Especulação financeira: você sabe o que é e como ela funciona?

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

imagem ampliada de mão de um homem usando um teclado em frente a 3 telas com gráficos com dados sobre valor de ações

Resumo da matéria

  • Mercado de ações e a especulação financeira
  • O processo de especulação financeira
  • O que devemos saber antes de especular?

Continua depois da publicidade

A especulação é uma das ações mais antigas do mercado, ideal para aqueles que buscam lucro a curto prazo

Você sabe o que é especulação financeira? Essa modalidade pode ser definida como a ação de valorizar um ativo a fim de obter um lucro maior em um curto espaço de tempo.

Ela possui características que te ajudam a compreender de forma simples e clara o que ela é:

  • Visa lucros maiores que a média do mercado;
  • Seus objetivos e suas projeções têm uma duração de curto a médio prazo, nunca sendo longo;
  • Não visa a preservação do capital por acontecer em um momento otimista (você entenderá melhor a seguir);
  • Ainda, aproveitam de agitações no mercado que geram baixos preços de mercadorias para investirem mais.

É válido ressaltar que essa prática, além de comum, não é ilegal e é muito importante para o funcionamento do mercado por participar de forma ativa nas variações dos preços.

Por isso, os praticantes, chamados especuladores (não os confunda com investidores) são apontados nas literaturas econômicas como agentes principais no âmbito financeiro em conjunto com os investidores. 

Mercado de ações e a especulação financeira

O processo de especulação financeira acontece em algumas circunstâncias (leia o tópico a seguir para compreender melhor como acontece).

Com isso, no que diz respeito ao mercado de ações, um “especulador”, ao observar que o momento econômico está indo bem, há a expectativa da continuidade desse bom desempenho da economia. 

É a partir disso que empreendedores veem uma boa oportunidade de investimento, o que pode ser um equívoco, uma vez que a causa dessa visão pode ser um otimismo exagerado com base em um bom cenário econômico, e, se tratando de economia, podemos ter mudanças inesperadas. 

Assim, o que você poderá notar é que a especulação ocorre em meio às incertezas, o que explica a não preservação do capital.

Com base nisso, vamos explicar para você no próximo tópico como funciona o processo de especulação financeira.

O processo de especulação financeira

O que devemos ter em mente para compreender o processo de especulação é que ela só acontece partindo da oscilação de preços e, mais uma vez, não pode ser confundida com um investimento, pois não há objetivos a longo prazo.

Portanto, alguns pontos principais do processo devem ser destacados como o otimismo e os preços altos que são atraentes para os especuladores.

O otimismo seria então o momento de grandes expectativas quanto ao crescimento contínuo da economia, como é o caso do mercado de trabalho, esse bom momento é crucial para que os especuladores iniciem sua prática de investimento diante às boas perspectivas.

A alta na economia atrai novos empreendimentos, a busca pelo capital, atrai mais investidores, valoriza ações e concede mais crédito para quem se interessa no mercado financeiro. 

Assim, esse otimismo está explicitamente ligado à alta dos preços. Porém, é necessário atenção, a alta dos preços pode ser contínua por atrair muitos investidores inexperientes, que, sem muito entendimento, acabam sendo levados pelo otimismo generalizado.

Isso pode levar o preço das ações a níveis que não condizem com a realidade… em outras palavras, pode ocorrer uma supervalorização equivocada gerando consequências para a economia, como foi o que aconteceu na crise de 1929. 

Naquele ano, na Bolsa de Valores de Nova York, nos Estados Unidos, ocorria uma grande movimentação nas especulações.

Muitas pessoas investiram em imóveis, no entanto, devido à grande especulação nas ações listadas na casa, o preço despencou, houve então uma grande euforia que resultou na quebra da Bolsa, deixando vários especuladores em prejuízo.

Também, no Brasil, entre os anos de 2002 e 2012, houve uma constante no crescimento, o número de investimentos e especulação financeira no país aumentaram muitos nos setores, como: o mercado de ações, a Bolsa de Valores de São Paulo e o setor imobiliário. 

Devido às bolhas especulativas que foram criadas ao longo desses anos, houve a supervalorização do preço de ações, imóveis, salários, entre outros.

Então, com esse aumento artificial, muitas pessoas investiram no mercado imobiliário na construção e compra de imóveis, porém não obtiveram o retorno, já que a demanda do mercado não foi alta, o que gerou a desvalorização dos investimentos em diversos setores e alto prejuízo à vários investidores.

Por isso, é necessário atenção.

Para que um bom especulador lucre, é preciso ter mais experiência. Ao notar que a alta vai chegar ao seu limite, ele normalmente vende seu papel, o que gera para ele um lucro maior no momento da valorização.

Por isso, especialistas recomendam que pequenos investidores, que não têm o mesmo entendimento de um especulador, não se aventurem nesse âmbito, ou seja, não apostem em altas no mercado visando o curto prazo.

imagem ampliada de um computador com gráficos de ações

Leia mais: Mercado de ações e tudo o que você precisa saber para começar a investir nele

O que devemos saber antes de especular?

A especulação financeira é uma estratégia para a aplicação de recursos que deve ser utilizada de forma consciente, pois muitos acreditam que ela é um método de enriquecimento rápido e fácil, o que é um pensamento errôneo.

Muitas pessoas ganham dinheiro especulando, mas devemos ter em mente que ainda há uma parcela maior de especuladores que não obtiveram tanto sucesso.

Os maiores especialistas mundiais têm em mente que as pessoas não conseguem ficar ricas do dia para a noite, é necessário ter em mente que há falta de previsão das especulações e que é preciso criar estratégias para prevenir possíveis perdas de dinheiro. 

Então, se você deseja ser um especulador, fique atento. Tenha mais investimentos conservadores, um fundo de emergência que seja maior que o seu gasto mensal e nunca aposte tudo em um único momento, afinal, há muitas chances de perder muito capital.

Ah, caso você esteja procurando por um empréstimo pessoal, aqui é o lugar certo!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *