Como saber o número do PIS

Larissa Carvalho

| 8 minutos para ler

Como saber o número do PIS

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

O profissional brasileiro tem uma série de direitos. Para ter acesso a eles e entender quais são os benefícios, existe o PIS. Neste conteúdo, você vai entender tudo sobre este conceito, inclusive como saber qual é o número do seu PIS.

O que é o PIS?

Para o trabalhador, o PIS é um número. Mas, na verdade, ele é o que identifica o cidadão no Programa de Integração Social. Ele nada mais é do que um programa em que as empresas privadas depositam as contribuições ligadas aos seus empregados – fundo do PIS/PASEP.

Este fundo vai para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) com o objetivo de pagar diversos benefícios como o abono salarial e o seguro desemprego. 

O PIS foi criado em 1970 com o objetivo original de integrar o trabalhador e as empresas, de modo a permitir uma distribuição maior da renda. Em 1975 ele foi unificado com o PASEP para formar o fundo PIS/PASEP. Mas, em 1989, foi criado o FAT.

É este fundo que é responsável pelo pagamento de todos os benefícios que iremos ver a frente, como o abono salarial e o seguro desemprego, além de ser responsável por diversas ações que buscam qualificar a mão de obra brasileira. Em 2018, por exemplo, seu patrimônio superou os R$ 300 bilhões. Parte deste recurso também é usado pelo BNDES para a sua política de crédito.

Durante muito tempo, entre os anos 1970 e 1980, cada trabalhador tinha a sua conta individual no fundo, na qual os depósitos eram feitos. Assim, cada um tinha a sua cota. Se você se enquadra no caso de alguém que trabalhou com carteira assinada, ainda tem uma conta do fundo do PIS que vale a pena conferir, porém, ele não tem nada a ver com o benefício atual. Seria algo independente.

O cidadão não precisa fazer o cadastro nesse programa. Ele é feito pela empresa no seu primeiro emprego com carteira assinada, em que será feita a sua primeira contribuição como profissional para o INSS. Por isso, para consultá-lo, basta verificar a carteira de trabalho, já que ele se encontra carimbado na contracapa ou impresso diretamente na primeira página.

Outra dúvida bem comum sobre o PIS é a sua relação com o PASEP. Esta outra sigla sempre vem em conjunto com o PIS, gerando certa confusão. O PASEP é o Programa de Formação do Servidor Público. Por isso, muitas vezes, a contribuição é chamada de PIS/PASEP.

O que é o PIS

Na prática, ambas são exatamente a mesma coisa. A diferença é que existe uma separação do fundo para os contribuintes de empresas privadas e os do setor público.

Outra sigla que acaba gerando uma certa confusão é o NIT (Número de Identificação do Trabalhador) que foi criado pela previdência social. Ou seja, ele é criado pelo cidadão, de forma independente, que deseja contribuir com o INSS de forma voluntária, para garantir os benefícios da aposentadoria, salário-maternidade e todos os outros.

Isso é comum para qualquer profissional autônomo que não irá trabalhar de carteira assinada. Na prática, ele é a mesma coisa que o PIS, porém, o cidadão deve ter apenas um número. Então, é preciso informar o número do NIT, caso se consiga um emprego de carteira assinada.

Por exemplo, imagine que um profissional autônomo gostaria de contribuir com o INSS. Ele cria o seu NIT para poder fazer a contribuição, porém, um tempo depois, ele é contratado para trabalhar com carteira assinada. Ele então informa ao contratante que possui este número, para que ele seja convertido para o PIS. E o número se mantém o mesmo.

Então, se no futuro ele voltar a ser autônomo, pode fazer a contribuição pelo mesmo número.

Por fim, existe mais uma sigla que é preciso saber e que está associada a este número: o NISNúmero de Identificação Social. Na prática, ele é voltado mais para o social, ou seja, controla programas como o Bolsa Família. Neste caso, o critério do NIT também se aplica, e o mesmo número pode ser usado para o PIS.

Ou seja, NIT, NIS e PIS são o mesmo número em quase todos os casos.

Outro ponto fundamental em relação ao PIS que vale a pena conhecer são os benefícios associados ao programa. Um dos mais importantes é o abono salarial. Na prática, ele funciona como uma espécie de quarto salário aos trabalhadores.

Abono salarial

Para ser apto a receber este benefício, é preciso que o trabalhador se enquadre nos cinco requisitos a seguir:

  • Ser contratado por uma pessoa jurídica;
  • Ter cadastro de, pelo menos, 5 anos no programa;
  • Ter uma remuneração média de até dois salários mínimos no ano anterior;
  • Sua carteira deve ter sido assinada por pelo menos seis meses;
  • Os dados sobre o trabalhador deve constar no RAIS (Relação Anual de Informações Sociais).

Se você se enquadra nos quesitos do abono salarial, não deixe passar este benefício. Afinal, é um dinheiro extra que você tem direito. 

É possível receber este benefício de diversas formas. Primeiro, você pode sacá-lo em uma casa lotérica ou em um caixa eletrônico da Caixa Econômica Federal com o seu cartão cidadão. Se preferir, também pode ir direto a agência ou receber em crédito, se for correntista do banco.

Você também pode usar o número do PIS para saber se tem direito ao pagamento na página da caixa. Basta acessar o link e clicar na opção “consultar pagamento”. É preciso ter ou fazer uma conta no site.

Para receber o valor do abono salarial é preciso estar atento ao calendário. Este é construído pela Caixa de acordo com a data de nascimento do trabalhador. O calendário do PIS 2019 já foi feito e o saque começou em julho e vai até março de 2020. Se você perdeu o prazo, não tem problema, pois você não perde o dinheiro. O que não for sacado é acumulado para o próximo saque.

Como saber o número do PIS pelo telefone

Seguro desemprego

O outro maior benefício associado ao PIS é o seguro desemprego. Este é um valor pago pelo governo em até 5 parcelas para o trabalhador que foi demitido sem justa causa, enquanto ele está procurando um novo emprego. Para ter direito a este benefício, é preciso se enquadrar em três condições.

A primeira é que a demissão deve ser sem justa causa. Para quem não sabe, este é um modelo de demissão em que a empresa não deve pagar os impostos nem ter o aviso prévio. 

Além disso, é preciso trabalhar um período de 18 meses para realizar o primeiro pedido do benefício. Para o segundo pedido, é preciso 12 meses de trabalho e em todos os possíveis pedidos seguintes, este limite mínimo é de 6 meses.

A última condição é que o trabalhador não pode ter nenhuma outra fonte de renda, incluindo os benefícios da previdência social. Neste caso, existem exceções como o auxílio acidente e a pensão por morte.

O valor do seguro desemprego depende de quanto tempo o funcionário ficou na empresa, além do valor do salário que era recebido, porém, os valores ficam dentro do limite de R$ 998,00 e R$ 1,735,29.

Para ter direito a este benefício, é necessário apresentar os seguintes documentos:

  • RG e CPF;
  • Carteira de trabalho;
  • Número do PIS;
  • Requerimento do seguro desemprego;
  • Rescisão do contrato com a empresa;
  • Extrato de depósitos do FGTS.

O cartão cidadão é outro ponto importante que foi mencionado ao longo do artigo. Ele é criado para facilitar o acesso ao trabalhador a todos os benefícios sociais e trabalhistas. Como vimos acima, ele ajuda a sacar o abono bem mais facilmente. Também pode ser usado para o FGTS e o Bolsa Família.

Como saber o número do PIS?

Como saber o número do PIS

Agora que você já sabe tudo sobre este número e para quê ele serve, é hora de discutir como descobri-lo.

Você pode encontrá-lo em diversos documentos como:

  • Carteira de Trabalho;
  • Cartão Cidadão;
  • Extrato do FGTS;
  • Agência da Caixa, se apresentar algum documento oficial com foto.

Felizmente, com a Internet e a tecnologia à sua disposição, é mais fácil ainda descobrir o número do PIS. 

Como saber o número do PIS pelo CPF?

O único documento que você precisa para descobrir o seu PIS é o CPF. Com este número em mãos, você pode acessar o site do INSS ou pegar o número do PIS pelo próprio telefone.

Como saber o número do PIS pela internet?

A Internet traz a forma mais rápida e cômoda de consultar o seu número do PIS. Como dito acima, você precisa apenas do CPF para fazer esta consulta.

Uma forma de fazer isso é pelo site do CNIS – Cadastro Nacional de Informações Sociais.

Ao entrar no link, automaticamente aparecerá as informações que devem ser preenchidas para a sua identificação, mas, caso contrário, clique na opção “Cidadão” e em seguida na opção “Filiado” no canto esquerdo da tela.

Em seguida, é pedido para que você preencha quatro informações: nome, nome da mãe, CPF e data de nascimento. Após o preenchimento, aparecerá uma mensagem em vermelho, dizendo que os dados já constam no CNIS e qual é o seu número do PIS.

Existe ainda um outro caminho para fazer a consulta do PIS pela Internet, usando apenas o CPF. Você pode usar o site do Meu INSS, para encontrar esta informação.

Esta é uma ferramenta um pouco mais completa, que permite que você consulte diversas informações sobre o seu cadastro no INSS, além de apenas recuperar o número. Mas, para isso, é preciso apenas se cadastrar no programa.

Se você já se cadastrou, basta entrar com o seu CPF e a sua senha. Caso contrário, é preciso fazer o registro. O passo a passo é bem simples:

  1. Acesse o site acima e clique em “Entrar” no canto superior direito;
  2. Normalmente, será aberta uma segunda janela, um pop-up pedindo o seu CPF. Se você já é cadastrado, basta entrar com o CPF e em seguida entrar com a senha;
  3. Caso seja seu primeiro acesso, clique na opção abaixo “criar a sua conta”;
  4. Em seguida, você preenche os seus dados preliminares, como CPF, data de nascimento, celular, e-mail, nome da mãe e estado;
  5. A primeira senha é criada automaticamente pelo próprio sistema. Anote, pois será preciso usá-la para o seu primeiro acesso ao site;
  6. No novo cadastro, entre com o seu CPF e a sua senha;
  7. O sistema recomendará que você troque a sua senha para uma de sua preferência. Não se esqueça de usar uma senha bem forte e de anotá-la.
  8. Faça um último acesso, desta vez com o CPF e a senha nova;
  9. Uma vez que esteja registrado, basta clicar no canto superior direito da tela, onde consta o seu nome. Lá, você encontra os seus 3 dados principais: nome completo, CPF e o PIS. Prontinho, agora você já sabe o seu PIS e fez o seu cadastro no site do Meu INSS.

O portal do meu INSS é bem interessante e tem diversos serviços gratuitos. Se você já tiver acessado, vale a pena dar uma explorada para conhecê-lo e saber o que pode ser feito dentro dele.

Por exemplo, no portal, você pode fazer todos os seus requerimentos e agendamentos, sem precisar se deslocar a agência até o momento que será realmente atendido. Você também pode acompanhar todos os agendamentos.

Como saber o número do PIS pelo telefone?

Como saber o número do PIS pelo telefone

Outra opção, ainda mais direta, é descobrir o número do PIS pelo telefone. Neste caso, você também tem duas opções.

A primeira, é ligar diretamente para o número da Previdência Social, 135. Após ser atendido pelo atendimento automático, selecione a opção 5. Em seguida, um atendente irá confirmar os dados cadastrais para informar o número do CPF.

Outra opção semelhante é ligar para o número da Caixa Econômica Federal. O telefone é 0800-7260207.

Como saber o número do PIS pelo Cartão Cidadão?

Outro documento que pode ajudar a conhecer o número do PIS é o Cartão Cidadão. Este é um documento emitido pela Caixa, para ajudar a população a ter acesso a todos os benefícios dos programas associados ao PIS, como vimos acima. Assim como qualquer documento, ele é impessoal e intransferível. Ele também contém o número do PIS.

Se você ainda não tem o cartão cidadão, pode fazê-lo em uma agência da Caixa ou uma Lotérica. Para isso, é preciso apresentar alguns documentos:

  • RG;
  • Carteira de Trabalho;
  • Carteira de motorista.

Como saber se o número do PIS está certo?

Para saber se o número do PIS está certo, basta verificar em algumas das formas acima para conferi-lo. O site do Meu INSS é a opção mais garantida, pois a receita federal traz o registro do INSS de todos os cidadãos. Então, basta comparar com o número da carteira ou de qualquer outro documento para ter certeza de que ele está certo.

Conclusão

O PIS é um dos números de identificação mais importantes para o trabalhador brasileiro. Ele permite o recebimento de diversos benefícios que são direito do trabalhador. Felizmente, é muito simples fazer a consulta deste número e você tem diversas formas a sua disposição. Agora que você já sabe todas elas, fique atento aos seus benefícios para não deixar de receber nenhum deles.

Precisa de uma mãozinha para atingir algum objetivo? Um empréstimo pode ajudar!