Educação financeira em tempos de recessão econômica te ajuda a não perder o controle

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

capelo com corda laranja em cima de mesa de madeira

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Sempre essencial, sua importância se destaca ainda mais em tempos de crise

A educação financeira é um dos conhecimentos mais importantes que se pode ter para viver em sociedade. Afinal, sendo o dinheiro um recurso indispensável, saber como administrá-lo é essencial para levar uma vida organizada e mais confortável.

Quem conhece o assunto sabe como faz toda a diferença, já que mesmo situações inesperadas que mexem com o orçamento são amenizadas quando se tem um bom planejamento.

Ultimamente, o Brasil e o mundo estão passando por um período de recessão de grandes proporções.

Embora ainda não sejam totalmente conhecidas, fica claro que os acontecimentos já apresentam sérias consequências na economia.

Quem já tinha se preparado para eventuais emergências deve lidar com o problema de uma maneira mais tranquila, mas até mesmo quem não tinha tanto preparo assim também podem ajustar algumas coisas em seu dia a dia para que, daqui em diante, as surpresas não sejam tão grandes.

Veja como vale a pena ser educado financeiramente e o que fazer para implantar tais medidas começando a partir de hoje. Antes, porém, vamos ver uma breve explicação sobre em que consiste este conceito.

livro escrito em inglês o termo "literatura das finanças"

Leia mais: O que é educação financeira e como você pode aprender com ela

O que é educação financeira?

É ter um conjunto de habilidades e conhecimentos que permitem a uma pessoa tomar decisões informadas e planejadas com os recursos financeiros que tem à disposição.

Entender o básico sobre finanças permite que as pessoas saibam como navegar no sistema financeiro, ao mesmo tempo que as ajuda a tomar decisões acertadas e cuidar melhor de seu dinheiro do que aqueles que não sabem sobre o assunto.

Infelizmente, o número de pessoas que sabem como lidar com suas finanças não é tão alto quanto deveria. É isso o que diz a pesquisa “Financial Literacy Around the World: an Overview” (Educação financeira pelo mundo: uma visão geral), de Annamaria Lusardi e Olivia S. Mitchell.

As autoras concluíram que a educação financeira é muito baixa ao redor do mundo, o que não está relacionado ao seu nível de desenvolvimento financeiro.

A pesquisa foi feita com pessoas da Alemanha, Países Baixos, Suécia, Japão, Itália, Nova Zelândia, Estados Unidos e Rússia.

Como é a educação financeira no Brasil?

Também pode melhorar bastante, como mostra o Raio X do Investidor Brasileiro, pesquisa feita em 2018 com 3.374 pessoas de todo o Brasil pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais.

Foram apresentadas algumas alternativas sobre o modo que os entrevistados lidam com o dinheiro.

As respostas mais escolhidas foram as seguintes, acompanhadas de um comentário sobre elas:

  • Eu não consigo fazer sobrar, porque todo o dinheiro que entra é para pagar as contas do mês (40%): aqui, a falta de um planejamento financeiro é clara, o que se aplica a uma grande parcela da população.
  • Poupo sempre que sobra, mesmo que pequenas quantidades (25%): uma a cada quatro pessoas afirmam guardar dinheiro, mas apenas quando sobra. A situação é melhor que a primeira, mas ainda não é a ideal. Guardar dinheiro pode ser um item tratado como uma “conta a pagar”. Isso ajuda na organização e disciplina.
  • Acredito no meu futuro e procuro investir tudo que posso no meu projeto pessoal (15%): vemos aqui uma boa dose de confiança e motivação, o que é ótimo para quem quer tocar seu próprio projeto. Porém, isso não exclui a importância de guardar dinheiro para conseguir lidar com alguma emergência ou mesmo para ter mais tranquilidade.
  • Guardar dinheiro é um compromisso para mim, já reservo uma parte assim que entra na conta (10%): esta é a melhor das situações da pesquisa. Ela demonstra uma preocupação clara com a educação financeira, o que com certeza traz uma série de vantagens a essas pessoas.
  • Não me preocupo tanto em poupar, prefiro viver o presente (10%): em contrapartida, essa é uma situação perigosa. Preocupar-se com o futuro é muito importante, já que não sabemos o que ele nos reserva e, portanto, ter uma reserva, o que faz parte da educação financeira, é fundamental.
  • Nenhuma das alternativas (1%): uma pequena porcentagem dos entrevistados não encontrou entre as opções nenhuma que se adequasse ao seu comportamento com o dinheiro.

Este é um reflexo direto de como a educação financeira é um conceito que tem muito a crescer, o que faria com que a parcela de pessoas que poupam para o futuro fosse bem maior do que o que foi constatado pela pesquisa.

Algumas pessoas realmente se comportam bem, reservando uma parte do seu faturamento para o futuro (o que também mostra que elas provavelmente não gastam todo o dinheiro que ganham), mas o ideal seria que essa porcentagem fosse ainda maior.

Ter educação financeira é realmente importante? O que fazer para aprender?

Com certeza! Quem tem essa habilidade pode gerenciar seus recursos financeiros da melhor maneira possível e, com isso, ter uma vida mais tranquila e equilibrada.

Nós separamos algumas dicas simples para que você consiga aplicar a educação financeira em sua vida.

Dá só uma olhada:

Faça um planejamento financeiro

Fazer um planejamento financeiro é um primeiro passo.

Com ele, você poderá colocar algumas metas, como quitar suas dívidas, criar uma planilha para controlar os gastos e entender exatamente quanto ganha e quanto gasta para, assim, se organizar.

No começo é um pouco difícil, nós sabemos, mas essa organização é muito importante para que você consiga aprender e aplicar tudo o que puder sobre organização financeira em sua vida.

Separe dinheiro para uma reserva de emergência

A pandemia do Coronavírus é um evento que mudou as vidas das pessoas e trouxe impactos às finanças, porém, quem tem uma boa educação financeira deve sentir menos que as outras.

Quando se tem um bom controle financeiro pessoal, por exemplo, a pessoa sabe que deve guardar uma parte de seus ganhos em uma reserva de emergência, justamente para ter uma forcinha em momentos como este.

Evite compras por impulso

O planejamento financeiro ajuda também no dia a dia. Quem tem as finanças controladas geralmente evita compras por impulso e pensa bem em suas despesas para que elas nunca prejudiquem sua saúde financeira.

Esse tipo de compra é desnecessária na maioria das vezes, mas costumamos ser incentivados pelas propagandas, descontos e ofertas especiais. Comprar apenas aquilo que você precisa (e quando precisa) é um belo sinal de educação financeira.

Invista seu dinheiro

Procure pelas melhores opções de investimento para que o seu dinheiro possa trabalhar “por conta própria” e, assim, te traga um orçamento mais recheado todos os meses. Já pensou que beleza?

Existem vários tipos de investimento, cada um com suas características.

Pesquise quais são os melhores para o que você procura e invista, o que pode mudar sua realidade financeira já dentro de pouco tempo, mas especialmente para um futuro mais distante, como na aposentadoria, por exemplo.

porquinho azul ao lado usando capelo ao lado de maços de notas e um despertador

Leia mais: Como a política econômica do Brasil afeta o seu dia a dia? https://www.bompracredito.com.br/blog/o-que-e-educacao-financeira/

Cuide do seu dinheiro com carinho

Resumindo, a educação financeira impacta em tudo que está relacionado a dinheiro, desde saber o que fazer com o salário do mês até pensar na melhor alternativa para lidar com uma despesa de última hora.

Por isso, você deve olhar para seu dinheiro com carinho e tomar as melhores decisões possíveis com ele.

Com o passar do tempo, seu comportamento ficará diferente e você perceberá como está sendo muito mais fácil cuidar das finanças do que imaginava.

Aprenda sobre educação financeira e cuide bem do seu dinheiro!

Quanto mais você souber sobre educação financeira, melhor. Isso é tão bom em tempos de crise quanto em momentos em que está tudo tranquilo.


Se você precisa de um empurrãozinho, conte com o Bom Pra Crédito e tenha acesso aos melhores valores, parcelas e taxas de acordo com o seu perfil para empréstimos pessoais e consignados.

Quanto antes colocar o projeto de educação financeira em prática, melhor!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *