Saiba como negociar dívidas

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

imagem com homem mostrando os dois bolsos da calça vazios

Continua depois da publicidade

premio reclame aqui 2020

Entenda como se organizar e ainda como negociar dívidas com os melhores descontos

Saber como negociar dívidas é uma parte muito importante de todo o processo de você sair do vermelho.

Porque sem uma organização a sua situação financeira pode ser atingida por uma bola de neve e só ficará mais e mais difícil conseguir honrar com os seus compromissos.

O primeiro passo é sempre o mais doloroso, mas você consegue! É preciso encarar a realidade como ela é.

A sua dívida já está ali, já lhe trouxe algumas dores de cabeça, agora é hora de arregaçar as mangas.

Qual é a real situação da sua dívida? É importante saber exatamente quantas são. Lembre-se de uma dica importante de organização:

coloque tudo no papel, só assim você vai poder ter uma ideia mais clara sobre quais dívidas precisam ser quitadas primeiro (em caso de você ter mais de uma esperando por negociação).

imagem com homem mostrando os dois bolsos da calça vazios

Vamos entender um pouco como funciona a contração da dívida e suas consequências.

De acordo com o Procon, já no dia seguinte ao vencimento da dívida a loja ou empresa já pode solicitar a inclusão do nome do devedor no cadastro de entidades de proteção ao crédito. 

Se não houver pagamento, o nome permanece na lista de inadimplentes por cinco anos, e depois desse período deve ser retirado.

Isso quer dizer que você não precisa mais pagar o que deve? Não, sua dívida não deixa de existir, mas por ter “perdido a validade”, significa que você não poderá mais ser acionado judicialmente para esse pagamento.

Isso muda, no entanto, se a instituição que te emprestou crédito já tiver iniciado uma cobrança na justiça dentro desses cinco anos.

Daí, o tempo para a dívida caducar é interrompido enquanto ocorre a ação.  

Leia mais: O que acontece com seu nome após 5 anos no SPC

Para evitar responder sobre dívidas na justiça, uma dor de cabeça a mais e que pode acarretar no congelamento de contas e outras medidas, coloque em prática aquela o que já falamos antes sobre planejamento financeiro e verifique a data delas.

Elas precisam ser pagas logo!

Nessa caminhada para alcançar sua saúde financeira, digamos que as suas dívidas estão organizadas.

Você já sabe tudo sobre elas. Agora é hora de saber tudo sobre o outro lado: sua renda familiar.

Quanto entra de dinheiro na sua conta todo mês? Não esqueça de descontar impostos e benefícios, além de subtrair também os gastos essenciais que você tem. 

Agora, você já tem um valor específico. Por exemplo, você ganha R$ 3.000 líquido por mês, mas retirando seus gastos essenciais (aluguel, plano de saúde, lazer e etc) sobra R$ 500.

Não dá para gastar todo o seu salário com pagamentos, você precisa deixar um pouco de respiro de dinheiro todos os meses. 

O que fazer, então? É hora de cortar gastos que talvez você não precise tanto assim.

imagem de casal sorrindo feliz aparentemente sem dívidas

Uma assinatura de Tv a cabo, saídas para lazer, vá reduzindo o que puder até que você tenha uma quantia considerável que dê para pagar suas dívidas e ainda ter algum dinheiro a mais para emergências. 

E agora, como negociar dívidas?

A forma de renegociar a sua dívida vai depender muito do tipo dela. Você pode dever ao banco, a mensalidade da sua faculdade, dívidas ativas (IPTU, IPVA, multa de trânsito…) e muito mais.

Para negociá-las e encontrar a melhor forma de pagamento você deve entrar em contato com a instituição que você deve dinheiro.

Numa conversa, você pode propor o valor desse acordo baseado nas contas que você já fez do quanto pode pagar, e avaliar ainda o total do valor dessa cobrança. 

Dá para conseguir descontos no abatimento de uma dívida?

Como dissemos antes, é uma renegociação.

A instituição ou empresa também tem interesse em receber ao menos alguma parte da dívida, o que quer dizer que ela pode estar aberta a abater alguma parte dos juros aplicados sobre o seu débito.

Dá para propor um pagamento à vista, parcelado, tudo isso vai depender das suas condições financeiras e do quanto a outra parte está interessada em resolver a situação.

Empréstimo pessoal

No caso de uma proposta à vista eficiente em que você não tenha o valor total, considere ainda a aquisição de um empréstimo pessoal feito de maneira a agregar a sua situação.

O que isso quer dizer? Ofertas com parcelas que cabem no seu bolso.

Aqui mesmo no Bom Pra Crédito você encontra em uma só plataforma o auxílio que pode fazer muita diferença nesse processo de planejamento financeiro.

Dá para escolher entre mais de 30 parceiros reconhecidos no mercado a melhor opção de parcelamento para você.    

Esse tipo de empréstimo online é seguro e confiável.

Além dos certificados do site (aquele cadeado que aparece ao lado do endereço da página) que já mostram que a empresa se preocupa com o usuário, os parceiros também consolidam essa reputação.

São bancos como Itaú, Bradesco, BMG, Pan e financeiras como a Losango, Sorocred entre outros.

Outro ponto a se avaliar nesses quesitos é que mais de 6 milhões de pessoas já solicitaram dinheiro no Bom Pra Crédito para resolver problemas financeiros.

Então, você não está sozinho nessa, é hora de pensar que o quanto antes resolver e pagar essa dívida – que está contando juros -, melhor. 

Por falar em juros…

Talvez você não saiba, mas o Código de Defesa do Consumidor e a Constituição tem alguns direitos determinados a quem é devedor em uma negociação.

Por isso, se você notar que os juros aplicados na sua dívida estão abusivos e puder provar isso, é seu direito ter o abatimento proporcional e da correção da moeda com relação à inflação naquele período em que os juros foram pagos.

Isso ainda é válido mesmo que você só perceba o abuso dos juros depois de já ter fechado a negociação. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *