Começar a investir, saiba como dar os primeiros passos para ter mais dinheiro

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

um homem e uma mulher sentados comemorando os resultados observados na tela do laptop

Continua depois da publicidade

Conheça ainda alguns erros de principiante que você não pode cometer

Comece o quanto antes. É sério. Você não precisa de muito dinheiro, pode começar com pouco. Claro, você vai precisar de alguma ajuda no início, mas isso também está dentro do passo a passo que montamos para você sobre como começar a investir. Vamos lá?

Tenha metas

Um estudo feito por cientistas irlandeses com ovelhas demonstrou bem como a mente pode funcionar com metas.

Ele mostrou que o cérebro responde melhor a estímulos, como pequenos objetivos, que nos levem a uma meta maior.

Por isso, trazendo esse pensamento para o seu começo no investimento, anote em um papel quais são os pequenos e grandes objetivos que deseja alcançar. 

Isso vai segurar a sua onda quando pensar em gastar um dinheiro a mais, que você pode usar para começar a investir. Pense bem, planeje, se dê prazos.

Dez pessoas sentadas ao redor de uma mesa com cadernos e laptops debatendo sobre investimentos

Leia mais: Meta Financeira: como definir as principais para a sua vida

Você é um investidor conservador, moderado ou arrojado?

Defina seu estilo como investidor, mas não se apegue apenas a isso, já que dentro de uma cartela de investimentos você pode ter ativos com os três perfis. Só é importante decidir isso porque é o que vai ser determinante no tempo que você vai levar para atingir seus objetivos. 

Você pode fazer um teste pela internet para descobrir qual o seu perfil de investidor ou até buscar isso em uma conversa na corretora que você vai abrir uma conta.

Estude sobre investimentos

Nem todo mundo é incentivado a entender sobre o mercado financeiro, mas nunca é tarde para começar.

E, para dar o passo inicial e começar a investir, é essencial que você se interesse pelo tema e procure entender como tudo funciona, quais são os tipos de investimentos.

Para começar, descubra um pouco mais sobre as diferenças entre os investimentos de renda fixa e renda variável. 

  • Renda fixa 

São basicamente títulos públicos ou privados, ou seja, empréstimos que o investidor dá a essas instituições que podem atender a diversos setores: educação, agricultura, construção civil.

Ao emprestar dinheiro, você recebe rendimentos que podem ser pré ou pós-fixados. No primeiro você já sabe antes o quanto o investimento vai render, no segundo isso pode variar de acordo com algumas taxas. 

Alguns exemplos de investimentos de renda fixa: o Tesouro Direto, Certificado de Depósito Bancário (CDB), Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), entre outros.

  • Renda variável 

Já na renda variável temos os investimentos que são negociados na bolsa de valores. Sem rendimento fixo, as ações sofrem influência de diversos fatores, inclusive externos, como os políticos, por exemplo.

Esse tipo de modalidade merece um nível mais avançado de conhecimento, para que o medo de perder muito dinheiro não se torne uma realidade.

Alguns exemplos: temos Ações, Fundos de Investimentos Imobiliários, Commodities e outros.

Encontre uma corretora confiável para investir

Uma corretora de valores é uma instituição financeira.

Com uma conta aberta nela você tem acesso a diversos produtos de investimento, ela fica como responsável por fazer a ponte entre você e o que está disponível para investir dentro do seu perfil. 

Talvez você esteja se perguntando: “Por que eu preciso disso, não posso investir através do meu próprio banco?”.

Pode, mas você terá um acesso muito mais limitado já que o seu banco só vai te orientar dentro dos investimentos que ele tem para te oferecer. 

Um banco já tem uma cartela de correntistas, que são as pessoas com contas ativas nele.

Já as corretoras precisam atrair novos clientes, então como elas fazem isso?

Com muitas opções de serviços para você, inclusive com a probabilidade de oferecer investimentos de diversos bancos, não apenas o de um ou outro.

Procure uma corretora que confie e faça a sua conta. Comece a investir certo e de maneira disciplinada.

O resto vai vir com o tempo, inclusive o dinheiro. Mas, agora que já falamos o que você deve fazer para começar, que tal discutirmos um pouco sobre o que você deve evitar? Confira:

homem de terno e óculos desenhando vários objetos diferentes em uma superfície transparente, incluindo gráficos de investimentos.

Leia mais: 07 erros financeiros que nunca devemos cometer

Não cometa esses erros antes de começar a investir

  • Concentrar seu dinheiro em uma única aplicação

Não dá nem para dizer que esse é um conselho de iniciante, porque é o tipo de coisa que você precisa ter em mente durante toda a sua jornada de investidor: colocar todo o seu dinheiro em um único tipo de aplicação pode dar muitos prejuízos. 

Diminua esse risco e mantenha uma cartela de investimentos variada.

Um bom jogador tem ao menos algum tipo de investimento na casa dos ditos arrojados, seguros e moderados ao mesmo tempo e isso serve para garantir equilíbrio quando você começar a investir.

Como já mencionamos, antes de fazer uma aplicação é preciso conhecer o seu perfil.

  • Ir com muita sede ao pote

A empolgação inicial é natural, mas não deixe que isso influencie suas decisões de maneira não racional.

Você pode começar muito bem e cair na bobagem de ter pressa para ganhar dinheiro, e acabar quebrando a cara.

Investimentos seguem uma lógica, mas também podem ser inesperados. Isso requer jogo de cintura.

  • Vender na baixa e comprar na alta

Esse erro é típico de quem não tem noção do que está fazendo.

Quando você começa, normalmente é orientado a conhecer seus objetivos. Por exemplo: quero investir a longo prazo. Com isso em mente, pode estar mais propício a investir em ativos com liquidez baixa.

O que isso quer dizer? Que você vai precisar deixar o dinheiro rendendo ali por um tempo razoável e que se vender logo vai perder dinheiro. 

Quando você investe em ativos de liquidez alta, como os com liquidez diária (rendem uma porcentagem específica todos os dias e podem ser vendidos nesta mesma velocidade sem causar prejuízo), pode agir por impulso por precisar do dinheiro e acabar vendendo quando a ação estiver na baixa.

Isso é bom para quem compra e péssimo para você. 

  • Investir de maneira aleatória 

Investir sem um planejamento é pedir para se dar mal no mercado. Não dê novos passos sem entender bem o organismo dos ativos que você começou a investir.

Mesmo que tenha alguém o orientando, saiba o que está sendo feito com o seu dinheiro para que você não dependa das pessoas sempre. 

Com o tempo você poderá tomar muitas decisões sozinho. Investir às cegas é que não dá. 

  • Ter medo 

De onde vem o medo de investir das pessoas? Do desconhecido.

O brasileiro não tem uma cultura de ensinar educação financeira para os filhos desde cedo, então as pessoas crescem com noções erradas sobre investimentos.

Pensam que é arriscado, que é coisa de quem tem muito dinheiro.

Tem quem chame isso de crença limitante, que é quando você acredita em conceitos pré formulados na sua cabeça e deixa de fazer coisas que poderiam mudar a sua vida por causa deles.

Livre-se das crenças limitantes hoje mesmo e comece a investir.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *