07 erros financeiros que nunca devemos cometer

Larissa Civita

| 4 minutos para ler

homem de roupa social estressado em frete a um laptop

Continua depois da publicidade

Não deixe que hábitos errados prejudiquem seus sonhos e te façam afundar em dívidas

É errando que se aprende! Quem não tem medo de encarar os desafios sabe que cada falha e tropeço acaba ajudando a gente a se aperfeiçoar e descobrir o jeito certo de fazer as coisas.

Mas, quando o assunto envolve dinheiro, é melhor não pagar para ver, não é? Literalmente!

Nesse caso, a melhor coisa é identificar onde poderiam estar os erros financeiros para ficar bem longe deles.

Para você não quebrar a cara e impedir que seu dinheiro vá por água abaixo, descubra 7 hábitos que você precisa abandonar agora mesmo. 

1. Não estudar sobre educação financeira

Não adianta somente anotar o quanto você ganha e gasta no caderninho. A educação financeira envolve mudança de comportamento e nos ajuda a encontrar as melhores opções, não só para pagar as contas, mas para fazer o dinheiro render. 

Se você não sabe do que a gente está falando, existem vários blogs (como o nosso), sites e influenciadores digitais que mandam bem nesse assunto e compartilham dicas importantes. Você vai aprender a lidar melhor com seu dinheiro. 

2. Não planejar os gastos

Se você só compra o necessário e não deixa sua conta ficar no vermelho, já é um bom começo. Mas isso não significa que é o bastante.

Você precisa saber o preço de cada coisa para descobrir o quanto da sua renda é voltado para esses gastos.

As despesas do nosso dia a dia, por menores que sejam, interferem diretamente na nossa renda total.

Portanto, planeje-se, seja para tomar um sorvete ou jantar em um restaurante. 

Faça a lista do que vai comprar no supermercado e evite sair de lá com o dobro de coisas que você pretendia comprar.

Não ter critério na hora da compra é um dos erros financeiros que mais levam a gente para o buraco. 

3. Deixar as contas atrasarem

Qualquer conta que você atrasar vai implicar em juros e multa. Não é só o cartão de crédito que pode te colocar no vermelho.

Isso vale para conta de internet, aquela prestação da loja de roupas, conta de luz, entre outras. 

A regra é simples: se você não pode pagar pelo que consome, então economize.

Fique menos tempo no chuveiro, reduza o plano de internet e diminua o limite do seu cartão. Isso é prudência e planejamento!

Se você estiver se afogando em um mar de dívidas, não tenha vergonha de negociar com quem você deve.

Se for necessário, faça um empréstimo online. O Bom Pra Crédito é parceiro dos principais bancos do país.

Isso quer dizer que, dependendo do seu perfil financeiro, você vai conseguir um empréstimo com as melhores taxas e condições de pagamento.

Com certeza, os juros são bem menores do que o rotativo do cartão de crédito e do cheque especial. 

4. Não ter uma reserva de emergência

Leia também: Reserva de emergência, como montar uma para empreender

O ditado “prevenir é melhor do que remediar” faz todo sentido e é mais importante ainda quando o assunto é a relação entre dinheiro e emergências.  De onde você vai tirar dinheiro se acontecer algum imprevisto?

Seja para consertar o carro que quebrou, pagar um encanador porque um cano da sua casa estourou ou por que, de última hora, você descobre que precisa fazer uma cirurgia, ao invés de esperar por uma mágica, use o dinheiro para emergência.

Claro que ninguém quer que nada de ruim aconteça, mas os imprevistos estão aí para provar que nem tudo ocorre de acordo com nossa vontade.

Se tudo der certo e nenhum obstáculo aparecer no meio do caminho, pelo menos você tem dinheiro guardado.

mão saindo de um monitor entregando uma sacola de compras para mão saindo de outro monitor entregando cartão de crédito.

5. Parcelar todo tipo de compra

O problema não é o cartão de crédito, é como você usa ele. Um dos piores erros financeiros é achar que, comprando tudo parcelado, você vai sair na vantagem.

Agora, imagina a soma de cada prestação? Isso pode virar uma bola de neve enorme.

Isso sem contar nos juros altíssimos quando você entra no rotativo ou paga apenas o mínimo.

A regra é simples: despesas fixas, pagamento à vista, ou seja, não parcele compras de supermercado e, muito menos, pague suas contas no crédito.

A não ser que você goste de juntar milhas e tenha o dinheiro todinho da fatura.

Caso contrário, tenha muito cuidado para não cair na doce ilusão de que as parcelas baratinhas não prejudicam seu orçamento.

6. Comprar primeiro, pagar depois

Uma vida financeira desregrada é aquela que não possui metas claras e objetivas a curto, médio e longo prazo.

Isso pode fazer com que você meta os pés pelas mãos e pague muito caro por suas decisões erradas.

Se você precisa de um novo celular, ao invés de ir até a loja e fazer prestações altíssimas no crediário, espere mais um pouco e junte o dinheiro para comprar à vista.

Economize com outras coisas do dia a dia até você alcançar sua meta.

E isso vale para as coisas mais simples e baratas até para as mais caras. Foque no futuro, mas com comportamentos inteligentes que você deve ter agora, no presente.

Estabelecer metas nos ajuda a conquistar as coisas com mais facilidade. 

Aprenda: Como negociar dívidas? Veja Agora

7. Medo de obter renda extra

Você já deve saber que dinheiro não cai do céu, não é? Se você se esforça no seu trabalho para, claro, ganhar o seu salário, mas também para dar lucro ao dono da empresa, por que não pensar em estratégias para lucrar também?

Aproveite seu talento (Sim, todo mundo tem talento!) para fazer uma renda extra. Você toca um instrumento? Divulgue seu trabalho em barzinhos, festas, entre outros.

Você cozinha bem? Venda doces ou salgados para os vizinhos, colegas, familiares…

Sempre dá para ganhar mais e aprender a fazer o dinheiro trabalhar por você. Portanto, deixe o medo de lado e comece a pensar no que você poderia fazer para ter uma vida financeira mais tranquila.

E aí? Você comete ou já cometeu alguns ou todos esses erros financeiros? Não espere o momento ideal para ter bons hábitos.

Comece agora e com o que você tem. Se você seguir esses conselhos, coisas boas vão acontecer e seu bolso agradecerá. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *