Blog > Crédito Rotativo: O que é, Como Funciona, Novas Regras e Dicas
Empréstimo Pessoal - todas as financeiras num só lugar

Crédito Rotativo: O que é, Como Funciona, Novas Regras e Dicas

Crédito Rotativo O que é, Como Funciona, Novas Regras e Dicas O Crédito Rotativo é uma alternativa aos utilizadores de cartão de crédito para situações de emergência, em que há a necessidade de pagar um valor menor ao total da fatura. 

É algo mais comum do que se imagina e, infelizmente, há um grande desconhecimento acerca do tema, o que provoca um descontrole financeiro, podendo até mesmo gerar uma negativação de crédito ao devedor.

Se isso já ocorreu com você, então saiba que é importante conhecer essa opção e entender quais são as novas regras do rotativo do cartão de crédito, por se tratar de um empréstimo, ao qual correm juros sobre. 

Continue lendo o texto a seguir para tirar suas dúvidas e evitar complicações financeiras.

O que é Crédito Rotativo?

Para simplificar, tomaremos como exemplo a situação mais comum de utilização: quando é feito o pagamento mínimo da fatura, correspondente a 15% do valor total. A diferença entre o valor pago e o valor total da fatura é o Crédito Rotativo.

Esse sistema tem os valores de utilização atualizados de acordo com o uso do contratante, ou seja, os valores diminuem conforme são utilizados, mas também podem aumentar quando o requerente realizar o pagamento dos valores já utilizados.

De uma forma mais específica, essa linha de crédito é concedida pela instituição bancária aos seus clientes

O interessado encaminha a documentação adequada para o banco fazer a análise e aprovação da disponibilidade dos valores.

Essa liberação acontece praticamente de forma automática, no momento em que o cliente está com saldo indisponível em sua conta corrente. 

As taxas de juros incidirão somente sobre o valor utilizado, assim como todos os impostos e encargos provenientes dessas transações.

Onde o Crédito Rotativo surgiu? História

A utilização do Crédito Rotativo teve seu início a partir do ano de 1930, no período conhecido como A Grande Depressão, que decorreu da crise de 1929. 

Nesse período, com a crise econômica que se estabeleceu nos Estados Unidos, o índice de desemprego ficou elevado e houve a queda do produto interno bruto (PIB) em diversos países, afetando significativamente a economia do século XX.

Conforme transcorreu a Segunda Guerra Mundial, no período de 1939 a 1945, o governo norte-americano passou a gerar pagamentos de créditos com a possibilidade de prazos prolongados e ofertar a possibilidade de empréstimos para amortização dos valores.

Os empréstimos, que anteriormente eram comerciais, passaram por um período de escassez, diminuindo a demanda bancária e fazendo com que os bancos procurassem novas alternativas para gerar sua economia. 

Dessa forma, surgiu o crédito, como uma maneira de transformar a economia comercial através de parcelamentos e pagamentos prolongados por seus devedores.

Como funciona o Crédito Rotativo? Principais características

Como funciona o Crédito Rotativo Principais característicasA empresa concedente do cartão de crédito faz uma análise prévia da condição financeira do requerente a fim de verificar a capacidade de cumprir o pagamento do limite a ser oferecido.

Desde abril de 2017, em cumprimento à Resolução 4.549, do Banco Central do Brasil, o crédito rotativo só pode ser utilizado por 30 dias consecutivos

Caso seja necessária a utilização do crédito por um período maior, o banco deve ser contatado para uma nova opção de financiamento ou parcelamento.

Esse parcelamento deverá ser uma alternativa vantajosa para que o débito seja quitado. Não há uma definição padrão sobre a taxa de juros ou número máximo de parcelas, pois cada instituição poderá estabelecer suas regras conforme o perfil de seus clientes.

Com a aprovação do crédito e os valores determinados, o cliente tomador do serviço pode optar por retirar o dinheiro no valor total do banco ou utilizar conforme sua necessidade. 

À medida que o tomador utilize o valor liberado pela instituição, a incidência dos encargos bancários será acrescida, mas somente da quantia utilizada. Conforme o cliente for realizando o pagamento desse serviço disponibilizado pelo banco, o valor do crédito tende a aumentar.

Para que serve o Crédito Rotativo?

Como visto anteriormente, essa linha de crédito tem a função de auxiliar no cumprimento do pagamento da fatura do cartão de crédito através da liberação de um empréstimo de emergência.

Antes da regra de 2017, era comum muitas pessoas pagarem o mínimo da fatura durante meses consecutivos, acumulando juros e comprometendo o orçamento familiar. 

Nessa situação, acontecia, inclusive, a negativação do CPF nos serviços de proteção ao crédito, impossibilitando compras futuras.

Essa regra teve por objetivo evitar o superendividamento e reduzir os juros pagos pelos solicitantes. Após os 30 dias de utilização do Crédito Rotativo, a fatura deve ser paga integralmente ou um novo empréstimo deve ser solicitado.

Precisa de um empréstimo? Conheça suas chances. Consulte seu CPF e Score no Bom Pra Crédito.

Como os juros são cobrados no Crédito Rotativo?

Como os juros são cobrados no Crédito RotativoAnteriormente, fizemos um artigo sobre o funcionamento dos Juros Rotativos

Cada operadora de cartão de crédito possui uma porcentagem de juros que é praticada. Essa taxa é indicada na fatura e, primeiramente, no contrato. Com o valor em mãos, fazer o cálculo é simples e evita transtornos.

Vamos tomar como exemplo algumas taxas de Crédito Rotativo de diferentes operadoras de cartão de crédito. 

O Crédito Rotativo Santander possui uma taxa de juros de 11,38% ao mês, em média.

Se o débito foi no valor de R$ 500,00, será pago R$ 500,00 + R$ 56,90 na próxima fatura, fora os gastos do mês vigente. É importante ressaltar que essa taxa de juros é personalizada conforme a análise de crédito feita pela operadora do cartão, podendo ser maior ou menor que a média.

Outros exemplos: no Nubank, a taxa de juros do Crédito Rotativo é no valor de 14,00% ao mês; na Senff Financeira, a média é maior, são 15,58% ao mês.

O acerto dos valores desse crédito com a instituição bancária pode acontecer de forma parcelada ou integral. 

A maneira como o cliente vai efetuar o pagamento desse crédito é correspondente a cada agência. O sistema de pagamento é acordado no momento da contratação do serviço.

Novas regras para o Crédito Rotativo no cartão

Novas regras para o Crédito Rotativo no cartãoA aplicação do Crédito Rotativo ampliou as condições de consumo dos clientes que optam por essa forma de pagamento. 

No entanto, com o endividamento crescente de seus clientes e o pagamento do valor mínimo da fatura se tornando um hábito, novas regras foram estabelecidas, com a finalidade de controlar a inadimplência do tomador.

Desde 3 de abril de 2017, de acordo com a Resolução 4.549, do Banco Central do Brasil, o Crédito Rotativo pode ser utilizado apenas por 30 dias consecutivos. 

Dessa forma nos próximos 30 dias, o cliente deverá pagar integralmente a fatura ou consultar uma opção de parcelamento junto à instituição bancária.

Os juros do parcelamento, segundo a Resolução, devem ser menores do que os juros atuais do cartão de crédito.

É importante ressaltar que a melhor opção será sempre não recorrer ao Crédito Rotativo e regular os gastos com cartão de crédito, que não devem exceder os ganhos mensais e sim corresponder a uma parcela.

Perigos do Cartão de Crédito Rotativo – Superendividamento

Perigos do Cartão de Crédito Rotativo - SuperendividamentoA utilização do Crédito Rotativo é um sistema que contribui de forma muito significativa para a movimentação da economia do país, uma vez que atenua o efeito da dívida e fornece mais tempo para a quitação dela, diminuindo os efeitos negativos sobre o poder de compra do utilizador.

No entanto, os administradores de finanças orientam a todos os clientes que buscam por essa alternativa que se atentem às suas reais necessidades. 

Uma vez contratado, o Crédito Rotativo apresenta juros, taxas e encargos que podem pesar em um orçamento desregrado e inconsciente.

O efeito “bola de neve” pode atrapalhar a vida financeira do cliente, que deverá quitar integralmente o débito no mês subsequente, além dos encargos referentes a esse mês. 

A nova regra, lida no item anterior, foi uma forma de evitar o superendividamento das famílias brasileiras, que acumulavam, mês a mês, os juros rotativos devido a pagamentos constantes do mínimo do cartão.

Todo descontrole financeiro deve ser analisado com cautela, uma vez que o endividamento irá prejudicar futuras análises de crédito e disponibilização de valores, além de trazer complicações à rotina orçamentária do cliente.

Para um planejamento financeiro mensal positivo, algumas organizações em relação aos seus gastos devem ser consideradas. 

O uso do cartão de crédito amplia de forma significativa as condições para o pagamento de suas contas e da possibilidade de efetuar novas compras.

No entanto, é necessário que se compreenda as cláusulas presentes na adesão desses serviços, assim como acompanhar a atualização dos valores que serão cobrados pela instituição nas faturas geradas. 

Esses valores podem ser verificados de forma simples no site da instituição bancária.

Além de um controle financeiro próprio,o gerente da instituição financeira pode ser procurado para auxiliar na busca por alternativas viáveis para situações emergenciais de crédito.

Dicas para gerenciar o Crédito Rotativo

Algumas dicas podem ser seguidas para evitar o endividamento e até mesmo o uso emergencial do Crédito Rotativo. Veja a seguir:

  • Seja responsável com o cartão de crédito: evite o acúmulo de parcelas e tenha em mente o valor total que se pode gastar mensalmente com essa opção de pagamento. Muitas pessoas pensam no cartão de crédito como um valor além de seus ganhos, o que não é verdade. É apenas uma forma de ampliar o poder de compra e ter a oportunidade de parcelar bens e serviços de alto valor.
  • Evite atrasar o pagamento da fatura e recorrer a pagamentos inferiores ao valor total da fatura.
  • Entenda o que está contratando: muitos evitam se atentar às inúmeras regras dos serviços contratados, mas no que tange a dinheiro, essas regras devem ser aprendidas e compreendidas. Tenha conhecimento sobre a taxa de juros personalizada do Crédito Rotativo de seu cartão de crédito e as opções disponíveis de parcelamento desde o momento da contratação do serviço.
  • Precisou do Crédito Rotativo? Não se desespere. Faça o cálculo de quanto irá pagar no próximo mês e controle seus gastos para que seja possível quitar integralmente a dívida.
  • Caso não seja possível quitar o Crédito Rotativo utilizado, entre em contato com a instituição financeira e verifique as opções de parcelamento. Lembrando que o parcelamento será somado aos gastos mensais. É importante ter controle.
  • Considere utilizar um cartão pré-pago: como você não poderá gastar além do saldo disponível, o controle financeiro é maior e mais seguro.
  • Acompanhe seus gastos: os aplicativos das instituições bancárias fornecem as informações financeiras de forma prática. Tenha o hábito de verificar seus gastos e controle seu orçamento para que seja possível quitar as dívidas e ter acesso aos bens e serviços de maneira simplificada.

Como quitar a fatura do cartão e evitar o Crédito Rotativo?

Como quitar a fatura do cartão e evitar o Crédito RotativoSe o uso do Crédito Rotativo foi inevitável e não será possível quitar sua dívida, o empréstimo pessoal pode ser uma alternativa viável. 

Calcule o quanto você precisa e deixe que o Bom Pra Crédito busque as melhores propostas de empréstimo pessoal para você, com as melhores taxas e condições.

Com a dívida paga, você tem a oportunidade de reorganizar sua vida financeira sem estresse e, o melhor, com a lição aprendida.

Ainda é possível contratar o empréstimo pessoal para pagar a fatura, antes mesmo de recorrer ao Crédito Rotativo. 

Você poderá ter acesso a taxas menores do que os juros rotativos do cartão de crédito e ter um parcelamento mais amigável ao seu bolso. O Bom Pra Crédito está à disposição para fornecer a melhor opção.

Perguntas frequentes sobre o Crédito Rotativo

É normal o surgimento de dúvidas acerca do Crédito Rotativo, afinal, não são todas as pessoas com acesso a uma boa educação financeira. 

Essa opção de crédito emergencial tem seu principal uso relacionado ao cartão de crédito, mas também tem outras funções como caução em duplicatas e cheque especial, um velho conhecido de vários brasileiros.

Iremos tratar especificamente sobre a utilização de Crédito Rotativo no pagamento da fatura do cartão de crédito. Veja os itens a seguir:

O que significa cartão de crédito no rotativo?

O que significa cartão de crédito no rotativoSe você não pagou sua fatura na totalidade e quitou apenas o mínimo ou um valor acima deste, está utilizando o Crédito Rotativo

Isso significa que na próxima fatura você deverá pagar a diferença não quitada acrescida da taxa de juros rotativos, que irá variar conforme a instituição bancária e também da análise de crédito de acordo com seu perfil de consumo e adimplência.

O Crédito Rotativo é um empréstimo emergencial concedido pela instituição financeira de modo a permitir que o pagamento total da fatura possa ser postergado em até 30 dias, fornecendo tempo para que o utilizador consiga esse dinheiro.

O que é encargo sobre o rotativo?

Em caso de utilização do Crédito Rotativo existem encargos sobre a utilização desse serviço, assim como qualquer outro empréstimo padrão. 

Se o pagamento da fatura não corresponde ao valor total dela, o utilizador irá pagar os juros rotativos sobre essa diferença. Vamos ao exemplo:

  • Valor da fatura: R$ 1.000,00
  • Valor do pagamento mínimo (15% do total): R$ 150,00
  • Pagamento efetuado: R$ 300,00
  • Valor do Crédito Rotativo utilizado: R$ 700,00 + taxas
  • Valor a ser pago no mês seguinte: R$ 700,00 + taxas de juros rotativos em cima do valor emprestado + gastos efetuados no mês

Para que as instituições consigam trabalhar com um sistema de Crédito Rotativo, elas estabelecem a criação de cláusulas específicas, utilizadas nos contratos de abertura da linha de crédito, que possibilitarão ao cliente correntista firmar um contrato de categoria mútua.

Os contratos nesse modelo compreendem o mutuante como sendo a instituição que está apresentando o contrato, e o mutuário, que é cliente tomador do crédito.

Conclusão

ConclusãoO cartão de crédito pode ser um benefício para seu usuário, desde que utilizado com sabedoria. O parcelamento de compras de alto valor auxilia quem não possui o crédito no momento da compra, dando a oportunidade de adquirir o bem de forma simplificada.

A responsabilidade no uso de qualquer linha de crédito é importante para o controle financeiro e impedimento de complicações em compras futuras. 

Se possível, prefira pagamentos à vista, em dinheiro ou débito. Você pode se informar em nosso artigo sobre as vantagens e desvantagens de pagar uma conta com cartão de crédito.

A utilização do Crédito Rotativo não deve se tornar um hábito, uma vez que o acúmulo de juros pode ter o efeito “bola de neve”, implicando em uma dívida muito maior do que a inicial. 

Consulte as opções que a sua instituição financeira oferece para a quitação de débitos e regularize o quanto antes a dívida do Crédito Rotativo.

Caso não existam condições financeiras para suprir a dívida, um empréstimo pessoal pode se fazer necessário. Conte com o Bom Pra Crédito!

Em um só lugar e de maneira 100% digital, você poderá consultar suas chances de obter um empréstimo em mais de 30 financeiras, receber uma proposta de forma rápida e ter acesso ao valor necessário em sua conta corrente em até 48 horas, isso tudo com as melhores taxas de juros e parcelas que cabem no seu bolso.

Em caso de dúvidas, estamos à disposição através das nossas mídias sociais e da nossa central de ajuda.

By | 2019-07-03T16:28:22-03:00 3 de julho de 2019|