Blog > Estou Desempregado: O que Fazer, Principais Causas e Dicas
Empréstimo Pessoal - todas as financeiras num só lugar

Estou Desempregado: O que Fazer, Principais Causas e Dicas

Estou Desempregado O que Fazer, Principais Causas e Dicas

Estar desempregado é uma realidade de muitos brasileiros. Durante os períodos de crise econômica, o número de desempregados se eleva ou se torna um medo real daqueles que conseguiram felizmente conservar o vínculo empregatício.

O que mais amedronta aquele que está desempregado é, sem dúvidas, não ter como pagar as contas do mês e as parcelas das dívidas adquiridas. 

Como lidar com essa situação tão comum e ao mesmo tempo tão difícil? Confira a seguir, mais informações sobre o desemprego e dicas para passar por essa fase da melhor forma possível.

O Que Significa Estar Desempregado?

Estar desempregado quer dizer que alguém, em idade ativa, está sem um emprego

Em outras palavras, desempregado é aquela pessoa que não mantém o vínculo empregatício formal com uma empresa e nem tem outra fonte de renda para se manter.

Quem é Considerado Desempregado?

Quem é Considerado Desempregado

Para o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), é considerado desempregado aquele indivíduo que está sem emprego, mas que busca uma recolocação no mercado, seja enviando currículos ou entrando em contato com empresas que ofertam vagas. 

Portanto, aquelas pessoas que não têm emprego, mas que já desistiram de encontrar um, não importam os motivos, não são considerados desempregados. São pessoas que não estão mais procurando trabalho.

A grande diferença, entre um tipo e outro, é justamente a vontade de trabalhar que o desempregado possui, mas que não o faz por falta de oportunidade, uma vez que está sempre em busca de novas vagas.

Quem Está Desempregado Pode Recorrer ao Seguro Desemprego?

Depende. O seguro desemprego é concedido àquele trabalhador formal, que teve a carteira assinada e foi demitido sem justa causa. Além disso, o recebimento do benefício depende de quantos meses ele trabalhou, o que também vai definir a quantidade de parcelas.

Quem solicita o seguro desemprego pela primeira vez, precisa ter trabalhado pelos menos 1 anos nos últimos 18 meses. Neste caso, o trabalhador terá direito a 4 parcelas do benefício. Caso tenha trabalhado por mais de 2 anos, terá direito a 5 parcelas mensais.

Quem solicita o seguro desemprego pela segunda vez, precisa ter trabalhado, pelo menos, 9 meses no último ano. Quem trabalhou entre 9 e 11 meses vai receber 3 parcelas. Se trabalhou entre 12 e 23 meses, terá direito a 4 parcelas. E tem direito a cinco parcelas quem trabalhou por mais de 2 anos.

Quem solicita o seguro desemprego pela terceira vez, deve ter trabalhado por 6 meses antes da demissão e terá direito a 3 parcelas mensais, se o período se estender até 11 meses. 

Caso tenha trabalhado entre 12 e 23 meses, receberá 4 parcelas. Aqueles que trabalharam mais de 2 anos deverão receber 5 parcelas do benefício.

Estou Desempregado – Como Pagar as Contas?

Uma opção viável e acessível para quem está desempregado e não tem como pagar as contas do mês é o empréstimo pessoal. É uma forma de fugir da inadimplência, pagando juros mais baixos do que os juros do cartão de crédito, por exemplo.

Conheça o Empréstimo Pessoal do Bom Pra Crédito e faça uma simulação, optando por uma proposta que caiba no seu bolso e na sua situação atual. E não se esqueça de honrar o compromisso e encaixar as parcelas futuras no seu orçamento familiar.

O Que Fazer Quando Se Está Desempregado? Dicas

O Que Fazer Quando Se Está Desempregado Dicas

Estar desempregado não significa que você deve ficar em casa, sem fazer nada, só dormindo até tarde ou vendo televisão o dia inteiro. 

É preciso tomar algumas precauções para evitar novas dívidas e conseguir se manter com o dinheiro que resta, além de usar esse tempo ocioso para incrementar o currículo. Veja as dicas.

Economize Verbas Rescisórias

As verbas rescisórias são aquelas as quais você tem direito quando é demitido da empresa em que trabalhava. Por exemplo: pagamento de férias, o proporcional do 13º que é de acordo com os meses trabalhados, liberação do FGTS, etc.

Se você tiver algum fundo de emergência, algo sempre muito recomendado por todos os especialistas no assunto, é hora de utilizá-lo.

A reserva de emergência é justamente para essas situações imprevisíveis como o desemprego. Use todas essas verbas com moderação. Elas serão a sua segurança enquanto não encontra outra colocação no mercado.

Não caia na tentação de comprar algum luxo para casa, trocar o carro ou algo do tipo. Esse dinheiro deve garantir a você uma vida com as necessidades básicas supridas até que você volte a contar com um salário mensal.

Evite Usar o Cartão de Crédito

Um hábito muito comum de quem não tem dinheiro em mãos naquele momento é usar o cartão de crédito, seja para pagar contas ou para comprar alguma coisa que esteja precisando. Assim, a dívida é jogada para o mês seguinte, mesmo sem garantia de pagamento da fatura.

O resultado é mais dívida e mais dor de cabeça, porque você não vai ter como pagar ou vai precisar desfalcar o dinheiro da sua reserva que não deve ser usado para este fim, como já foi dito.

Portanto, evite usar o cartão de crédito a qualquer custo. Retire-o da bolsa, da carteira e esconda-o em uma gaveta. Nem tudo que queremos comprar é realmente uma necessidade e o cartão parece solucionar um problema imediato, mas só gera um problema mais grave no futuro.

Evite Usar o Cheque Especial

Evite Usar o Cheque Especial

Assim como o cartão de crédito, o cheque especial não é uma boa alternativa para quem está desempregado. 

Os juros cobrados pelos bancos e instituições financeiras são altíssimos e, caso você não pague a dívida dentro do prazo, o valor final pode tornar-se assustador e completamente fora da sua realidade.

Evite Dívidas em Geral

Não faça novas dívidas enquanto estiver sem um emprego, afinal de contas, você não terá como pagá-las e pode ficar cada vez mais endividado quando conseguir uma colocação de trabalho.

Reduza ao máximo os seus gastos e de sua família, procure sempre maneiras diferentes de se divertir de forma gratuita ou gastando o mínimo possível e sempre que precisar comprar algo, faça isso usando dinheiro em espécie.

Faça um Planejamento Financeiro

O planejamento financeiro deve acompanhar a sua vida em todos os momentos e não só quanto estiver desempregado. Isso significa organizar todas as suas finanças, conhecer bem as rendas e os gastos, controlar as dívidas e fazer investimentos.

Com o planejamento financeiro, fica muito mais nítido o caminho que você deve seguir para ficar longe das dívidas e, finalmente, atingir aqueles objetivos e metas desejados – que são adiados, muitas vezes, por conta do descontrole sobre as finanças.

Para fazer um bom planejamento financeiro, você precisa estar ciente da sua realidade financeira atual. Saber quanto ganha e quais são os seus gastos mensais. Depois, reconheça todas as suas dívidas e trace estratégias para pagar tudo que está devendo.

Se ainda não tem, comece a fazer a sua reserva de emergência – ela é importantíssima para situações como essa, de desemprego, doenças na família, etc. 

Estipule um valor a ser poupado todos os meses e pague primeiro sempre. Se esperar sobrar dinheiro, é provável que nunca guarde nada.

Por fim, faça investimentos. Muita gente tem o hábito de guardar dinheiro na poupança achando que está investindo, mas os rendimentos são tão pequenos que não vale a pena. Estude, conheça mais sobre os tipos de investimentos e faça o seu dinheiro render.

Lembrando que o seu planejamento financeiro deve ser feito em um caderno ou em uma planilha de gastos no computador, para que você tenha acesso sempre. Não vale fazer uma vez e deixar para lá. Controles devem ser feitos constantemente.

Use Uma Planilha de Gastos

Use Uma Planilha de Gastos

A planilha de gastos deve estar dentro do seu planejamento financeiro. Construa a sua usando o editor de planilhas do seu computador ou acesse a planilha de gastos do Bom Pra Crédito. Basta baixar e preencher a tabela com as suas informações.

Anote todas as suas receitas, o dinheiro que entra, todas as suas despesas e o dinheiro que sai. Liste aqueles gastos que são fixos, como parcelas de empréstimos, gás e mensalidade escolar, por exemplo. Liste também os gastos variáveis, como contas de água, luz, telefone e compras de supermercado.

A planilha é interessante, porque faz com que você tenha uma noção mais exata do seu dinheiro e do que você faz com ele. 

Assim, você não terá mais aquela sensação de que o dinheiro foi embora sem que você saiba dizer para onde. A planilha de gastos é uma boa estratégia também para estipular o orçamento familiar no mês seguinte e reduzir gastos

Sabendo, de fato, para onde o dinheiro está indo, fica muito mais fácil identificar o que é possível reduzir ou até mesmo eliminar.

Corte Gastos Desnecessários

Após preencher a sua planilha de gastos, é hora de identificar aquilo que pode ser reduzido ou retirado do seu orçamento mensal. Aqui, você pode analisar, por exemplo, a mensalidade da academia que pode ser substituída por um plano mais barato, assim como a conta do telefone.

Gastos fixos, como a mensalidade da TV por assinatura e planos de internet, podem ser renegociados junto às operadoras. Quem sabe você descobre que paga por algo que não usa ou que poderia ser facilmente substituído por outra forma de entretenimento.

Faça o mesmo com os gastos realizados com as compras do mês. Estipule um valor mensal e evite o que não for básico. Muitas coisas que colocamos no carrinho do supermercado são supérfluos ou bem mais caros, apenas por serem de marcas mais conhecidas.

Observe tudo isso e faça substituições. Lembre-se de que o desemprego é uma fase difícil, que pode se estender por um tempo maior do que você gostaria e não é hora de gastar dinheiro com luxos ou produtos caríssimos. É hora de apertar os cintos, isso sim.

Atualize Seu Currículo

Atualize Seu Currículo

Estar desempregado é uma situação extremamente incômoda, mas pode ficar um pouco mais interessante se você aproveitar o tempo que tem disponível para fazer coisas úteis, como incrementar o seu currículo. 

Na internet, você encontra dezenas de cursos gratuitos, em várias áreas de atuação. Além de aprender conteúdos novos e renovar conhecimentos, você ainda pode descobrir outras áreas interessantes para atuar e, quem sabe, até descobrir uma nova vocação.

Faça cursos de informática, de idiomas, rotinas de escritório, atendimento ao cliente, oratória e o que mais for interessante para o seu trabalho e seu desenvolvimento pessoal. Torne o tempo ocioso em algo produtivo. 

Isso afasta a ansiedade e a preocupação, que são muito recorrentes em quem está há muito tempo parado. Estude, inclua os certificados em seu currículo e estará muito mais preparado quando for convocado para uma entrevista de emprego.

Os cursos gratuitos online ou presenciais também são uma ótima oportunidade para você ganhar algum dinheiro rapidamente

Faça cursos de artesanato, culinária, aprenda a fazer convites personalizados, pequenos consertos, enfim, amplie o leque de oportunidades de trabalho.

Procure um Novo Emprego

E, claro, não deixe de procurar uma nova oportunidade no mercado de trabalho durante o tempo em que estiver desempregado. Dê uma revisada no seu currículo, atualize-o com os novos conhecimentos adquiridos e sua última experiência de trabalho. 

Procure na internet por modelos mais atualizados de currículos e baixe aquele que mais se adapta às suas necessidades e ao perfil da empresa para a qual vai se candidatar.

Siga algumas recomendações de especialistas em seleção e recrutamento. Uma das orientações é ser específico quanto ao objetivo que deve constar o cargo pretendido. 

Os currículos costumam ser armazenados em um banco de dados e são pesquisados através de palavras-chave, que são exatamente o nome do cargo. Portanto, se você quer uma vaga de Analista de Marketing, esse deve ser o seu objetivo.

Na hora de entregar o seu currículo, evite atirar para todos os lados e se candidatar a todas as vagas que surgirem. Foque no cargo que deseja

Se, após algum tempo, não receber o retorno esperado aí então você pode considerar outras oportunidades abaixo das suas expectativas.

A grande maioria das empresas recebe currículo através do site ou de plataformas específicas de recrutamento. Procure a aba “Trabalhe conosco”, veja as vagas disponíveis e candidate-se. Caso não tenha vagas disponíveis, envie o currículo pelo e-mail de contato assim mesmo.

Aliás, se ainda não tem um, crie agora o seu e-mail. É muito fácil, rápido e gratuito. Depois, é só baixar o aplicativo do e-mail no celular e enviar o seu currículo sempre que encontrar uma vaga que tenha a ver com o seu perfil. 

E existe também a maneira mais antiga e também eficiente de procurar emprego que é batendo de porta em porta em busca de oportunidades. Leve consigo uma boa quantidade de currículos e os deixe em locais que estejam recrutando novos profissionais. 

Tenha um currículo sempre na bolsa e salvo no seu celular. Assim, você não perde nenhuma oportunidade que surgir.

Mas como saber sobre vagas de emprego? Existem grupos nas redes sociais específicos para esse fim. Procure aquele que tenha vagas relativas à sua cidade, torne-se um membro e consulte o grupo todos os dias em busca de oportunidades. 

Você também pode procurar por vagas de trabalho no site e nas redes sociais das próprias empresas ou nos classificados dos jornais. Não se esqueça de pedir indicações a amigos e conhecidos.

Perguntas Frequentes Sobre Desemprego

Confira a seguir algumas perguntas e respostas que farão você entender mais sobre o desemprego.

1. Qual a Origem do Desemprego?

Qual a Origem do Desemprego

A origem do desemprego está diretamente ligada à economia no país. Quando a economia está aquecida e as empresas desenvolvem bem os seus negócios, mais vagas de trabalho são abertas e mais pessoas têm chances de conseguir uma colocação. 

Além disso, há outras causas para o desemprego que você verá a seguir.

2. Quais as Principais Causas do Desemprego

As principais causas do desemprego são:

  • Baixa qualificação: Muitos indivíduos não conseguem um trabalho porque não atendem às muitas exigências do cargo. Portanto, se qualificar através de cursos e experiências é a melhor forma de permanecer empregado;
  • Uso de máquinas em muitas atividades: Diversos postos de trabalho estão sendo substituídos por máquinas, o que gera a dispensa de muitas pessoas e um grave índice de desemprego;
  • Impostos que Dificultam a Contratação: As empresas também precisam pagar altos impostos na hora de contratar novos empregados. Isso dificulta a abertura de novas vagas, já que muitas empresas estão ainda começando no mercado;
  • Clima: Quem trabalha na agricultura ou depende dela para se manter no emprego sofre bastante com as inundações, seca prolongada e outras mudanças de clima. Logo, não têm o emprego garantido.

3. O que é o Desemprego Natural?

É chamado de desemprego natural aquele em que os indivíduos estão sem emprego porque acabaram de ser demitidos, estão em busca de uma oportunidade de trabalho pela primeira vez ou estão trocando de emprego por conta própria.

O desemprego natural recebe essa nomenclatura, porque há, de forma natural, este desequilíbrio entre as vagas de trabalho e a demanda interessada, que nem sempre está em pleno acordo por vários motivos.

4. O que é Desemprego Temporário?

O que é Desemprego Temporário

Já o desemprego temporário é aquele em que os indivíduos estão nessa condição devido às variações naturais que existem em certas atividades econômicas, como o turismo, agricultura e períodos de poucas vendas no comércio. 

Outro exemplo, são os cortadores de cana-de-açúcar que só têm trabalho durante algumas épocas do ano e, por isso, precisam mudar de região com frequência. 

Muitos deles migram da região Nordeste para a região Sudeste para trabalhar, retornam na entressafra e alguns meses depois, voltam para o trabalho no canavial.

Conclusão

Como você viu, estar desempregado é uma situação comum na vida de muitas pessoas. 

Nem sempre é possível evitar que o desemprego nos alcance, mas você pode encontrar maneiras de passar por essa fase sem tantos aborrecimentos, com poucas dívidas e mais preparado para o emprego seguinte.

Está desempregado e não sabe como pagar as contas? Entre em contato conosco. Nós podemos te ajudar!

By | 2019-08-09T16:44:34-03:00 9 de agosto de 2019|