidado e atenção

É importante tomar cuidado com as informações prestadas. Qualquer divergência pode acarretar em problemas na liberação do crédito. Por exemplo: declarar uma renda mais alta do que possui ou passar um endereço errado pode resultar em reprovação da solicitação.

Qual score para conseguir empréstimo?

Na verdade, não existe um score que garanta a liberação do crédito, mas ele pode influenciar na decisão das instituições financeiras. As faixas utilizadas por empresas para avaliação, normalmente, variam da seguinte maneira:

  • Até 300 pontos – significa alto risco de inadimplência;
  • De 300 a 700 pontos – significa médio risco  de inadimplência;
  • Acima de 700 pontos –  significa baixo risco  de inadimplência.

Portanto, se o seu score estiver acima dos 700 pontos, o banco ou a instituição financeira entende que você tem uma maior possibilidade de pagar suas contas em dia. Neste caso, as chances de conseguir empréstimo são maiores.

imagem de dois homens sentados a uma mesa apertando as mãos

Veja também: Empréstimo com juros baixos: quais são e como conseguir

Como conseguir a aprovação de um empréstimo?

É importante ter atenção e planejamento financeiro para solicitar e ter crédito aprovado. Afinal, é necessário que a instituição financeira saiba que você tem uma margem consignável disponível antes da aprovação no empréstimo.

Para isso, antes de realizar a solicitação, faça uma simulação de empréstimo pessoal online, reúna todos os documentos necessários e faça uma checagem das informações enviadas.

O próximo passo é escolher a melhor proposta de crédito e nisso, o Bom Pra Crédito pode te ajudar! Aqui, você conse

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *